CUIDADO COM AS DOENÇAS PROVOCADAS pela falta de nutrição emocional, de carinho, do apoio que vem de uma família em paz, de amigos leais, de um grupo que ajuda de verdade a todos os seus membros em qualquer circunstância e que não joga fora seus velhos respeitando seu legado e sua sabedoria.

Podemos começar a rir mais, nos abraçar mais, nos encontrar mais... perdoar mais, ajudar mais, amar mais, aquele amor que a tudo contempla e que nada cobra por ser incondicional.

Há tantas e tantas coisas (na realidade não são coisas) para serem feitas que dá pra escrever por dias a fio...

é algo que todos sabem de cor, algo que está dentro de nosso peito, pedindo para ser resgatado e passado para a frente. Vamos formar uma Roseira em cada coração, vamos fazer germinar em nós e à nossa volta esta semente arrebatadora... nosso País, as pessoas maravilhosas deste lugar abençoado têm tudo para torná-lo o Paraíso na Terra, um exemplo para este mundo globalizado, egoísta, onde vale tudo, mesmo passando inescrupulosamente por cima dos outros, para chegar ao "sucesso".

MAS O QUE FAZEMOS? JULGAMOS OS OUTROS, NOS VEMOS NO DIREITO DE ACHAR ISTO OU AQUILO DO VIZINHO.

INVEJAMOS SIM, TUDO AQUILO QUE NÃO TEMOS, QUE NÃO VIVEMOS, QUE NÃO FIZEMOS E GOSTARÍAMOS- ISTO É SER UMA GRANDE SOCIEDADE DE ALEIJADOS de ESPÍRITO EMBORA NA FACHADA TODOS ESTEJAM PROCURANDO VIVER EM FESTAS, - a vida para muitos é apenas uma fachada...

NA HORA DE CHAMAR ALGUÉM PARA PARTILHAR ( DIVIDIR ) ACHAMOS SEMPRE UMA DESCULPA, UMA FALTA DE TEMPO, UMA PREGUIÇA;

ESTAMOS OCUPADOS DEMAIS PARA VISITAR A TIA VELHA E QUASE MORTA,

ESTAMOS VELHOS DEMAIS PARA FAZER UM CARINHO NUMA CRIANÇA, E PERDEMOS NOSSO PODER DE NOS ENCANTARMOS COM O NOVO, COM O BELO... DE FAZER ALGO POR ALGUÉM, DE DAR UM POUCO DE ALEGRIA E FAZER PARTE DA VIDA DO OUTRO; TODOS GRANDE CRISTÃOS...

MAS NÓS SOMOS DEUSES QUANDO JULGAMOS QUE FULANO ESTÁ CASADO OU SE SEPARANDO DE SICRANO,

MAS JAMAIS AJUDAMOS,

JAMAIS DAMOS AQUELE TELEFONEMA PARA SABER SE NOSSO AMIGO QUE ESTÁ COM UM CÂNCER, COM DEPRESSÃO, OU SEJA LÁ COM O QUE, precisa ouvir uma palavra, saber que não está sozinho...

Acontece meus caros que todos nós temos nossa hora e se não soubermos crescer como pessoas e seres humanos VIVER SE TORNA IMPRATICÁVEL, não importa a sua conta no banco.

Hoje as casas são maiores mas os lares estão desfeitos...

AMAR NÃO É FÁCIL, não é uma palavra, não é uma atividade, não é um jogo, uma disputa... Amar é o que nos transforma e nos preenche, nos alimenta e nos transforma,

Por isso, esqueçam seus grandes carros, suas contas em euro, o dividir o pão cada vez menor, esse medo de dar algo, de ser algo, de ouvir algo... abracem a vida, saibam que não somos diferentes em nada uns dos outros, nossa história apenas tomou rumos diferentes, mas a estrada continua sendo a mesma. Deixem a vida fluir...

http://www.jornalorebate.com.br/112/zat2.jpg

Sonhem e saiam de seus castelos, deixem o sol iluminar suas vidas, o bem mais precioso que poderão desfrutar, e justamente o bem que estamos todos cada vez MENOS DESFRUTANDO, porque nada neste mundo é nosso, nada é eterno, tudo é passageiro... tudo é um sonho, um momento... Tornem e enriqueçam estes parcos momentos nesta Terra com toda a grandiosidade e beleza que puderem e o transformarão numa vida eterna, numa paixão, num amor que lhes traga significado e mostre que podemos ser eternos, PORQUE SOMOS ETERNOS... não a nossa conta no Banco, não o que deixamos de comprar para tentar reparar nossas frustrações, nossas culpas...

Façam algo por quem faz parte de suas vidas! Peguem os telefones, liguem, diguem o quanto essas pessoas são importantes para voces... Não disperdicem mais o tempo, visitem-se, voltem a se abraçar, a contar um com o outro porque TODOS TERMOS DEFEITOS e todos somos grandes crianças... não deixem a vida perder a Música, o sentido, a beleza... presenteiem alguém, surpreendam alguém com um beijo, um olhar, uma palavra, uma lembrança!!!!!

Não permitam que seus corações adoeçam, envelheçam ou parem de sentir e de enxergar que todos temos culpa no cartório, que somos todos responsáveis por nossas doenças, nossas alegrias...

Tudo vem da capacidade que temos de receber e dar, de amar, de escolher sermos ou nos esconder da vida. E a vida é você, voce é tão maravilhoso e único quanto seus ídolos, seus astros porque eles são projeções do que mora de maior valor dentro de cada um...

Todos recebemos apenas o que MERECEMOS. Não se queixe da vida. Converse com seu Deus interior. Converse com o mundo, com seus vizinhos... procure realizar seus desejos, sejam o que está escrito em seus corações. Deixem as fachadas, as baladas, a vida é maior, é uma festa maior ainda. Tudo sempre dependerá da capacidade de voce amar. Porque certamente sempre haverá muitas pessoas querendo amar voce! Precisando amar você.

AMEM, BRINQUEM, SORRIAM MAIS

SE ENCONTREM MAIS COM OS AMIGOS, passem para fora o que na verdade voces querem expressar... Se sentirem maior apoio, maior solidez com certeza o colesterol não aumentará tanto, sem estresse, sem infelicidades, IN verdades, a energia flui livremente pelo corpo, ninguém morrerá de AVCS sozinho, à noite... por solidão.

Voces que nunca abriram suas casas, pensem no que tanto estão guardando, daqui a vinte, trinta anos ou mais, para onde irão suas mobílias, para um brechó? Para um leilão?

Festejem com PRAZER essa dádiva de estarmos vivos! De estarmos aqui neste momento presente, enquanto muitos acreditam que nem são lembrados.

Surpreendam dez, vinte pessoas e essas pessoas se sentirão acariciadas pelo Deus que há em voces, que vive em voces, e a vida voltará a ser mágica. Vida é também união. Apego e egoísmo geram desgraças.

Façam coisas que lhes deram e lhes trazem prazer,

Brinquem com seus pais, amanhã eles poderão não estar mais aqui.

Falem com seus irmãos... evitem palavras que poderiam magoá-los, coloque-se um pouco no lugar DO OUTRO.

Deixem a pressa de lado, quem disse que precisamos de ter tanta pressa?

Curtam seus filhos, eles crescem e podem não saber quem seus pais foram.

Faça uma lista de tudo de bom que já recebeu da vida sem dar nada...

Seja mais grato.

Não renuncie a estar junto da pessoa amada... sonhe 730 vezes por ano, todos os dias, quem disse que num ano existem apenas 365 dias? Que uma vida tenha apenas 60, 70, 100, 130 anos???

Não acreditem em tudo que lhe dizem, não leve tudo muito a sério, ... de vez em quando, fuja das manchetes perversas dos jornais...

Coma algo que lhe dê estonteante prazer, vá a um lugar que lhe inspira terrivelmente, ouça mais músicas, diga BASTA para quem encher teu saco, faça o MUNDO PARAR, nada tem de ser o que tem de ser... Chute o BALDE! O balde está aí mesmo para ser chutado.

SEJAM FELIZES, RENASÇAM NO AMOR!

 Existe algo maravilhoso quando se escreve... especialmente quando somos iluminados pelos mistérios e casas que se foram na correnteza do tempo que CASSIA DA ROVARE persegue e nos conta, com maestria. Vocês irão se deliciar com os versos desta paulista que ainda encontra no reflexo da penteadeira a menina e a mulher, a amante e a atriz. Cassia é sempre maior do que se pode falar dela, ela é simples e nessa simplicidade ela é capaz de tornar a vida de qualquer um maior que a própria vida.


Era para ser um poema em prosa ou uma prosa em conto... extraí toda a beleza da alma genial de outra escritora genial, a Paulistana CASSIA DA ROVARE, ela pode dizer que a roub ei, que roubei suas memórias, ao contrário, nem a expus, nem a copiei, quero fazer uma homenagem a essa mulher riquíssima de talento, de lembranças, que não deixa de ser outra das grandes mulheres escritoras como nossa Lygia fagundes Telles: Cássia, suas poesias perfumaram meus sonhos, entraram de repente pela janela e voce se tornou personagem... Embora esteja ainda em formato e linguagem poética, com toda a licença do uso magnífico de suas palavras, quis abordar a menina que se transforma na mulher de uma metrópole e quero mostrar o meu desejo de transformá-la em conto. Este processo, participo a vocês, sem excluir a beleza da alma feminina, Eis meu rascunho de Acácias no Jardim.

Cassia, por acaso, Acácias


Na casa, na varanda,tocando violão
sentia o cheiro do pão caseiro,
café moído e torrado, ali mesmo, vindo da casa, das vozes que iluminavam os dias
de mamãe apoiada no velho fogão de lenha.
e lá fora o rio descendo,
o rio enorme, a tarde com cheiro de flor de laranjeira a beijar minha testa
cheiro de pão fresquinho com a manteiga caseira
a noite estrelada salpicada de balões...
Saudade do violão tocando até de madrugada.
hoje, queria ouvir mamãe chamando, avisando que o pão feito pelas suas mãos estava pronto,
queria papai me pegando pela mão, me beijando a testa me chamando de coração.
E penso, que ali, naquele instante, o rio levou minha vida
TOMA-ME PELA MÃO
QUERO O CHEIRO DO MATO
PARA VER DE NOVO OS PÁSSAROS
QUERO O eterno VERÃO quando as cigarras cantam a NOITE CHEGANDO
Lá fora, POEIRA e chão de terra
Rodas de um trator, marcas de u um carro que nunca passou
CASSIA
Ainda escuto alguém me chamar
Podia ser até Clark Gable, Rett Butler
Olho para trás e só vejo a triste casa
O tempo bandido
A velha história de amor
Não podia eu ser Scarlet?
Gostaria de falar da felicidade,
da vida encontrada, das coisas arrumadas,
da solidão afastada,
Mas hoje a menina que cresceu na cidade grande ficou vazia, emudeceu
já não tem mais a coleção de folhinhas
Olho e vejo em meus olhos, a dor, a tristeza, a melancolia
enquanto os labios se abrem num sorriso mentido, pra disfarçar a realidade.
É o rio que chama, papai em algum ponto do caminho a estender os braços
o ninho de beija flor
a quitanda,
Serena paixão enlouquecida, digo para mim, o rímel escorrendo do olho
Onde ficou o sorriso largo, o batom carmim borrado num canto dos lábios, sua foto preto e branca caída por sobre a penteadeira, sobre uma propaganda de um filme numa revista barata:
The Postman always rings Twice
seu gosto na minha boca, sua boca, seu pelo
Não, eu não estou falando de um cachorro... caio na risada ao lembrar de ti, de mim, desta nossa encantada loucura
O que foi que nos sobrou, o que a vida acabou por fazer com a gente?
Não podia eu continuar sendo Scarlet, num vestido de veludo vermelho
Não podia ser Olivia de Havilland? Bette Davis? Fernanda Montenegro?
Não, o carteiro hoje não chegou, antes trazia notícias de você,
hoje sei que não voltarei a te ver, que não riremos mais juntos
que não haverá mais o luar
e porque tanta certeza, Cássia?
Teu peito é meu peito, teu corpo é meu corpo, você me escreveu
e eu repeti isso com as mãos tremulas quinhentas mil vezes, teu peito é meu peito teu corpo é meu corpo...
nadávamos num mar imenso de estrelas que nos iluminavam
a chuva caia quente e pesada sobre nós
Teu peito é meu peito, teu corpo é meu corpo
e eu te sentia penetrar quente, macio, suave em meu corpo e seu sorriso parecia ir se desfazendo com a chuva, se apagando como as
folhas das árvores, e de repente, estava de novo a olhar para meu reflexo no espelho, uma mulher só, a se maquiar para um baile fantasma
a se preparar para um convite que nunca chega
a esperar a campainha tocar duas vezes
a fechar os olhos, e desejar escutar sua voz sussurrar: Você é tudo...
A única coisa verdadeira em mim é o medo, a saudade, a procura
a insensatez, pernas e bocas se contorcendo na cama, náufragos á procura de terra,
silencios à procura de almas
Se ao menos voce tivesse me prendido em sua casa e me colecionado, se ao menos eu pudesse estar junto ao teu retrato,
não dentro de um shopping ou sozinha pintando quadros
às vezes à noite eu tenho aquele mesmo sonho, o carro para e entra num portão de ferro e atravessa os mesmos caminhos
E sei que estou voltando para Manderley
é nesse ponto em que acordo e o gato preto de olhos amarelos está tomando conta de mim por sobre o aparelho de CD
Olho para a penteadeira e vejo você, com a camisa branca de papai como costumava usar
os olhos de moleque, como se esperasse que voce fosse a primeira coisa que eu visse ao aocordar
E sei que chove lá fora, nas telhas, nos caibros, nas calhas,
a chuva parece inundar a rua, as alamedas de árvores, parece inudar o mundo todo agora
Cássia, voce sussurra e então compreendeo que é real como a vida que seguia naquele rio, naquelas noites
e me perco novamente edentro dos seus braços
Cássia, por acaso, Acácias no jardim 

 Desta vez eu vou fazer um roteiro diferente, um passeio turístico em busca do EU SUPERIOR, em busca de uma vida de realizações e prosperidade, satisfações e alegria. Vamos falar também da alegria que parece estar faltando em nossos dias, e de como estamos todos hipnotizados pelo ter coisas que nunca preencherão nossas faltas, nossas esperanças porque PRODUTO algum de marca alguma jamais substituirá nossos sonhos.
Sim, amigos de viagens e jornadas, sonhar nunca foi tão preciso, diante a um mundo que se esfacela ao nosso redor, mundo no qual já saboreamos tardes que não pareciam ter fim... mas nada nos impede de voltar a limpar nosso quintal, dizer um basta para essa onda de negativismo, limpar as mãos no avental e sentarmos na velha cadeira de balanço para ficarmos espreitando o passar das nuvens, as cores do horizonte e a chegada das estrelas: Mercúrio, plutão, Saturno, Marte, Vênus...

Através de manchas coloridas, tento compreender a "mensagem" que o pintor quis transmitir, ou, o que é mais comum, vemos pessoas que fingem entender esta arte contemporânea que fugiu do seu compromisso ao Belo... A arte, a música,  o que vem da Tv hoje machuca, agride, parece mais um produto da Xuxa  misturado com a bomba da Al Quaeda. A mediocridade venceu, o público quer ver cenas de IML. Parece que há uma busca incessante pelo horror, pelo trágico, como se ali convergisse  a situação sem saída, sem emprego, sem guarida de milhões de eleitores abandonados humilhados e traídos.
Volto a pensar na arte contemporânea, onde giletes cortam os braços  de uma garota em pleno Beauborg, museu de Arte Cotemporãnea... Isso fora as pinturas que parecem de um penis entrando numa vagina. Isso me faz lembrar dos tempos românticos que vivemos onde as peças de teatro que fazem sucesso são de travestis, monólogos da vagina e do penis, enfim, parece que ninguém faz sexo e ficou divertido ver os outros em situações constrangedoras...
Como as pinturas que parecem borrões sem sentido, sem alma. Houve, inclusive, uma exposição em que o quadro vencedor foi pintado por um macaco; numa outra, por uma criancinha que apenas se divertia com as tintas que a mãe lhe havia dado e que acabou ganhando o primeiro prêmio; em outra exposição, um quadro de arte moderna permaneceu por engano vários dias exposto de cabeça para baixo, sob os olhares e comentários admirados dos apreciadores… E pensei em Miro, Matisse, Chagall,...
Mas estes ainda pintavam ou se davam ao luxo de contestar a pintura academica e  com isso chamar a atenção para um mundo que estava perdendo a verdadeira noção da beleza, da estética, da poesia...
 As exposições de esculturas modernas, ou as montagens feitas sob essa denominação, são precisamente aquilo que expressam: lixo. Com que outra palavra se denominaria então um pedaço de carne em putrefação exposta numa redoma de vidro? Ou um amontoado disforme de pedaços de metal encontrados no lixo? Ou então uma vaca e seu bezerro partidos em dois e conservados em formol num tanque de vidro? Ou ainda um cinzeiro de plástico de 2,5 m de diâmetro repleto de pontas de cigarro, cinzas e caixas de cigarro vazias? Pode-se chamar de arte a coletânea de fotos exibida em 1990 no "Centro de Arte Contemporânea de Cincinatti", que entre outras coisas mostrava cenas eróticas homossexuais e sadomasoquistas, além de órgãos genitais de crianças?
E a música? Melhor dizendo: o ruído estridente a que se chama hoje de música? Dos grandes compositores, 8 nasceram no século XVIII e 22 no século XIX. O século XX não viu nascer nenhum grande compositor. Música verdadeira não pode surgir sob o domínio irrestrito do raciocínio.
Como que sepultando de vez qualquer esperança nesse sentido, a segunda metade do século viu nascer um bate-estaca musical chamado "rock", submetido ele próprio, como tudo o mais, também a uma degradação contínua ao longo do tempo (quem julgaria possível?), conforme se depreende dos qualificativos que foi recebendo: "leve", "progressivo", "pauleira", "heavy metal" (metal pesado), "trash metal" (metal lixo), "death metal" (metal morte). Poucas cenas espelham de modo tão claro a decadência da juventude como as observadas nos festivais de rock. Milhares de jovens, muitos drogados, pulando em êxtase sob o ruído ensurdecedor de guitarras e outras parafernálias estridentes, "tocadas" por figuras que pouco lembram a silhueta de um ser humano. Uma dessas populares bandas de rock esclareceu aos seus admiradores que "tomar drogas é tão normal quanto beber uma xícara de chá… " Aliás, no You Tube uma das maiores atrizes ficou famosa por aparecer  DANDO UM TAPA NA PANTERA, o nome era este, TAPA NA PANTERA, e ela, que tinha feito mais de 50 peças de Brecht foi conhecida por mais pessoas que em toda sua vida nos palcos...
Para emoldurar condignamente toda essa podridão surgiu recentemente um movimento de nome bastante apropriado: a cultura "trash" (lixo), que angaria cada vez mais adeptos entre jovens e adultos desses nossos dias. Esse movimento glorifica tudo o que até a pouco ainda era reconhecido como ruim; a finalidade é justamente tornar explícitos a boçalidade, a idiotice e o grotesco. E a repercussão é realmente muito boa, excelente mesmo, como não poderia deixar de ser nesses anos finais da decadência humana.
Alguns exemplos: Um dos maiores sucessos da TV americana é um desenho animado onde os personagens principais, dois adolescentes, se divertem torturando animais, molestando meninas com um vocabulário chulo e cheirando cola; o sucesso foi tamanho que seus idealizadores produziram um longa metragem para o cinema... rendeu 55 milhões de dólares na estréia. Um outro desenho animado que retrata alienígenas, um cão homossexual, um excremento que fala e uma criança etíope famélica rendeu US$ 25 milhões em nove episódios; a produção conta com dois milhões de telespectadores cativos, 70 sites na Internet e ganhou o prêmio "Cable Ace" (o Oscar da TV por assinatura nos Estados Unidos) como a melhor série de desenho animado. O videogame campeão de vendas no mundo vendeu cerca de cinco milhões de cópias: foi o primeiro a mostrar cabeças e membros decepados e sangue em jorros.
Num outro "jogo" desse tipo, o participante é convidado a fuzilar crianças, e para deixar de jogar é preciso cometer suicídio; num jogo de Rali a única regra é cometer o maior número possível de barbaridades, como dirigir na contramão, destruir veículos e espalhar pedaços de pedestres pela pista, especialmente de crianças, idosos e gestantes; matar uma grávida vale 5 minutos a mais de ação... Fitas de vídeo mostrando closes de agonia real, com seres humanos e animais, batem recordes de retiradas nas locadoras. No Brasil, uma banda paulista cujas letras das músicas tratam de orgias sexuais e piadas racistas vendeu um milhão e 800 mil cópias em seis meses2. Um teatro no Rio de Janeiro lota platéias com peças cujos cenários foram feitos com restos de lixo. No início de  1998, o maior fenômeno de audiência da televisão brasileira era um programa que apresentava toda a sorte de desgraças alheias. Na Europa, um programa televisivo chamado "Euro Trash" ensina a preparar pratos com ratos. Em Londres, 15 mil pessoas visitam uma exposição de 40 fotos mostrando esculturas feitas com fezes. Em Mannheim, Alemanha, um museu exibe corpos humanos verdadeiros, sem pele, preservados por uma técnica de "plastificação".
Assim se apresenta a humanidade agora. Todo o falso atuar humano cresce agora ainda mais sob a irradiação da mediocridade, e se mostra sob as mais extravagantes formas, mesclando-se ainda continuamente com acontecimentos terríveis, retornos da própria má vontade humana anterior. O resultado é um caos enorme, imerso na imundície, sem paralelo na história da humanidade. Cito aqui uma frase de Gilberto Kujawski, a respeito das coisas que o seres humanos da época atual ainda se apegam, que eles julgam importantes: "Resta a paixão multitudinária pelo futebol, pelo rock, pelas corridas de automóvel, talvez pelos direitos das minorias, principalmente das minorias étnicas. Nada mais consegue empolgar a alma desmotivada do homem oco no terreno baldio deste século cor de cinza."
A análise dos tópicos a seguir permite uma visão mais abrangente e realista do caos contemporâneo. É, sim, necessário conhecer a que ponto o mundo já chegou em seu descalabro auto-sustentado, ou melhor, é necessário reconhecer esta situação, para podermos agir então de tal modo que nos tornemos dignos de ser preservados da destruição completa de todo o mal que se avizinha.
Nosso planeta está sendo limpo de toda a imundície; a Terra estará livre de todo o mal, e também de todos os seres humanos maus. A limpeza é completa, profunda, tão profunda que nada pode se esconder : O joio não pode ser meio joio meio trigo, e assim o trigo não pode conter nenhum joio. A astúcia e a sutileza do raciocínio humano já não servem de nada na pós-modernidade, na pós-história. Por ser uma limpeza tão profunda é que se torna necessário que tudo venha à tona, mesmo aquilo que já parecia extinto na alma humana. Toda a sujeira tem de se mostrar, tem de se apresentar visivelmente nessa nossa época, antes de ser varrida de uma vez por todas da face da Terra.
O que temos presenciado entre nossos políticos?
As ameaças terroristas e as ameaças de guerra nuclear entre alguns países. (  Tragédias como a de Chernobyl ( nuclear ) ao World Trade Center ( terrorismo ).
Tsunamis varrendo continentes, terremotos abrindo vazamento de radioatividade,  sucessão de Furacões e devastação de cidades como a de  Nova Orleans. Grandes incendios e enchentes nunca vistas na Europa, índice de mortes  geradas por extremo calor, e outras causadas por enchentes. Isso tudo num pequeno período de tempo.
A condenação à morte por  doenças atuais de alto poder de contágio, deixando a África como um país sem amanhã. Some-se isso a explosão do Concorde, dando fim a uma linha na aviação, de aviões supersônicos até as sucessivas explosões com os ônibus espaciais da Nasa, entre outros.
Perplexos ante o acúmulo de todas essas coisas, a imensa maioria da humanidade buscará uma saída onde ela não existe: na ciência, no ocultismo, na fé cega, nos falsos preceitos das religiões e seitas e em tudo o mais que a mão e o cérebro humanos construíram. Todas essas tentativas de auxílio são falhas. A tola e presunçosa crença na capacidade humana de resolver tudo com o raciocínio desabará fragorosamente por toda a parte.
A humanidade está atônita ante o recrudescimento do sofrimento na Terra.
O saber de que cada ser humano tem sempre de colher aquilo que ele próprio semeou, e que essa Lei vale não só para o indivíduo como também para a humanidade em geral, permitiu aos profetas de tempos antigos prever com tanta antecedência os horrores dos últimos acontecimentos que temos sido testemunhas vivas. Seres humanos isoladamente ainda podem escapar disso mediante a mudança em tempo de sua sintonização interior, mas não a humanidade como um todo.
Desta forma é possível prever, sem margem de erro, que todas essas dores só estão aumentando em intensidade e quantidade. O leitor constatará o surgimento de novas doenças, grandes terremotos, erupções e incêndios gigantescos, caos político, econômico e social, violência gratuita e generalizada, e o incremento exponencial de todas as outras mazelas e tragédias mencionadas anteriormente.
Cada espírito humano que desperta agora, coloca a si próprio na ante-sala da era do espírito. Para ele, a nova era desponta à sua frente plenamente reconhecível, como o fulgor da aurora de um tempo ansiosamente aguardado.
Agora, cada minuto conta. Cada hora e cada dia têm de ser plenamente vivenciados, têm de se tornar marcos no desenvolvimento interior do espírito humano. No final de cada semana deve-se poder olhar para trás e afirmar, segura e serenamente, de que na semana que findou eu me tornei um ser humano melhor, aproximei-me mais das disposições prescritas por Aquele que me criou.
Hoje sabe-se como muita coisa se falou sobre a vinda de Novos Tempos. Sabe-se que, pela composição astral, já estamos nos Novos Tempos. E a pergunta é – novamente, hoje falarão mais alto os doutores da lei presos às tradições? Ou terá o povo a coragem de tomar as suas próprias decisões, pensar melhor e virar as costas aos vendilhões do templo?
Temos profecias de Malaquias, Pedro, João, Jesus, profetisa Fátima, etc. Videntes como Nostradamus, vários médiuns e astrólogos. Escritores como Abdruschin, e por fim Allan Kardec, todos foram preanunciando a vinda de uma nova religião e um novo Mestre e os espíritos já comunicavam ao Kardec, que teria vindo uma nova leva, para completar a sua obra, inclusive, com a prova científica da reencarnação.
Sócrates já dizia sobre a virtude: “A virtude não se pode ensinar, ela vem posta pela conseqüência dos repetidos castigos, até aprendê-la. A virtude é imposta, pelo sofrimento, ao homem, pois todos, a começar pela infância, fazem muito mais mal do que bem”. Estas máximas são de Sócrates, um filósofo grego que viveu na Grécia 2.500 anos atrás. Este filósofo elaborou máximas que, já cinco séculos antes de Jesus, ensinavam “a doutrina dos espíritos”.
A virtude nasce no homem pela ação da lei corretiva das conseqüências, pois existem leis para que tudo funcione na natureza e também as leis magnéticas, nas quais a toda ação corresponde uma reação. É o homem que na sua presunção acha que pode não observá-las algumas vezes, pois é simplesmente a conseqüência da inobservância que não vem no momento e este momento é o tempo da sua vida, mas vem no momento seguinte, que é o seu retorno à vida. E a grande dificuldade que geralmente o homem sempre manifestou, foi aceitar justamente a continuação e pluralidade das vidas, onde age esta lei. Entretanto a ciência hoje chegou a dar estas demonstrações. Há muitos interesses ainda ligados à manutenção das superstições e crendices, mas vinte e cinco séculos depois da “Doutrina dos Espíritos”, esta encontrou sua prova. Jesus acreditou nela e elaborou a lei do amor, porque já era um virtuoso e apostou a sua vida nisso, como Sócrates também fez. Entretanto, pelo que nos parece entre os dois a diferença era substancial: Sócrates era médium e se presume cármico, enquanto Jesus pressentia os espíritos pela sensibilidade de sua alma, era um virtuoso. Mas hoje a regressão a vidas passadas e a fotografia da aura nos ensinam a dimensionar melhor esta situação, porque aí está a continuação da vida e das cobranças conseqüentes dos abusos cometidos em vidas anteriores, e muitas vezes estes abusos são cobrados através das auras, evidenciados em uma fotografia.
A morte não é o fim da vida, mas através dela é que volta muitas vezes a saúde e novas condições e outras possibilidades. Entretanto, muitos dos que vão e dos que ficam não sabem aceitá-la. Há jovens e velhos, sãos e doentes, feios e bonitos, pobres e ricos que morrem, gente que acorda de manhã e à noite já está sendo velada no contexto das doenças, acidentes, partos, infeções, conflitos, etc., porque todas as pessoas são espíritos encarnados e todos os espíritos são subordinados às leis da metafísica, de causa e efeito, de Talião, e da evolução, enfim do seu Carma.
"Washington, 2 de fevereiro (IslamOnline) - A segurança nos EUA está no nível mais alto de todos os tempos depois que as agências de notícias informaram que uma nova relação de alvos da Al-Qaeda cita diversas atrações turísticas nos EUA e na Europa como possíveis novos alvos. O manual de onze volumes e 5.000 páginas teria sido entregue a um jornalista da Associated Press no Afeganistão por um 'membro desiludido do Talibã'.
O manual propõe como novos alvos os locais que tenham 'alta intensidade humana' e 'valor sentimental'. Incluídos na relação estavam os principais marcos, incluindo a Estátua da Liberdade, em Nova York, o Big Ben, em Londres, e a Torre Eiffel, em Paris. Além disso, o Estádio Superdome, em New Orleans, na Louisiana, que tem a previsão de receber 75.000 pessoas para o jogo de domingo do Super Bowl XXXVI também é citado no documento." ( O último já foi uma vez arrasado pelo Katrina, então podemos considerar que o Coliseu, em Roma, também seja um desses alvos. Mas nem a Disneylândia está a salva...
Pensem com cuidado, os tempos atuais são outros...
Certamente, o Big Ben seria um alvo altamente sentimental para todos os cidadãos britânicos. Para dar um show de espetáculo e sangue ( que tem sido diário entre os homens-bombas )destruir a Antiga Ordem Mundial na Grã-Bretanha, eles naturalmente alvejariam a Torre do Big Ben.
A Torre Eiffel é o símbolo da Antiga Ordem Mundial na França, e a Estátua da Liberdade é outro símbolo da Velha Ordem dos EUA.
Nota Especial: Acho interessante que esse artigo referido mencione o Super Bowl como um provável alvo terrorista, pois esse é o assunto do livro de Tom Clancy, A Soma de Todos os Medos. Retrata a maneira exata como o World Trade Center foi destruído e é estranhamente similar à descrição feita por Tom Clancy em seu livro Dívida de Honra. Na conclusão desse livro, um piloto japonês insatisfeito de um Boeing 747 deliberadamente lança seu avião contra o Capitólio dos EUA durante a fala do presidente em uma Sessão Conjunta do Congresso. A descrição de como o Capitólio é destruído é muito similar ao modo como as torres do WTC desabaram.
Às vezes voces não tem uma sensação de que estão vivendo uma ficção científica, de que a realidade deu lugar a um macabro espetáculo onde voce não tem nada a ver? Como você, caro leitor e viajante deste planeta, existem outros milhares que parecem aturdidos, mas que jamais confessariam o quanto... Parece  a mim que fomos dormir e em determinado instante, em determinada década, acordamos num lugar que já nem mais se parece com a Terra. Saiba que voce não está só e vivemos tempos de fortes mudanças, ainda maiores que tudo isto que voce já viu na Tv ou na internet. E se souber ler os sinais dessas mudanças nos jornais, em algo que lhe toque o coração saberá que  nada deve temer. Mantenha a fé de novos dias azuis, porque só voce, ao seu jeito saberá como lidar com os desafios dos novos tempos.
Ah, ainda em tempo, RELAXA E GOZA! Mesmo com o teto e com os aviões caindo sob suas cabeças! Que criatura  do governo numa atitude digna de maria antonieta, com escárnio,teria dito tal absurdo  em meio a um caos aéreo que obrigavam os passsageiros a dormirem nos aeroportos...
 E tudo antes que uma tragédia em meio ao pan, levasse 199 passageiros do descaso nacional, morressem num acidente aéreo? Não foi falha do piloto, como chegaram a veicular na internet, mas sim de 60 milhões de eleitores.
Ah, como teria gostado de falar sobre Paris, sobre a Provence, as belezas que nos restam... e as maravilhosas peças em cartaz em São Paulo que rivalizam com a Broadway americana. Falo de cultura na próxima!
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Não são todas viagens que irão nos marcar, irão deixar grandes impressões em nasças vidas. Jamais acreditei que uma viagem pudesse ser tomada como uma fuga da realidade que vivemos. Ninguém é tolo para não saber que quando viajamos tudo se torna maravilhoso: estamos todos preparados para grandes acontecimentos, surpresas, viver momentos que serão únicos porque tudo nesta vida é único, mas existem as viagens em que encontramos um grande amor. E todo grande amor nos oferece sentidos e significados, é um labirinto de portas a serem abertas, é um convite a entrar no espelho de Alice e percorrer novos mundos, novas ruas, culturas, cidades. E desta vez, com alguém que parece pensar em nós.

Existem viagens em que passamos pelos mesmos lugares onde vivemos aquele grande e único amor de nossas vidas, passamos pelos hotéis em que ficamos e sabemos que não encontraremos aquele amor ali. Existem as viagens onde tudo parecem dar certo, até os melhores lugares numa platéia lotada ficam vagos misteriosamente e todo instante parece ser uma festa... uma festa de Desaniversário, como o chapeleiro louco de Alice falou no chá. Todos os dias comemoramos as festas que não vivemos, que não fomos convidados, junto às pessoas com quem escolhemos. Sim, existem aquelas onde tudo parece que dá errado e até o lustre despenca, a mala de alguém se perde. Existem Viagens e viagens...

Nos apaixonamos por cidades como VENEZA porque ela nos liga a uma estranha beleza que esperávamos encontrar no mundo. Agora, viver em Veneza pode ser muito chato. É como o Grand Canyon no Arizona, é lindo, reconta a história do homem na Terra, mas não deixa de ser um grande buraco geológico. Todas viagens que fazemos estão intrinsecamente ligadas com as vidas que levamos, os desejos que queremos realizar.

LUGAR PARA VOCÊ REALIAZAR A VIAGEM MAIS ROMÂNTICA DE SUA VIDA? – A COSTA AMALFITANA NA ITÁLIA.

Você nem precisa começar por Napoli, mas terá de passar por Napoli ao sair de Roma. Pule Ercolano, Torre del Greco e se concentre na região de AMALFI. De Vietri Sul Mare a Praiano e Positano.

LUGAR PARA VOCÊ SE DEIXAR ENEBRIAR PELA HISTÓRIA, PELO REQUINTE, PELA ELEGÂNCIA?-FRANÇA, PARIS.

LUGAR PARA VOCÊ desopilar o fígado, sacudir a poeira do stress, ACREDITAR EM MAGIA?- ORLANDO, DISNEYWORLD.

LUGAR PARA ACREDITAR QUE AINDA É POSSÍVEL SER FELIZ?- SAN FRANCISCO, CARMEL, MONTEREY, BIG SUR, ENFIM, A COSTA OESTE AMERICANA, A ROTA 66, MESMO LAS VEGAS E O DESERTO DE MOJAVE.

BIG SUR, que liga SAN FRANCISCO a LOS ANGELES, poucos lugares são tão românticos quanto esta mistura de estrada costeando o Pacífico, nos levando a cidades encantadoras como PACIFIC GROVE, MONTEREY, CARMEL, SAN SIMEON, SAN LUIS OBISPO, ( regiões de reservas florestais e cenário de praias encantadoras ).

LUGAR PARA RELAXAR E ACREDITAR NA HUMANIDADE: FORTALEZA, BAHIA, A CASA DA GENTE, MINAS GERAIS... FOZ DO IGUAÇÚ, GRAMADO, CANELA.

LUGAR EXÓTICO:

CHINATOWN EM SÃO FRANCISCO. ( o bondinho sobe a rua e nos deixa exatamente aqui. )

LUGAR PARA VOCÊ DESCANSAR E ESCREVER UM LIVRO: PETRÓPOLIS, AS FAZENDAS DE CAFÉ ...

UMA CIDADE QUE PARECE FORA DO TEMPO? UMA OUTRA TERRA: - VENEZA

LUGAR PARA QUEM GOSTA DE MONTANHAS: OS ALPES MAJESTOSOS DE INNSBRUCK A SALZBURG, OS CASTELOS DA ROTA ROMANTICA, QUE COMEÇA EM WURSBURG E DESCE ATÉ FUSSEN, PROXIMO A GARMISCH E AO ZUGSPITZE, O PONTO MAIS ALTO DE TODOS OS ALPES NA ALEMANHA. ( As centenas de plaquinhas em alemão e japones que irão te orientar e o mapa da Rota, que levará você a percorrer dezenas de cidades alemães que parecem terem saído de um conto da Disney, como Rothenburg-ob-der-Tauber ), Mas jamais esqueça a estrada que sai da Floresta negra e te leva até Triberg, a cidade onde está a maior concentração de relógios cucos e onde existe o maior relógio cuco.

Na estrada romântica você passará por uma cidade medieval construída dentro da cratera de um meteoro, Nordlingen, que tem até um museu.

Esse trecho não termina em Augsburg e continua até Fussen, lar de Ludwig, conhecido como o rei louco da alemanha que queria construir um castelo de contos de fadas, na verdade chegou a construir três castelos.


Seu castelo na baviera, Neuschwanstein, serviu aos artistas da Disney para recriá-lo na Disneylândia, em 1955 e nos futuros parques.

Acima de tudo, antes de procurar um destino, saiba que não adianta viajar sem a pessoa certa do seu lado, ou pessoas... A receita funciona bem quando você está de CARRO, livre, de ônibus qualquer excursão perde 60% da graça. Não é o hotel que conta também, é a pessoa com quem você dorme ou faz você ficar acordado. O que é inevitável que aconteça: Sua percepção de mundo se ampliará na mesma medida que seus euros forem indo embora, mesmo que passe a água e pão, você está vivendo a história, entrou no Túnel do Tempo, você faz parte de lugares que nem sonhava existir.

Você quer esquentar sua relação amorosa, para onde ir?: Para qualquer lugar que vá, não poderá mudar a cabeça de ninguém. Tem gente que vê ratos e sujeira em Veneza, outras apenas mágicas aquarelas, depende do olhar da pessoa. E se essa pessoa amada se encantar com a Torre de Pisa, lembre-se, ela não estará olhando para você, e sim para uma Torre inclinada...

Nem toda criança gosta de Mickey e Pato Donald, mas é rara a criança que não goste de sorvete. Não vai ser viajando à Grécia que irá resolver seus problemas assim como ninguém chegará ao topo do mundo ao visitar as muralhas da China.

Nunca perderemos nada se nunca formos a ROMA, acredite!

Istambul existe muito antes de que eu nascesse, e as Pirâmides dos Egito tem 6.000 anos...

Portanto a maior viagem que você pode começar a realizar é para dentro de você, se conhecer e se amar, aprender a amar os outros, encontrar pessoas que preencherão aqueles momentos que estavam faltando, ou seja, a maior VIAGEM será aquela em que você encontrar as pessoas que sempre te receberão de braços abertos, sempre cantarão para você em seu aniversário, sempre lhe trarão alguma lembrança.

NO DIA EM QUE ALGUÉM LHE FIZER UMA CANÇÃO, LHE DEDICAR UM POEMA, ESTE SERÁ UM GRANDE MOMENTO.

ÀS VEZES A VIDA PASSA PELA GENTE E SIMPLESMENTE SOMOS INCAPAZES DE VER OS PRESENTES QUE ELA ESTÁ TENTANDO NOS OFERECER, POR ISSO AS PESSOAS FALAM EM: SEMPRE PRESTE ATENÇÃO NOS SINAIS, MUITAS VEZES SOMOS INCAPAZES DE OUVIR O PRÓXIMO... NO MÍNIMO, DE TENTAR COMPREENDER PORQUE AS PESSOAS PARECEM AGIR OU REAGIR DE FORMAS INESPERADAS...

APRENDER A VIAGEM DA COMPAIXÃO PODE NOS LIBERTAR DAS ILUSÕES...

SABER APROVEITAR A BELEZA DE UM CÉU AZUL...

PARA RESUMIR, A VIDA TODA É UMA GRANDE VIAGEM. Não espere somente pelas próximas férias... os sonhos, muitas vezes, é tudo o que nos resta.

Mas saiba antes de qualquer frase pungente de novela mexicana como esta acima, VOCÊ É PODEROSO porque SEUS PENSAMENTOS MOVEM MONTANHAS. Isto nem é mais uma frase bíblica, é uma frase provada pela física quântica, nós temos o poder de criar, gerar idéias, alterar o rumo da história. Não importa a idade que você tenha, a sua vida está apenas começando...

A VIDA É UMA GRANDE VIAGEM E O ROTEIRO PODE SER MUDADO A QUALQUER HORA, AS ESTRADAS SÃO MUITAS, MAS PARA ONDE ELAS NOS LEVAM? AONDE QUEREMOS CHEGAR? O QUE QUEREMOS CONHECER?

Para aqueles que precisam daquele toque de charme e de experimentar o melhor que Paris, coração da Europa, mais visitada que Roma, tem e pode oferecer:

1-Vou pular os Museus, apesar de Paris ser a cidade que mais museus e obras de arte tem a oferecer, o clima que um visitante espera é entrar num túnel do tempo e mesmo controlando seu laptop vivenciar aquela aura de magia da Belle Epoque.

LA FERMETTE MARBEUF 1900 das 12h às 15h 19h à 23h30    filés e fricassê de cogumelos, tarte tartin- Era  o restaurante de um hotel que foi demolido e parte deste hotel ficou fechado, por 86 anos. Ninguém mais sabia o que era o prédio e quando resolveram abrir, ( parece que iam demolir ) eles encontraram  o restaurante do antigo hotel já quase esquecido e com uma sala ( peça para visitar ou entre e peça para almoçar ou jantar ali. Você estará cercado pela autêntica art nouveau que ficou quase 100 anos fechada, com vitrais, teto de vidro esverdeado, inúmeros mosaicos e desenhos de MUCHA o artista da belle epoque.. O local é cercado por lojas como VALENTINO, PRADA, e fica bem pertinho, a uma rua do Champs Elysées, quase ao lado do Plaza Athenée ( preços imabatíveis e uma atmosfera francesa de 1800. )

Não é lugar para frutos do mar.

LE PROCOPE - 13 , rue de l´Ancienne Comédie - o mais velho dos restaurantes de Paris- ( dizem que o Tour D ´Argent compete, mas não  é verdade )

das 11h30 direto à 1h da manhã.

( ao sair do Le Procope, você se verá perto da Rue de Buci, muito comum de se ver mercados de rua, feiras livres, mas nada como visitar o Bon Marché de PARIS, que tem 5 kilômetros )

é o restaurante que deu origem a palavra restaurante, pois servia cafezinho a Napoleão, Voltaire, Robespierre, Diderot- o mundo passou por ali.

Você entra, tem dois andares, ambiente acolhedor sem requintes mas tudo de bom, com lembranças dos seus frequentadores.

Lá pode encontrar um prato de frutos do mar com camarões, ostras, tudo, aquela sopa de peixes tb pode ser pedida porque serve pratos de frutos do mar mas tem ótima massa, carnes grelhadas, galinha coq au vin .

Ótimo para comer e passear pelas redondezas.

Au pied de cochon 6, rue coquilière , LES HALLES.

( Conhecidíssimo pela fantástica e insuperável sopa de cebola francesa , que recebe uma crosta de queijo derretido e tem pãozinho mergulhado, uma delícia e as mesas tem pés de porco, a maçaneta é uma pata de porquinho, se entrar, o teto conta a história que ali vivia um barão que tinha uma criação de porcos ( o quente da casa é a sopa famosa , estou contando a história porque tal lugar em Les Halles , é boa pedida, para quem está para caminhar até o Museu de Arte Contemporãnea, o Beauborg, que esteve fechado por anos em reformas e local muito bom, ambiente sofisticado, não deixem de provar um frois gras para comer com pãozinho porque tudo lá é caprichadérrimo e a preço de banana.

Em montmartre ao lado da place du Tertre- Em Montmartre procure a Rue Poubolt, quando estiverem na Place du Tertre, não deixem de visitar a Rue Poubolt n 13, um restaurante que fica escondido, mesas pequenas, uma entrada coberta por eras e flores, muito legal, peçam CASSOULET , o prato mais francês, ou Canard recheado, o melhor. Servem até pudim de leite, e era um antigo atelier do senhor Poubolt.

O imperdível de todos- LE TRAIN BLEU , na Gare de LYON, ( UMA INSTITUIÇÃO FRANCESA)  não há como errar, quem entrar ou chegar na gare, verá em letras azuis no segundo andar, não é uma escadaria, são uns degrauzinhos para subir. Ambientação fantástica, nem o Louvre é tão bonito e tem paredes pintadas com desenhos tão ricos da Côte D´azur...

O tal restaurante hoje tem um bar na entrada e uma moça que recepciona e faz você se dirigir para as mesinahs dispostas como se estivesse num salão mas  com atmosfera de vagão de trem, ( TAPETES E CORTINAS DE VELUDO VERMELHO, LUSTRES QUE SÃO DO TAMANHO DE UMA SALA,) muito luxo, mas comida boa e peçam o vinho que achei mais gostoso, o sancerre , sauvignon blanc.( E MESMO PEDINDO VINHO NÃO SAI CARO, PERGUNTE AO GARÇOM A HISTÓRIA DO RESTAURANTE, POR QUE É CHAMADO DE LE TRAIN BLEU, E MAIS, DENTRO DO RESTAURANTE TEM UMA BOUTIQUE QUE VENDE RELÓGIOS AZUIS - PULSEIRINHA AZUL - COM O TRENZINHO QUE VOCÊ VÊ NO PRATO, E É UMA PECHINCHA,- ERA 300 FRANCOS!!!!! ).

VISITE A ÓPERA GARNIER , aquela central, e faça uma visita pelos salões e conheça  a imensidão d lustre e decoração de época, onde os franceses da alta sociedade iam se mostrar e serem vistos,  você se sente num palácio, e tem visitas a um museu de antigas óperas ali apresentadas, o melhor é o deslumbramento com a riqueza nunca vista e imaginada, a graciosidade, é um encanto... a fila pode estar grande, mas não desistam, valerá cada segundo.

Saindo da Ópera, não cora para a Galerie Lafayette , na rua ao lado existe o PARIS VISION , apenas pergunte onde fica para qualquer um , tem muita gente falando português agora, PARIS VISION conta a história da cidade de Paris narrada por Victor Hugo e é muito gostoso, rápido e barato, faz parte de um todo.

Aproveite para atravessar a rua, sim a avenida e desfrutar do belíssimo Le Grand Café Capucines , no Boulevard des Capucines ( capuchinhos ) que tem ou tinha o teto todo colorido como vitrais... acho que houve uma nevasca que destruiu.

Aqui, no le grand cafe capucines vc está pisando na história, na sala indien, foi realizada a primeira projeção de cinema pelos irmãos LUMIÉRE , ( ISSO MESMO, DENTRO DO RESTAURANTE ) ... quando o trem atravessava as telas ( assim  apavorados  ficaram os primeiros espectadores do cinema e amedrontadaos com a locomotiva que mesmo em preto e branco poderia sair da tela )

Aberto dia e noite:

Uma delícia para os olhos e retoma o ar ad belle epoque, pratos de frutos do mar, existe um de 3 andares que dois podem se servir, e quando fui estava a 24 25 eurios, mas o decor é de 1900, você está a passos da Ópera Garnier 9 somente aberta para apresentações e balet, as grandes óperas se passam na OPERA BASTILLE, onde o ingresso vai de 30, 50, a 300 euros. São óperas monumentais, de 3 horas com intervalo grande para um lanche.

NÃO DEIXEM DE PEDIR ÁGUA BADOIT - A MELHOR ÁGUA NATURAL BARATÍSSIMA E DELICIOSA, A QUE REFRESCA.

DISNEYLAND PARIS - O QUENTE É O RESTAURANTE DO PIRATAS DO CARIBE , SENTIU FOME, AGUENTA PARA ALMOÇAR LÁ, POIS QUANDO VOCÊ PASSA DENTRO DO BARQUINHO VÊ AS LUZES E AS PESSOAS ALMOÇANDO É UMA CURTIÇÃO... dá para sentir o cheiro da comida do restaurante...

SUBAM NA ÁRVORE DO TOM SAWYER, TUDO ARTIFICIAL, CADA FOLHINHA.... VOCÊ FICA ENCAFIFADO PENSANDO COMO CONSEGUIRAM REALIZAR TAL PRODÍGIO...

NÃO PERCA OS FOGOS DE ARTIFÍCIO DA PARADA DA DISNEY, SÃO ENCANTADORES.

O SHOW DE FOGOS DE ARTIFÍCIO PARECE A LEITURA DE UM CONTO DE FADAS, APAGAM-SE AS LUZES DE TODA A DISNEYLANDIA E UMA VOZ, TALVEZ DO GRILO FALANTE COMEÇA A LER E A NARRAR: ERA UMA VÊZ HÁ MUITO E MUITO TEMPO ATRÁS...

AS MÚSICAS NOS CDS SÃO TODAS EM FRANCÊS E LÁ VENDEM CDS MENORES  TIPO SOUVENIRES BARATISSIMOS.

NÃO PERCAM A CASA ASSOMBRADA QUE TEM ARQUITETURA DE NOVA ORLEANS E O PASSEIO DE BARCO...

Parque Asterix- Raríssimo aquele que nunca ouviu falar ou leu ou viu algum dos filmes daquele personagem super simpático que tem seu parque antes da entrada da disney, para quem for de carro, vale a pena visitar.

Se possível só pense em visitar os castelos do LOIRE se for de carro, com conhecidos, porque toda excursão nunca lhe deixa tempo para admirar os jardins e a liberdade de ir aonde quiser...

SOBRE SAINT-GERMAIN, ESSE LUGAR É ESPECIAL, TEM O CAFE DE FLORE ( mais visistado pelos intelectuais, mestres,k artistas, escritores ) E LOGO À FRENTE O LE DEUX MAGOTS, um antigo antro de artistas do cinema. SE QUISER, ENTRE E PROCURE NA PAREDE DO TETO PELA FIGURA DOS DOIS MAGOS. QUER CURTIR UM SOLZINHO E VER OS PARISIENSES... PEÇA UM SORBET OU UM SUCO UM CAFEZINHO E DEIXA O TEMPO ROLAR, PARIS FICA ATÉ 11 HORAS VIVA, COM SOL ATÉ AS DEZ DA NOITE... VAI E COMPROVE...

O MELHOR  SORVETE É DO BERTHILION, QUE FICA NA ILÉ DE LA CITÉ- FÁCIL DE CHEGAR, continue pela rua que o levará à NOTRE DAME , E ATRAVESSE ATÉ CHEGAR NA PRACINHA ATRÁS DA NOTRE DAME ( aproveite para descansar entre as árvores e belos jardins e aprecie os arcobatentes desta fantástica igreja medieval,) ALI ATRÁS VERÁ UMA PONTE QUE TE LEVARÁ A ILHA, PEQUENINÍSSIMA E SERÁ FÁCIL DEMAIS ACHAR O BERTHILION . CADA SORVETE É UMA BOLINHA PEQUENÉRRIMA PARA VC PEDIR OUTRO, TEM MAIS DE 50 SABORES, O DE CHAMPAGNHE E MARACUJÁ, FRUTAS DO BOSQUE, TAMARINDO, SÃO DEMAIS... NÃO TEM NADA DE ARTIFICIAL...

Lembre-se, todos os cinemas de Paris pasam filme em francês, se você entende a língua de Victor Hugo, prossiga, todos os filmes são dublados.

CURTA MONTPARNASSE, PEGUE O METRO E DESÇA NO BIENVENUE MONTPARNASSE OU NOTRE DAME DES CHAMPS. Conheça La Coupole , La Rotonde.

Impossível se esquecer de MONTPARNASSE.

IMPERDÍVEL É A FEIRINHA DOMINICAL OU SÁBADO DE MANHÃ, PARA QUEM VAI PARA A NOTRE DAME, SÃO BARRAQUINHAS VERDES COM CENTENAS DE COISAS PARA COMPRRAR, MINIATURAS, FLORES, ETC... A DOS PÁSSAROS NUNCA VI... mas dizem existir, por isso, não desistam...

SE FOR NA PLACE VÊNDOME , APROVEITE PARA TOMAR UM DRINK NO BAR  OU RESTAURANTE DO RITZ, NÃO SAIRÁ CARO E VC O CONHECERÁ POR DENTRO, NORMALMENTE TEMN ESCULTURAS A MOSTRA NA PLACE VÊNDOME QUE TEM UMA SAÍDA PELOS ARCOS PARA O FINAL DAS TUILERIES , QUE É O JARDIM  QUE VC TEM DE ANDAR ATÉ CHEGAR AO LOUVRE NÃO GASTE SEU TEMPO VENDO AQUELES DOIS MUSEUS NA ENTRADA DAS TUILERIES, PINTURA ABSTRATA E UM QUE GUARDAVA AS NINFÉIAS DE MONET MAS ESTÁ SEMPRE FECHADA E NEM GUARDA MAIS NADA.

ATENÇÃO: NO LOUVRE , NÃO PRECISA SUBIR ESCADAS! DE CARA QUANDO VC ESTÁ NA ALA  MAIS QUENTE PROCURE A ALA DA MONA LISA, VOCÊ VÊ PRIMEIRO A ESCADA ONDE NO TOPO ESTÁ A VITÓRIA DA SAMOTRÁCEA ( ESTÁTUA GREGA ), E logo ATRÁS DE VC, UM ELEVADOR QUE FUNCIONA, ÓTIMO. PEGUE O ELEVADOR SEM FILAS E VERÁ QUE NO PAINEL NÃO TEM UM NÚMERO, MAS O ÍCONE DA CARA DA MONA LISA; APERTE, SAIRÁ NA SALA, E DEPOIS VOCÊ PERCORRE O MELHOR QUE SÃO OS QUADROS DOS PINTORES ITALIANOS ...

SEMPRE QUE ALGUÉM TÁ NA PLACE DE LA CONCORDE , ( A do Obelisco que Napoleão roubou de Luxor, Egito , ) ONDE 300 NOBRES PERDERAM A CABEÇA, SENÃO MAIS, VOCÊ PODE VER AS FONTES RESTAURADAS, TUDO NOVINHO EM FOLHA, DOURADO E LINDO... NADA DE ANDAR NA RODA GIGANTE, OLHE PARA ONDE ESTÁ O HOTEL DE CRILLON, 3.000 A 7.000 DÓLARES A NOITE... VC PODE VISTÁ-LO OU, SE SEGUIR A RUA ONDE NO FINAL TEM A MADELEINE , ( POR ESTA RUA PRINCIPAL VOCÊ VAI PASSAR PELO MAXIM´S , UM DOS MAIS CAROS DE PARIS, AO LADO DO HOTEL DE CRILLON- A IGREJA QUE NAPOLEÃO MANDOU CONSTRUIR E  NÃO PERCA!!!!! LEMBRE-SE DO SALÃO DE CHÁ ATRÁS DELA, NO FAUCHON , A LOJA DOS GOURMANDS E GOURMETS DE PARIS, ONDE TODOS OS CHEFS COMPRAM COISINHAS RARÍSSIMAS E VALE A PENA EXPLORAR, VC PODE COMPRAR BOLSAS CHIQUÉRRIMAS que vem com latas de caviar russo, trufas negras e outras pequenas delícias,) O que vem dentro das bolsas é sempre SURPRESA, e nunca decepcionou ninguém, mas aproveite para comprar uma ou duas caixas de biscoitos e BOMBONS FINÉRRIMOS... AS CAIXINHAS, VAI VER, dá para guardar e são a preços mais acessíveis.


FAUCHON, o reduto gastronômico atrás da Igreja Madeleine

PIGALLE HOJE É UM LUGAR BRABO , DE ASSALTO... CUIDADO- COMPREM SIM UM,A ENTRADA COM ANTECEDÊNCIA NO CRAZY HORSE , VOCÊS SE ENCANTARÃO E TÁ MUITO ACIMA DE PIGALLE E DO MAFUÁ... ATENÇÃO, NÃO É COMO VOLTAR AO MOULIN ROUGE E É MAIS picante QUE O show do LIDO , em plena CHAMPS-ELYSÉES .

COMPRAS? APROVEITE AS OFERTAS DO HOLTEL DE VILLE, OU BAZAR DU HOTEL DE VILLE AO LADO DA PREFEITURA DE PARIS, SEMPRE MAIS EM CONTA que os grandes magazines, exceto a famosa TATI, uma rede popular de supermercados e shopping onde há de tudo.

E NÃO DEIXE DE IR NA SAINT-CHAPELLE... AQUILO ALI É UMA JÓIA DA IDADE MÉDIA, FICA PARA QUEM VAI PARA O PALÁCIO DA JUSTIÇA, NA IÇHA ONDE FICA A NOTRE DAME E AS BARRAQUINHAS... SÓ QUE ESSA IGREJA FICA MEIO QUE OCULTA E DO LADO DO PALÁCIO DA JUSTIÇA, É IMPERDÍVEL E O SEGUNDO ANDAR É ALGO COMOVENTE... POIS VC SE SENTE NUM CÉU DE VITRAIS.

NOTRE DAME AOS DOMINGOS  TEM MISSA COM MUSICA E VOZES DE CORAIS ÀS 10 DA MANHÃ ( OFÍCIOS DE DIMANCHE ) E ÀS 4 DA TARDE E NADA MAIS PARISIENSE QUE A RUE MOUFETTARD , LA MOUF , UMA RUA QUE TEM PÃES COM AZEITONA NA MASSA, FRANCESES, TEM MERCADO DE RUA COM ENORMES CEREJAS E CASAS COM QUEIJOS E CASAS DE VINHOS A PREÇOS INVRÍVEIS... O MELHOR DE PARIS É A PARIS ANTIGA, LA MOUF É ISTO, VAI DESCENDO E VENDO TUDO DE LEGAL E TÍPICO E APROVEITE PARA CURTIR AS PRACINHAS NO FINAL DE LA MOUF , PROXIMO A EGLISE ST. MEDARD. QUE NOME, NÉ? MAS TUDO LINDO.

UM PRGRAMA DISCUTÍVEL MAS BOM, VISITAR O INSTITUT DU MONDE ARABE, MUITO LEGAL, ADOREI. E NÃO TEM RELAÇÃO COM MUÇULMANOS SOMENTE... N TEMAM.

PARIS VISTA DO ÚLTIMO ANDAR DA TORREI EIFFEL, PRECISA DIZER MAIS... Se quiser suba no mirante da Torre de montparnasse ou visite o terraço da SAMARITAINE, uma loja com vários andários...

Vaux-le-viconte -NESTA ÉPOCA VOCÊS PODEM PEDIR PARA MARCAR  NO SISTEMA UMA VAN  BUSCA E DEPOIS LHE ENTREGA NO HOTEL- ESTILO PICK UP AND DROP OFF- DE ABRIL EM DIANTE TODOS OS SÁBADOS OCORRE UM JANTAR DISPUTADÍSSIMO NO VAUX-LE-VICOMTE, NUMA MANSÃO A 60 KILOMETROS DE PARIS, QUE, DIZEM, INSPIROU VERSALHES, ONDE EM DADO MOMENTO ( Mudará da van e entrará de CARRUAGEM !!!! imagine, SÓ !ENTRARÁ POR JARDINS ILUMINADOS POR VELAS E ARTOCHES COMO NA IDADE MÉDIA E TODOS OS SALÕES BRILHAM APENAS COM A LUZ DE VELAS... MÚSICA DE ÉPOCA E JANTAR... ACHO QUE INCLUEM FOGOS DE ARTIFÍCIO DEPOIS NO JARDIM. NÃO EXITEM, É UMA VEZ SÓ NA VIDA.

Os Quais quer dizer docas e circundam o rio SENA. Os QUAIS reserva agradáveis e incontáveis surpresas em Paris!!!! - VOCES PODEM JANTAR Á LUZ DE VELAS NUM DOS BARQUINHOS ANCORADOS PELOS QUAIS, O QUAI MALAQUIAS É AQUELE EM FRENTE A NOTRE DAME... SAIAM ANDANDO POR ALI, PELOS QUAIS... E VÃOS E SURPREENDER COM AS PRACINHAS E RESTAURANTES E LUGARES BONITOS.

Debauve and Gallais em Paris – A RAINHA DAS CHOCOLATERIAS

Incroyables, assortments and mendiants

ANTIGAMENTE ERA AGRADÁVEL
IR A FARMÁCIA...

The truffles at Debauve & Gallais were a favorite of Marcel Proust

Proust amava particularmente essas trufas!!!!

 

The Bourbon crest adorns the boxes, a sign of the King's imprimatur of quality

The Bourbon crest adorns the boxes, a sign of the King's imprimatur of quality

Debauve & Gallais
PARIS
30, Rue des Saints-Pères
75007 Paris

NEW YORK
20 East 69th Street
New York , NY 10021
Phone: 212-734-8880

TEM A CAPELINHA DA MEDALHA MILAGROSA, QUE NOSSA SENHORA APARECEU PARA A MENINA LABOURÉ... FICA DEPOIS DO BON MARCHÈ... MAS QUALQUER COISA A RECEPÇÃO, CONCIERGERIE DO HOTEL INFORMA.

NÃO VALE A PENA IR ATÉ O PANTHEON... Fuja quando alguém lhe chamar para visitar o Marche Aux Puces- é realmente detestável ( mercado de Pulgas ) se a turma por lá não te arrancar a cabeça ou a bolsa etc.

MUSEU RODIN NUNCA FUI e pelo que dizem o bom de lá é o jardim, risível...

PARIS É UMA DELÍCIA PARA ANDAR, AINDA MAIS COM O ESTÕMAGO CHEIO E COM OS DOCINHOS, LÁ SE CHAMAM de ÉCLER . uma das confeitarias de griffe : HERMÉS, LOJA ESPECIALIZADÉRRIMA...se você é daqueles que não podem passar por uma loja de doces sem provar cuidado, os doces lá parecem obras de PICASSO, MIRÓ, são obras primas, dá vontade de tirar até fotografia. A última coisa que você pensaria seria em comê-los.

E lembre-se, Paris é a terra dos quiches. Quiches de alho poro, quiche Lorraine... voc~e pode falar mal de um crepe mas não de um quiche!

SÓ CUIDADO COM OS ÁRABES E ARGELINOS E A TURMA QUE MORA NOS BAGNOLETS, OU PERIFERIAS, PORQUE VEM AUMENTANDO...

O JARDIN DE LUXEMBOURG É OBRIGATÓRIO NESTA PARIS VERDEJANTE E QUENTE, A 23 OU 22 GRAUS, PARECENDO QUE VC ESTÁ NO RIO, QUASE  A SENSAÇÃO DE 30 GRAUS...

JUNHO TEM MÚSICA POR TODAS AS PARTES- HMMMM, AÍ SIM O PASSEIO PELO SENA FICA AGRADÁVEL, TEM UM JANTAR DE GALA E TEM UM MUITO LEGAL QUE É APENAS PASSEIO E INCLUE O LA COUPOLE , RESTAURANTE EM MONTPARNASSE, E ATÉ LEVAM AO CRAZY HORSE , AS VEZES INCLUEM 3 PROGRAMAS JUNTOS... MAS VOCÊS PODEM FAZER SEPARADO... VALE A PENA POIS ELES TE COLOCAM SEM FILA,  ISSO TAMBÉM SISTEMA PICK UP AND DROP OFF QUE VCS ENCONTRAM NOS FOLHETOS DO HOTEL.

Um lugar delicioso, para os amantes da arte e curiosos, é a casa de Monet, o gênio do impressionismo, onde em GIVERNY, há 1 hora de Paris, você passa um dia agradável nos jardins desta casa estúdio, deste pintor que pintou mesmo depois de cego. Há sempre uma parada num castelo próximo ao Moulin de Fougeres... e se delicie com os queijos de cabra da região.

Londres tem o museu de Cêra Madame Tussaud? Paris tem 2 museus de cera que contam a história francesa e seu folclore com direito a agradáveis surpresas, como no Musée Grévin!

DELICIOSO É PARIS À NOITE... POIS NESTA ÉPOCA FAZEM FESTIVAIS DE MÚSICA NA FRENTE DOIS RESTAURANTES, A S PONTES FICAM MASI ILUMINADAS... CURTAM... SE TIVEREM TEMPO VÃO VISITAR A CIDADE DA MÚSICA E DAS INDÚSTRIAS EM LA VILLETE, O BOIS DE BOULOGNE ANTES DO ENTARDECER...

NÃO DEIXEM DE IR AO BELÍSSIMO la defénse , TEM UM METRÔ QUE DEIXA VOCES LÁ... E É UM LUGAR TOTALMENTE DIFERENTE ONDE TEM O NOVO ARCO DO TRIUNFO QUE VC SOBRE COM ELEVADORES PANORÃMICOS. DÁ PARA SE VER TODO O CHAMPS ELYSÉES LÁ DO ALTO.

A maior furada é pegar um táxi, eles são caros e muitas vezes, aqueles que notam que você é um visitante vão te depenar, corra dos táxis LIBRES, quando todos fazem fila para usar outro tipo de locomoção. Os ônibus são confiáveis, mas o metrô é insuperável.

Coca Cola em Paris é mais cara do que vinho. Evite aquele cafezinho após a refeição, aumentará e muito sua despesa. Quer tomar um bom vinho? Vá até o mercado e use o frigobar do quarto, cada garrafa custa o cálice num restaurante.

Fora isso, PARIS só lhe trará boas, imensas, calorosas, únicas, magníficas, esplêndidas RECORDAÇÕES!

E nada de trazer um pratinho ou louça, porcelana ou biscui de LIMOGES, e finja que esqueceu da gorjeta que era ( e continua sendo ) quase obrigatória, - e gorjeta lá não são 10 %, mas 20%...- pague e saia de fininho. Em alguns lugares finja que esqueceu que estava levando na bolsa o cardápio também, quer melhor souvenir que os cardápios franceses?

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

as_crianas_de_the_sound_hoje.jpg

As crianças Von Trapp 40 anos depois, abaixo e á esquerda, a atriz Angela Cartwrght.

A FAMÍLIA VON TRAPP DO CINEMA REVISITANDO A ÁUSTRIA.


Let´s start at the very beginning, a very good place to start... When you sing you begin with A-B-C

When you sing you begin with DO-RE-MI

The first three Notes just happen to be...

LUIZ ZATAR TABAJARA- TURISMO E CINEMA

andrews-julie.jpg

O mundo inteiro cantou em Russo, Japonês, Italiano com a jovem atriz recém-saída de um dos filmes de Disney mais bem dirigidos e que abocanhou 5 OSCARS. O próprio Walt Disney ao saber que Robert Wise buscava uma atriz e que esse papel já estava sendo negociado com Doris Day, munido do copião do filme antes de sua pré-estréia no Chinese Theather em Los Angeles, Hollywood Highlands, praticamente levou ao Diretor Robert Wise a escolha da babá e governanta para um filme que tiraria a TWENTY CENTURY FOX da falência eminente.

Julie Andrews, em seu 3 filme, aos 30 anos de idade encantou as crianças da década de 60, a década que trouxe os Beatles, o psicodelismo, as primeiras inovações no campo da computação pela IBM e também a Guerra do Vietnam para os lares americanos.

Enquanto isso, lá nos Alpes Austríacos, uma jovem chamada Maria roubava o lugar da antiga Condessa ( Eleanor Parker ) que se casaria com o pai da Família Von Trapp ( Christopher Plummer ).

mary_poppins_01.jpgEsse musical que fascinou e fascina milhões até os dias atuais só demonstra que a beleza e a doçura, aliados ao carisma, ao magnetismo de Julie Andrews. Foi no mesmo ano que seu personagem Eliza Dolittle, que ela interpretara na Broadway na companhia de Rex Harrison, foi dado a outra atriz, Audrey Hepburn pois Jack Warner não podia confiar numa novata para protagonizar tal papel. Assim, na festa do Oscar daquele ano, 1965, Julie ganhou um Oscar como melhor atriz por Mary Poppins deixando Audrey Hepburn a ver navios.

poppins2combird.jpgMary Poppins parecia ter sido um filme destinado a Julie Andrews: uma babá inglesa que voa pelos céus ao favor do vento através das páginas dos livros de Pamela L. Travers, que por mais de uma década, recusou-se a vender os direitos autorais de sua obra. Julie, uma inglesinha nascida em Wells-on-Thames conquistou o coração de Pamela e o filme só não saiu antes devido a primeira gravidez de Julie, recém saída do Musical da Broadway Camelot.

THE SOUND OF MUSIC, também foi apelidado pelos executivos da Fox por The Sound of Money, pois foi o filme que salvou os estúdios Fox da falência.

SOMETHING GOOD- Julie Andrews regravou inúmeras vezes essa cena, pois não imaginava

alguém cantando tão próximo ao rosto de alguém, como do seu partner, Christopher Plummer.

A fox cogitou inicialmente de Yul Brinner interpretar seu papel...

sound_of_music_gazebo.jpgA história, em parte real, baseada na Família Von Trapp, nos mostra que eles não tiveram de fugir dos nazistas e sim partiram de trem pela fronteira para a Itália escolhendo a America como novo lar. Obviamente, coube a Richards Rodgers and Oscar Hammerstein os principais créditos pelas músicas que ficaram imortalizadas na voz cristalina dessa jovem inglesa cujo sucesso vem atravessando mais de 4 décadas e várias gerações.

sound-of-music-1.jpg

Nos jardins do Palácio Mirabell com a coreografia de Dee Dee Wood.

julie_fora_da_filmagem.jpg

Percorrendo as marcações durante as filmagens.

percorrendo_salz_de_bike.jpg

Cena inédita dos arquivos da Twenty Century Fox -1964

Doe, a deer, a female deer,
Ray, a drop of golden sun
Me, a name I call myself
Far, a long, long way to run
Sew, a needle to pull and thread
La, a note to follow Sew
Tea, a drink with Jam and Bread
That´s bring us back to DO

Quem não cantou essa musiquinha ou não ouviu o disco de vinil até gastar? A America conhecia essas letras desde que Mary Martin ( mãe de Larry Hagman, o Capitão nelson de Jeanie é um Gênio e protagonista da série Dallas ) foi a primeira Noviça a cantar essa canção. Volta e meia a peça volta à Broadway em novo remake, desde 1953.

soundofmusic200x350.jpg

Julie e as crianças na escadaria do Palácio Mirabell, onde ao fundo tem a fonte com Pégasus

sound-of-music-7.jpg

O Capitão von Trapp da marinha Austríaca tinha um apito para comandar seus 7 filhos. Liesl, Friederich, Louisa, Kurt, Brigitta, Marta, Gretl.

- Apito são para cães, animais, não para pessoas!- reclama Fraulein Maria.

- Sim, Capitão, digo, Fraulein Maria!

anifcastle.jpg

O castelo de Anif, que reina sobre um lago, pode ser visto de um muro de pedras alto, com um portão igualmente assustador. A propriedade não recebe visitas e vemos esse castelo numa das cenas de abertura.

Quem irá se esquecer de Julie cantando MY FAVORITE THINGS ou as prórprias crianças cantando junto ao pai Edelweiss, música que se ouve até os dias de hoje nas grandes cervejarias de Munique. Quem não desejou ter um teatrinho de fantoches, ou pode esquecer da cena em que Julie Andrews durante um temporal canta com as crianças no quarto para fastar delas o medo dos trovões?

EDELWEISS, EDELWEISS, EVERY MORNING YOU GREET ME/ SMALL AND WHITE CLEAN AND BRIGHT, YOU ALWAYS LOOK HAPPY TO MEET ME BLOSSOM IN SNOW MAY YOU BLOOM AND GROW/ BLOOM AND GROW FOREVER

EDELWEISS, EDELWEISS, BLESS MY HOMELAND FOREVER ...
ALL THE SAINTS BLESS YOU JULIE ANDREWS

a_novia_40_anos_depois.jpg

Julie durante os 40 anos de THE SOUND OF MUSIC.

zatarsundofmusic.jpg

A frente da casa onde estou.

palacioleopoldskron.jpg

Os fundos da casa onde Maria e as crianças estão voltando num barco, sob os

olhares do Capitão e da Baronesa Von Schraeder. Este é o Palácio Schloss Leopoldskron,

hoje propriedade de Harvard. Como usaram duas casas, você nota que uma tem a frente amarela, cor das casas dos nobres austríacos. Foi no Scholss Leopoldskron que a Faculdade de Harvard costuma utilizar para fazer seus seminários. Era lá onde Liesl and Rolf cantam e dançam em meio a chuva dentro de um Gazebo, nos jardins da casa, a canção SIXTEEN GOING ON SEVENTEEN.

som_liesl_and_rolf_03.jpg

O Gazebo ficava nos jardins do Schloss ( castelo em alemão ) Leopoldskron, mas agora qualquer um pode visitá-lo nos jardins de tulipas do Hellbrunn Palace.

O Frohnburg castle onde estou bem na frente era a residência dos príncipes arcebispos por volta do séc. XVII, com seu estilo barroco é visto também nas cenas em que a Família Von Trapp arrasta o carro para não fazer barulho, na sua fuga dos nazistas que ocuparam SALZBURG.

A casa onde Maria surge logo no início do filme ( tem um ônibus que a leva até lá, hoje a mesma empresa o transformou na Panorama Tours ) vemos que ela percorre um caminho ladeado de árvores cantando I HAVE CONFIDENCE IN ME, pulando com uma bolsa e seu violão.

frohnburg_01.jpgPor um momento, quando ela avista a enorme mansão do Capitão e seus sete filhos ela volta a sentir medo, que a paraliza, mas respira fundo e toma coragem, entrando aos tropeções pelo jardim da casa.

soundofmusiccenas02.jpg

soundofmusicscenes.jpg

filmando_em_lepoldskron_pond.jpg

as_crianas_von_trapp_e_julie_levando_um_balde_dgua.jpg

Cenas durante as gravações, um balde d´água para molhar Julie Andrews e as crianças usando as roupas feita por cortinas.

mondsee-cathedral-big.jpg

Quero mostrar a vocês o que fizeram das antigas locações e como Hollywood usou cenários e igrejas ( a tomada do casamento de Julie Andrews foi filmada 8 vezes para dar a impressão de amplidão do interior da pequena igreja barroca, distante da imponente Catedral de Salzburg, localizada em Mondsee, ou Lago da lua ). A imponente catedral que domina o centro de salzburg, data do ano de 700. E se você procurar pelas catacumbas de St. Peter, onde a família Von Trapp se esconde dos nazistas verá que elas existem, mas apenas serviram de inspiração, pois Hollywood as copiou e levou para recriá-las nos estúdios em los Angeles, pois colocou as catacumbas para o interior do Convento de Noonberg onde Maria vivia com as irmãs.

A IGREJA BARROCA EM MONDSEE, fora de SALZBURG e abaixo a CATEDRAL de SALZBURG onde escutamos os sinos de seu casamento. Ao lado desta igreja existe sempre uma feira de souvenires e produtos locais, sementes de Edelweiss e cervejarias montadas em tendas que servem Bratwurst com xucrute e suas cervejas num caneco de 1 litro!

salzburg_cathedral_de_774.jpg

salzburger_cathedral_2.jpg

O FILME É A PRÓPRIA SALZBURG, O CORAÇÃO DA ÁUSTRIA. NÃO FOI À TOA QUE JULIE FOI CONDECORADA EMBAIXATRIZ DAQUELE PAÍS!


julie.jpgA cena mais curiosa talvez seja o final, quando Robert Wise filma a família subindo pelas montanhas para fugir dos nazistas e as tomadas foram feitas no lado que dá para a Alemanha, ou seja, eles estavam fugindo para o lado errado.

Mas é uma delícia ver o Üntersberg, a grande montanha que aparece como pano de fundo no início da filmagem. Viocê sobe por teleféricos e assiste várias pessoas descendo a montanha ao esquiar. A Panorama Tours é uma empresa que leva você a quase todos os lugares das locações, e no filme, Julie chega até a casa dos von Trapp através do õnibus da mesma empresa.

 

a_cena_do_incio_feita_pelo_helicptero.jpg

A cena de abertura do filme, foi exatamente a última a ser filmada e durante esse período costumava chover dias seguidos em SALZBURG dificultando as filmagens. Foi necessário muito esforço de toda equipe para refilmarem mais de vinte vezes a tomada de helicóptero que apanhava a jovem noviça no topo da montanha e para evitar cair ao chão, Julie usou o artifício de sair rodopiando para se manter de pé enquanto o helicóptero se aproximava em virtude do vento.

julie_na_montanha.jpg


A SEGUIR UM TOUR COM LUIZ ZATAR POR SALZBURG

THE HILLS ARE ALIVE WITH THE SOUND OF MUSIC

the_opening.jpg


The hills are alive with the sound of music

With songs they have sung

for a thousand years

The hills fill my heart with the sound of music

My heart wants to sing every sound it hears

My heart wants to beat like the wings of the birds

that rise from the lake to the trees

My heart want to sigh like a chime that flies

from a church on a breeze

To laugh like a brook when it trips and falls over

stones on its way

To sing through the night like a lark who is learning how to pray

I go to the hills when my heart is lonely

I know I´ll hear what I´ve heard before

My heart will be blessed with the sound of music

And I´ll sing once more

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

JULIE ANDREWS NA COREOGRAFIA DE UM NÚMERO MUSICALsoundontheset.jpg

 

 

 

 

( O TERCEIRO MILÊNIO E AS CRIANÇAS DA LUZ )

LUIZ ZATAR TABAJARA baseado em trabalhos do grupo André Luiz , Paulo Giardullo e as palestras de Celso Nogueira.

Crianças Ìndigo começam a chegar em todas as partes do planeta, dentro de todas as classes sociais e serão elas que efetuarão a grande mudança planetária.

Hoje em dia fala-se muito acerca duma nova espécie de seres humanos que está a chegar ao nosso mundo. São descritos como sendo criativos, excêntricos, independentes, que agem como se fossem "realeza", impacientes com o status quo, "destruidores do sistema", que possuem um elevado grau de integridade e altamente intuitivos. Diz-se inclusive que alguns possuem "dons" sobrenaturais que usarão para "curar o mundo". Apesar de nenhum rótulo se encaixar com exactidão, são por vezes apelidados de "Índigos", "Cristais" ou "Star Children".

"A Evolução Índigo"

Documentário que explora o fenómeno das Crianças Índigo

Inicialmente, os pais e professores começaram por ganhar consciência de uma nova geração de crianças, agora conhecidas como Índigos . Pouco tempo depois, médicos, psicoterapeutas e outros começaram a estudá-las. Os cépticos facilmente menosprezaram o fenómeno. Programas como USA TODAY ou GOOD MORNNG AMERICA e estações tão conceituadas como a CNN relataram recentemente o crescimento do fenómeno Índigo.

Agora chega The Indigo Evolution o primeiro documentário em longa-metragem sobre o assunto.

“ Quer estejam eles a criar lindos quadros, a escrever músicas e poesia que nos tocam na alma, ou a ajudarem a tornar este mundo um sítio melhor, conhecermos as Crianças Índigo neste filme dá um profundo sentimento de optimismo para o futuro do planeta ” explica Twyman “ Nós fizemos este filme para inspirar as crianças e os seus pais por todo o mundo a demonstrarem que, de coração aberto e de mente aberta, nada é impossível ”.

Twyman interessou-se por este assunto em 2001, quando conheceu um jovem rapaz búlgaro, chamado Marco, que parecia ter capacidades psíquicas poderosas. Depois de conhecer outras crianças com estas características num mosteiro na Bulgária , escreveu sobre o fenómeno no seu livro “ Emissary of Love ”. Passado pouco tempo, outras Crianças Índigo começaram a entrar em contacto com ele, algumas aparecendo-lhe literalmente à porta de casa. Desde então, James Twyman e a sua organização, The Beloved Community , patrocinaram conferências onde são as próprias crianças que falam.

Talvez você já tenha ouvido falar das crianças Índigo , talvez você seja uma delas. Possivelmente somente uma nova qualidade de ser humano que esteja aberto perceptivamente possa sobreviver aos dilemas criados por tantas eras de lutas e sofrimentos.

Talvez estes seres do amanhã ( do hoje ), as crianças das estrelas , como vem sido mais conhecidas consigam efetuar esta mudança que tanto esperamos e que gradualmente todos nós estamos assistindo de forma alarmada, chocados com o grau de degradação e barbárie da espécie humana nos dias atuais. É em meio a esse caos estarrecedor que interrompo minha coluna de Turismo para falar sobre as crianças do Terceiro milênio , já previstas por Pietro Ubaldi, que fala sobre a reencarnação na Terra de pessoas especiais com sensibilidades raras, de forma massiva, o que causará uma revolução mundial dentro de poucos, pouquíssimos anos, e para aqueles que não estão entendendo nada do que estou falando, recorri a parapsicóloga que assim as denominou: Crianças ìndigo.

Não me espantaria nem um pouco se você, leitor, fosse uma delas, e certamente se você for um ser de luz, certamente estará entendendo a razão pela qual interrompo um espaço de Turismo para tocar nos ombros das pessoas e falar: Ei, acordem, vejam, o mundo não está acabando, nem vai ser consumido por homens bombas e armas nucleares. Vocês se esqueceram de que o homem não pode viver sem Deus, sem sentidos e significados... o homem precisa de sonhos para se reconstruir e é esse homem velho e arcaico que viveu acorrentado sob a égide das regras e normas de um primitivismo que vemos em seus dias finais, pois esta figura pertence a um passado sem volta,e não encontrará lugar na sociedade que se instaurará nos dias que virão. Lembrem-se que foi este homem primitivo que construiu asilos e prisões, psicotrópicos e drogas, botox e e toda espécie de artificialismos; destruiu a arte transformando-a em meros produtos de consumos nas prateleiras dos supermercados, como citou Andy Warhol, que participou das cruzadas religiosas e criou parques de diversões temáticos, que colocou uma pá de cimento sobre o cemitério em que se transformou as grandes cidades alemães e inglesas depois da segunda guerra mundial, que semeou bombas atômicas ao mesmo tempo que vendia magia na voz de Judy garland com o Mágico de Oz. Homem de triste passado, protagonista das grandes guerras de dominação e submissão de povos... É este homem que lia Foucalt, Huxley e Orwell que vemos hoje entregue a um vazio aparentemente irremediáve de sentidos, o típico homem que viu o fim da idade moderna ser sepultada por um pós modernismo que transformou-o em mero agente consumidor da sociedade pós moderna, onde reina o capitalismo avançado justo no momento em que os últimos profetas do apocalipse exasperam-se em falar na destruição iminente do nosso planetinha Terra, calcado em simples previsões de natureza de ordem climática, que está provocando o rápido degelo dos polos, ciclones e tufões, o chamado fenômeno efeito estufa causado por décadas de emissão de gás carbono e poluentes, que promete o desaparecimento das neves nos alpes, a elevação do nível do mar ( que fará sumir ilhas e cidades costeiras em menos de 80 anos ) e cujas medidas para evitar ou minimizar tais desatres já são de natureza quase irreversível.

Filósofos, espiritualistas, grandes mentes do passado esperavam por esta transformação genial, que mudaria radicalmente a face do globo terrestre. Para muitos, será mesmo o fim de quase tudo que se acreditava como perene ou eterno. Alguns falavam na vinda do Messias, do próprio Jesus. Estamos vivendo uma época em que todas as antigas instituições estão caindo por terra, em que estamos face a face com o desconhecido, vivendo situações bíblicas e profecias em tempo real, podemos dizer que somos testemunhas oculares do apocalipse de São João porque nada mais parece funcionar e enquanto esse panorama não muda, assistimos verdadeiras hienas se banquetearem em altos cargos na política, abusando de todas as formas do direito a elas delegadas, cada vez atacando os cofres públicos com mais sede e voracidade como aves de rapina. Se alguns falavam em final dos tempos, eles chegaram ontem e pode se encontrar a prova disto em cada esquina de cada grande cidade, seja nas banca de jornais, tv, rádio; o claro declínio da sociedade antes próspera, hoje evidentemente adoecida e abandonada, valores e princípios de pernas pro ar, num mundo que se voltou para a corrupção, o imediatismo, a criminalidade versus impunidade, ou na forma dura da fome a que milhões de seres estão sendo submetidos, bem como nas doenças e no egoísmo que torna cada ser mais cônscio de que tal mundo está realmente chegando ao seu final.

As grandes mudanças começaram na derrocada das velhas estruturas. A esses novos tempos, estranhíssimos para alguns que já anteviam o Demônio no cartão de crédito, no chips que querem implantar nos dedos, testa ou palma da mão, a presença do anticristo ou a marca da besta apocalíptica representatada pelo número 666. Tudo que antes era ficção científica hoje é realidade, desde os seres sem alma de Blade Runner ( os andróides replicantes, vide os nossos clones e nos seres cheios de artificialismos que estamos nos transformando ) a queda das torres Gêmeas simbolizando a queda do Império Ocidental ( World Trade Center ). O que você assistia na destruição das torres e dos aviões da American Airlines sendo arremessados como mísseis sobre os prédios parecia cena de filme de ficção. Hoje sabemos que tudo é possível. A história do mundo pode muito bem se dividir no antes e depois da queda do mito da sociedade Americana, até então marcada como o grande herói do mundo, que devolveu a liberdade e a democracia a Europa e ao ocidente, mas que em troca, todos pagamos um preço muito caro.

O verdadeiro horror dos dias atuais narrado por Aldous Huxley, George Orwell e Foucalt

Estamos vivendo as cenas de seres controlados por drogas, para não sentir dor e servir ao estado como escravos, como no Admirável Mundo Novo de Huxley . Não são justamente a utilidade-docilidade que o Alto Poder busca implacavelmente? O sistema mantém as pessoas úteis, através de todo aparato que cerca o indivíduo. A noção de utilidade chega ao extremo aterrador da produção prévia dos indivíduos em uma fábrica, com a posição social e as funções já predestinadas: Alfas, Betas, Gamas etc. Essa utilidade segue depois com o ajustamento do indivíduo ao seu trabalho em uma rede rigidamente hierarquizada e controlada, de acordo com suas castas. A docilidade é garantida com os mesmos mecanismos que garantem a utilidade, mais os mecanismos massificadores, como a Indústria Cultural de baixíssima qualidade que inibe a criatividade e o pensar, além de todos aqueles itens clássicos analisados por Huxley, como a sugestão, a propaganda, a oferta farta de sexo, prazer, conforto tecnológico, consumismo e a droga Soma como lenitivo. Mas esses elementos de massificação, de felicidade, também acabam contribuindo para a utilidade, pois até o prazer e o lazer são direcionados para se gerar consumo, movimentar a engrenagem capitalista. Theodor Adorno, um dos filósofos de Frankfurt, diz isto, quando fala que na sociedade capitalista, regida pela Indústria Cultural, o nosso lazer é direcionado pelo sistema para se adequar à relação produção/consumo. O lazer na verdade é uma continuação do trabalho na fábrica, uma preparação para aquele . Em Admirável Mundo Novo , os passeios e os esportes são planejados pelo Estado, de acordo com os interesses da engrenagem. A relação com nossos esportes atuais é óbvia. Por falar em corpos e utilidade, os corpos dos falecidos eram cremados em uma usina para se produzir energia... encerrando-se assim o ciclo de utilidade. Na verdade, a impressão que se tem em AMN e também em Vigiar e Punir de Foucalt é que o Estado quer tornar o ser humano um autômato, aproximá-lo o máximo possível de um robô ou dos “insetos sociais” (abelhas e formigas) como diz Huxley no ensaio Regresso ao AMN. O Estado quer tornar o homem previsível, útil, domesticado, para cumprir suas funções sociais, ter sua alimentação, descanso, lazer e morrer com o “mínimo de complicações possíveis” (Huxley, Regresso AMN). E após a morte ainda dar lucros, seja com seu corpo transformado em energia, como em AMN, seja em dinheiro, através da venda dos seus órgãos, com gastos funerários, com seguros ou qualquer outra forma.

Docilidade e Utilidade também são a tônica de 1984. Utilidade dos corpos para servirem no engodo da guerra lucrativa e ilusória. Utilidade para manterem a produção que sustenta a elite burocrática do Partido, enquanto ficam na miséria, enganados pela propaganda da Grande Tela sobre o “aumento astronômico da produção de alimentos e produtos”, enquanto Winston vê que usa a mesma lâmina de barbear há meses, e que os alimentos são escassos e de má qualidade e ainda que nem as vidraças quebradas dos edifícios são trocadas. Mas como 2+2 são cinco... Docilidade, porque submetidos ao sistema de vigilância contínua da Grande Tela/Panóptico, em um ambiente de ansiedade por delações, torturas e condenações com a anulação do ser , mais do que a morte, os cidadãos não tem como esboçar nenhuma relação efetiva, quando até o pensar diferente do Estado constitui crime. Isso me faz lembrar da religião, quando eu era menino me falavam: até se você simplesmente pensar uma coisa suja, pecaminosa, você já pecou contra Deus. Deus, o Grande Irmão? Na ditadura militar, o indivíduo não poderia se reunir que já poderia constituir uma conspiração (Vide Metrô Linha 743 de Raul Seixas), em 1984, um simples esboço no cérebro de crítica ao Estado já era pecado capital, digo, crime fatal, Crimidéia. Essa docilidade de 1984, porém, pode ser melhor representada com a aceitação dos indivíduos de toda a sua opressão. O ponto-chave de todo o sistema, era o fato de que o cidadão achava (ou era levado a achar) que o Estado tinha razão, que ele, o indivíduo era o culpado em cometer o Crimidéia e que o Estado não fazia mais do que sua função natural de “Vigiar e Punir” de Foucalt . A chave de tudo, é como na inquisição, não basta apenas a condenação, a morte do herege, é preciso e fundamental sua conversão. Que ele ame, ao final, a Igreja ou o Grande Irmão. E isto se consegue em 1984 com os recursos aterradores de Ivan Pavlov, com suas teorias do adestramento, que deu uma roupagem científica aos conhecimentos práticos dos inquisidores. A violência das violências! Muito mais do que qualquer tortura ou destruição física, é o fato de se injetar um novo pensamento, uma nova doutrina através da lavagem cerebral. Reduz-se aquilo que nos faz humanos, a nada. Poderíamos dizer que é o máximo da desumanização. É como se programar, literalmente, um robô .

Mas, como disse Charles Chaplin, “não sois máquinas, homens é que sois”. Se Huxley estivesse vivo, diria: “Não sois abelhas, nem formigas, homens é que sois”.

AS CRIANÇAS DA LUZ:UMA NOVA ETAPA NA EVOLUÇÃO HUMANA?

Mas, eis que de repente, todos voltam-se para falar sobre esse estranho fenômeno, são crianças que estão chegando à Terra, cada vez mais e mais... encarnando em todos os países, em todas as raças, em todos os níveis sociais, nas aldeias mais distantes e nas cidades mais populosas e muito... muito possivelmente dentro da sua própria família, bem debaixo do seu nariz!
As Crianças Índigo são crianças fabulosas que estão encarnando aqui na Terra há bastante tempo, mas vinham poucas delas, até que depois da segunda guerra mundial começaram a vir em maior número e a partir da década de 70 então, começaram a chegar em ondas, cada vez mais e mais delas. Hoje, os dados são impressionantes! Pesquisadores americanos estimam que depois de 1995 oitenta e cinco por cento dos nascimentos ocorridos na Terra é de crianças índigo!
Fica muito evidente que alguma coisa está acontecendo. Mas, o quê?

Continua Celso Nogueira: As pessoas despertas acordarão como de um sonho com seus centros de energia totalmente abertos, livres do véu do esquecimento, tanto pessoal quanto planetário, pertinentes à terceira dimensão. As pessoas começarão a se reconectar com suas origens e propósitos da alma, que é o retorno da Consciência Crística para o planeta.
Um novo campo de percepção está disponível para aqueles que aprenderem a ver as coisas de uma outra forma. Desde a década de oitenta, quando a Terra começou a penetrar no cinturão de fótons, estávamos nos sincronizando com a quarta dimensão e nos preparando para receber a radiação de Alcione, estrela de quinta dimensão.
O véu do esquecimento que envolve o nosso planeta cairá de tal modo que os primeiros Semeadores de Vida na Terra, vindos de outros sistemas, reaparecerão nos auxiliando a firmar uma nova civilização e a incorporar uma nova realidade.
Prestem atenção, eu vou repetir: O véu do esquecimento que envolve o nosso planeta cairá de tal modo que os primeiros Semeadores de Vida na Terra, vindos de outros sistemas, reaparecerão nos auxiliando a firmar uma nova civilização e a incorporar uma nova realidade.
Meus irmãos... é aqui que entram as Crianças Índigo - essas crianças fascinantes... fantásticas... fabulosas... que são o próximo passo na nossa evolução como espécie humana. Vocês se lembram da novela " Mulheres Apaixonadas " que a Globo apresentou há algum tempo atrás? Vocês se lembram da Salete? Aquela menininha que tinha visões, que previa acontecimentos... pois bem, é o próprio autor da novela, o escritor Manoel Carlos, que fala:nos Estados Unidos ouvi falar muito das Crianças Índigo. Salete é Índigo. Ela tem uma percepção da Luz, vê anjos, prevê acontecimentos, tem premonições...
As Crianças Índigo são crianças espetaculares. E estão chegando para ajudar na transformação social, educacional, familiar e espiritual de todo o planeta, independentemente de fronteiras e de classes sociais. São catalisadores desencadeando as reações necessárias para a transformação.
Elas possuem uma estrutura cerebral diferente no tocante ao uso da potencialidade dos hemisférios esquerdo, menos desenvolvido, e direito, mais desenvolvido. Isso quer dizer que elas vão além do plano intelectual. Elas exigem do ambiente à sua volta certas características que não são comuns nas sociedades atuais. E elas vão agir, aliás, já estão agindo, através do questionamento e transformação de todas as instituições rígidas que as circundam, começando pela família. Família que se baseia na imposição de regras, sem tempo de dedicação, sem autenticidade, sem explicações, sem informação, sem escolha e sem negociação. Essas crianças simplesmente não respondem a essas estruturas rígidas, porque para elas é imprescindível haver opções, relações verdadeiras e muita negociação. Elas não aceitam serem enganadas porque elas têm uma intuição para perceber as verdadeiras intenções dos adultos e não têm medo. Portanto, intimidá-las não traz resultado, porque elas sempre encontrarão uma maneira de obter a verdade.
A segunda instituição vulnerável à ação dos Índigos é a escola. Hoje, o modelo de ensino é sempre imposto sem muita interação, um modelo feito para o hemisfério esquerdo do cérebro, o racional, o lógico, incompatível com os Índigos que naturalmente têm o hemisfério direito mais desenvolvido, o que lhes dá o grande poder intuitivo, a grande capacidade de percepção extra-sensorial. Como elas possuem uma estrutura mental diferente, elas resolvem problemas conhecidos de uma maneira diferente, além de encontrar formas diferentes de raciocínio que abalam o modelo atual de ensino.
Assim, através do questionamento, elas influenciarão todas as demais instituições, o mercado de trabalho, a cidadania, as relações interpessoais, as relações amorosas, as instituições espirituais, pois elas são essencialmente dirigidas pelo hemisfério direito.

Mas por quê índigo? Por que Crianças Índigo?

O nome : Criança Índigo refere-se à cor da sua aura, o azul-índigo, que indica uma aura de Mestre. São crianças especiais que decidiram encarnar no nosso planeta com uma missão e um objetivo específico: são guerreiros, detonadores de sistemas! Elas já vêm ao nosso planeta há bastante tempo. Alguns até argumentam que Jesus e Budha eram índigos, pois a missão deles, numa escala global, era mudar a consciência da humanidade.
Nos anos setenta, começaram a vir em ondas. Muitos deles... seres que hoje estão nos seus vinte...trinta anos, a geração guerreira que começou a desafiar e a mudar os velhos sistemas. Nos anos oitenta e noventa, mais e mais ondas de índigos chegaram, agora com uma sensibilidade e refinamento maiores ainda! E no final dos anos noventa e início de dois mil eles estão ganhando a companhia das " Crianças Cristal " que chegam também como guerreiros... mas guerreiros espirituais!
Presentemente, nós estamos vendo uma geração de Mestres vindo para o nosso planeta, essas crianças fantásticas também chamadas de " Crianças das Estrelas". Elas são a nossa esperança para o futuro, elas são a nossa esperança para o presente.

ORIGEM DA DENOMINAÇÃO ÌNDIGO: (conforme a Wikipédia )

No ano de 1982 , a parapsicóloga Nancy Ann Tappe desenvolveu um sistema para classificar os seres humanos de acordo com a côr da sua aura espiritual. No seu livro: "Compreenda A Sua Vida Através Da Cor" faz um estudo sobre "as cores da vida". Segundo Tappe, cada pessoa possui uma certa côr na sua aura em função da sua personalidade e interesses.

No caso das crianças índigo, a sua aura tende a mostrar cores anis ou azuis, a qual reflecte uma espiritualidade mais desenvolvida.

A citada Nancy Ann Tappe disse ter detectado pelo seu método, que as auras de côr índigo começaram a aparecer década de 80 do século XX e que tem uma tendência a proliferar, o que parece justificar o seu papel de transformação da sociedade num futuro breve.

Características gerais

As crianças índigo mostram uma série de atributos sensoriais recorrentes, como a hipersensibilidade auditiva ou a hipersensibilidade táctil.

De igual forma, estas crianças têm um padrão de comportamento similar entre eles, a mencionar:

  • Chegam ao mundo sentindo-se reis, e a curto tempo se comportam como tais.
  • Têm a sensação de merecer estar a onde estão, e se surpreendem quando os outros não a partilham.
  • Não têm problemas de valorização pessoal, a curto tempo os dizem a seus pais quem são.
  • Custa-lhes aceitar a autoridade que não oferece explicação nem alternativa.
  • Negam-se a fazer certas coisas, como por exemplo esperar numa fila.
  • Sentem-se frustrados com os sistemas ritualistas que não requerem um pensamento criativo.
  • A curto tempo encontram formas melhores de fazer as coisas, tanto em casa como na escola.
  • Parecem ser anti-sociais, a menos que se encontrem com pessoas como eles.
  • Não reagem pela disciplina da culpa.
  • Não são tímidos para manifestar as suas necessidades.

Você acha difícil identificar uma criança ìndigo?

É fácil identificar um Índigo pela sua sensibilidade, criatividade, espiritualidade e padrões gerais de comportamento.
Como crianças, elas se parecem com todas as outras crianças, embora sejam freqüentemente bonitas e com olhos penetrantes. São sempre altamente inteligentes e cheias de perguntas e exigências. Têm muita energia, são muito ativas, têm muita força de vontade e um senso forte do seu próprio valor e importância. Sabem que são especiais e que estão aqui para fazer alguma coisa significativa. Possuem amigos "imaginários" e adoram fadas e golfinhos.
A inteligência excepcional das crianças índigo pode ser exasperante para os adultos. Ninguém lhes dirá o que fazer, elas quererão debater e negociar cada instrução, cada ordem. Até que os pais aprendam que estão sendo ensinados e aprendam a respeitar o direito de escolha da criança e honrar essa escolha, eles continuarão a ser confrontados com lutas de poder e batalhas de força de vontade. A maneira correta de lidar com um Índigo é de estar disposto a negociar, explicar, dar-lhe escolhas. Ordens como "Faça assim porque eu estou mandando" só produzirão hostilidade e indiferença.
Os Índigos geralmente não gostam nada-nada da escola. Ficam entediados pelo passo vagaroso e pelas tarefas repetitivas. Aprendem através do nível de explicação, resistindo à memorização mecânica ou a serem simplesmente ouvintes. São hiperativos, distraem-se com facilidade, tendo baixo poder de concentração. Têm alta sensibilidade, não conseguem ficar quietos ou sentados, a menos que estejam envolvidos em alguma coisa do seu interesse. Por serem orientados pela parte direita do cérebro, quando adultos, são geralmente atraídos por atividades e ocupações que usam o hemisfério direito, como a música, a arte, a escrita, a espiritualidade. Adoram cristais, Reiki, meditação e yoga. São intensivamente leais aos seus amigos, acreditam em honestidade e comunicação nas relações. Ficam freqüentemente desconcertados com a desonestidade, a manipulação e outras formas de comportamento egoísta.
Uma das características-chave dos Índigos é freqüentemente a sua ira. As figuras de autoridade não conseguem nada com elas. Num nível profundo, elas não reconhecem a autoridade. Sabem que somos todos iguais e por isso ficam irritados, furiosos mesmo, com aqueles que se comportam ditatorialmente , quer sejam pais, professores ou patrões. São muito compassivos, amam os animais e qualquer forma de vida; têm muitos medos, como medo da morte e perda dos seres amados. Se experimentam muito cedo decepção ou falha, podem desistir e desenvolver um bloqueio permanente.
Um problema sério quando se trata de Crianças Índigo é o diagnóstico errado habitual dado aos índigos, catalogados como portadores de Transtorno do Déficit de Atenção ou do Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade. Com isso, dá-se medicação a elas, sedando toda a sua imensa potencialidade.
Essas crianças estão aqui para nos ajudar na transformação do mundo. Portanto nós precisamos aprender com elas, principalmente escutando-as e observando-as.
As Crianças Índigo chegam aqui para nos dar um novo entendimento, são verdadeiros presentes para os pais, para o planeta e para o universo. Quando honramos estes pequeninos como presentes, nós vemos a sabedoria divina que eles trazem para ajudar a crescer a vibração do nosso Planeta.
O passo mais importante para entender e se comunicar com essas crianças é mudar a nossa forma de pensar a respeito delas, derrubando os nossos paradigmas para honrar os pequeninos como presentes ao invés de problemas. Assim abriremos as portas para perceber a grande sabedoria que elas trazem. Os pequeninos honrarão essa intenção, e um caminho para o entendimento aparecerá.

Até aqui, falamos dessas crianças maravilhosas, as Crianças Índigo. Mas existe mais... as Crianças Cristal estão chegando!

CRIANÇAS ÍNDIGO E CRISTAL

Por volta do ano dois mil essas crianças começaram e encarnar na Terra. Elas representam o próximo passo na evolução humana. Elas seguem às crianças índigo. Sua missão é completar o trabalho começado pelos índigos. Elas também são detonadores de sistemas, são os guerreiros espirituais que vêm desmantelar e remover maneiras velhas e limitadas de pensar e elas vêm para começar o processo de renovação e reconstrução.
A missão primária de uma Criança Cristal é ensinar as maneiras de vida muiltidimensional em harmonia, paz e amor. Elas estão vindo nos ensinar como viver vidas emancipadas com o reconhecimento dos nossos plenos poderes. Elas estão vindo para nos ajudar a nos ligar novamente com as Energias Divinas. Elas representam o caminho futuro da raça humana. E uma das dádivas mais mágicas delas para conosco é que elas são catalisadores para a nossa evolução: várias crianças e adultos Índigo estão fazendo a transição para o estado Cristal com a ajuda da elevação energética que essas crianças fornecem pela mera presença delas na Terra.

As Crianças Cristal são primariamente reconhecidas pelas suas auras que são geralmente claras como cristal mas também podem ter tons de dourado, azul-índigo ou púrpura, dependendo de sua afiliação de Raio. As Crianças Cristal nascem com acesso ao seu Eu Multidimensional e estão geralmente ancoradas na Sexta Dimensão com a habilidade de se abrirem para a Nona Dimensão, a completa Consciência do Cristo! Isso quando o planeta estiver pronto, provavelmente em torno do ano de 2012, quando a primeira geração de Crianças Cristal atingir os 12 anos de idade.
Existem algumas características bastante definidas que as Crianças Cristal têm quando encarnam:
São geralmente bebês grandes e freqüentemente têm cabeças que são proporcionalmente grandes para os seus corpos. Tem olhos grandes e penetrantes e fitam as pessoas nos olhos por longos períodos. O que esses bebês estão fazendo é acessar os registros de alma do adulto e ler quem é ele. Esse é um comportamento perfeitamente normal para essas crianças e elas ficarão muito contentes se o adulto fizer o mesmo de volta. É a maneira cristal de se comunicar, olhar para a alma de outro ser e sentir quem é ele. Uma coisa que todos nós aprenderemos a fazer no futuro.
Emocionalmente, elas são geralmente bebês muito bons e calmos formando um laço intenso com a mãe. Esta é, geralmente, a primeira encarnação delas neste planeta e precisam da reafirmação e estabilidade que a presença física da mãe pode oferecer. São crianças extremamente amorosas e freqüentemente procurarão ajudar e curar tanto humanos como animais em sofrimento. São crianças também extremamente sensíveis. Elas não só são capazes de ler o registro da alma de uma pessoa como também sentir todas as tensões e raivas não resolvidas que a pessoa carrega em seu subconsciente. É por isso que elas são tão sensíveis ao seu meio ambiente.
Educar uma Criança Cristal pode ser um verdadeiro desafio. Freqüentemente os assuntos não resolvidos dos pais são sentidos pela criança , que será afetada negativamente por essas emoções . Mas a característica pessoal mais fora de série das Crianças Cristal é o seu poder. Elas são muito poderosas! Elas têm as energias poderosas de um Mestre da Sexta Dimensão. É por isso essencial que os pais aprendam a respeitá-las e a negociar com elas. Senão essa energia poderosa será usada em lutas por poder que seus pais ou educadores nunca irão ganhar.
Crianças Cristal têm várias dádivas especiais que derivam das suas habilidades multidimensionais. Elas têm a habilidade não só de ler os campos de energia das pessoas como muitas outras habilidades psíquicas, desde mover objetos mentalmente até ler livros sem abrí-los e ainda têm uma grande habilidade de comunicar-se telepaticamente e é por isso que elas, às vezes, não falam até que tenham 4 ou 5 anos de idade.
A missão de todas as Crianças Cristal é avançar a evolução humana pelo processo da ascensão. Elas estão aqui para nos mostrar como viver de uma maneira completamente nova e diferente.
Só por chegarem em tão grande número e ancorarem a Energia Crística, elas estão facilitando uma mudança nas energias planetárias. Mas também estão aqui para nos ensinar técnicas de vida multidimensional para o reconhecimento dos nossos plenos poderes.
A Criança Cristal move-se facilmente entre as diferentes dimensões. Não estão nada limitadas ao mundo da terceira dimensão; embora tenham corpos e funcionem na realidade da terceira dimensão, elas estão essencialmente sintonizadas na sexta dimensão e trazem essa energia para o nosso planeta.
O princípio fundamental por trás dessa maneira de viver é a Consciência da Unificação. As Crianças Cristal percebem e vivem a Unidade. Elas sentem as energias dos outros. Elas apanham ansiedade e stress que não são delas. Elas sentem as toxinas no ambiente e na comida.
Temos que estar conscientes da dádiva que estas crianças nos trazem. Elas são o futuro. Elas nos mostram o que estamos nos tornando. E a dádiva especial delas para conosco é para nos dizer que nós podemos nos tornar assim como elas agora, se deixarmos que as suas energias nos movam para o próximo degrau na escala da evolução.
Ao chegarem em número tão significativo elas estão precipitando o despertar espiritual de grande número de humanos. E não há limite de idade para isso. Você pode ter 10 ou 100 anos, pegar essa onda de energia Cristal e renascer no seu estado Crístico!
Aos pais dessas crianças fascinantes eu gostaria de dizer aqui algumas palavras do Mestre Sananda que eu passei de uma mensagem publicada na revista Amaluz em 1998. Sananda é o nome como esotericamente é conhecido Jesus de Nazaré:

" Não as forcem a enquadrar-se nos velhos moldes. Elas chegaram com novas marcas de nível superior para a humanidade, codificadas dentro do seu ser. Elas carregam em seu interior grande sabedoria espiritual;
- Lembrem-se de que seus filhos não são vocês. Em outros níveis do seu ser vocês estabeleceram acordos com eles para permitir-lhes vir através de vocês para a experiência no plano terrestre. Repito, eles vieram através de vocês mas não são vocês. Cada um deles é único e vem com sua própria personalidade, talentos e pensamentos. Não esperem que eles vivam os seus sonhos, pois eles têm os deles próprios;
- Passa ser sua tarefa amá-los incondicionalmente, sustentá-los e encorajá-los em suas explorações e ajudá-los a descobrir seu propósito de estarem aqui, suas missões e a exercerem os papéis apropriados para eles;
- Essas crianças trazem sistemas neurológicos diferentes em seus corpos. Elas exigirão muito amor e compreensão por parte de suas famílias e da comunidade. Essas crianças podem parecer desajustadas e de certo modo são, porque elas anunciam a chegada da sétima raça original, a raça índigo a seu planeta. Elas são as precursoras de seres de dimensões ainda superiores que virão;
- Seria conveniente que vocês ampliassem seus horizontes com alguns estudos metafísicos. Seria desejável iniciar momentos de meditação familiar e que cada pessoa possa compartilhar em comunhão espiritual juntos, permitam que cada membro da família participe de algum modo. Além disso, as crianças sabem que existem anjos em volta, encorajem essas conexões. Permitam que reino angélico participe desses momentos miraculosos no plano terrestre; - Dêem ouvidos a seus filhos quando eles manifestarem o desejo de compartilhar suas experiências com sonhos. Muita informação é transmitida, os sonhos trazem mensagens da alma;
- Encorajem seus filhos a apreciar e respeitar a natureza, a sentir a terra, a observar as plantas e os animais em seu ciclo através das estações. Ensinem-nos a amar e respeitar seus animais de estimação. Se possível, levem-os à praia, às montanhas e às planícies. Permitam que eles vejam diretamente a grandeza do planeta. Pergunte o que eles estão vendo e sentindo e talvez mesmo ouvindo, pois eles não irão ver, ouvir e sentir o mesmo que vocês. Dêem ouvidos a eles. Eles são sábios. Permitam que eles os ensinem de modo que vocês possam compartilhar de seu encanto;
- Com a mescla dos planos astrais inferiores no plano físico, seus filhos podem ver figuras, formas e outras aparições... essas visões durante a vigília são válidas e podem ser divertidas ou assustadoras...sábio é o pai que não rejeita jocosamente essas experiências de seus filhos. Encorajem seus filhos a falar sobre essas experiências, e riam com eles ou compadeçam-se com eles mas permitam que eles manifestem essas visões. Trabalhem com seus filhos para passar essas entidades para as mãos orientadoras das forças angelicais, que em troca os conduzirão a seus lugares apropriados em outros planos de existência;
- Não sejam precipitados em suas avaliações, pois seus filhos não são loucos. Se vocês, de alguma maneira, ficam confusos sobre como cuidar dessas crianças e do seu crescimento, procurem orientação apropriada daqueles que compreendem princípios metafísicos e espirituais e a transmutação de energia;
- Dêem aos seus filhos sua máxima atenção. Eles os ensinarão muito e vocês serão abençoados por eles. Amem incondicionalmente. Abençoem vigorosamente. Tratem com grande carinho, pois eles são seus instrutores. Eles vêm para cá com muito amor para compartilhar e vêm com paz, harmonia, tolerância e alegria em seus corações.
Sim, meus amados, ouçam bem, pois eles trazem lições de sabedoria para vocês ".

 

http://www.jornalorebate.com/65/cancan_02_small.gifhttp://www.jornalorebate.com/65/cancan_02_small.gifhttp://www.jornalorebate.com/65/cancan_02_small.gifhttp://www.jornalorebate.com/65/cancan_02_small.gifhttp://www.jornalorebate.com/65/cancan_02_small.gifhttp://www.jornalorebate.com/65/cancan_02_small.gifhttp://www.jornalorebate.com/65/cancan_02_small.gifhttp://www.jornalorebate.com/65/cancan_02_small.gif

Musique, maestro:

Cliquez d'abord sur la note qui suit:

The hills are alive, with the sound of music...

With sound they have sung, for a thousand of years…
( A NOVIÇA REBELDE, SALZBURG )

Imagine você acordar num daqueles hotéis de charme, no coração da Paris medieval que ninguém ousa modificar um milímetro, cujas lojinhas e patisseries vendem pan aux Chocolat e tortinhas de framboesa. Você desce, vai até a adega ( todo hotel parisiense que se preza transformou sua adega em sua sala de refeições ) pintada de branco.


Ilustração de Luiz Zatar

Croissant quentinho, café preto ( as porções de chocolate vem em saquinhos separados que a levamos sem culpa para colocar dentro da mala.

Você vai até o jornaleiro, normalmente pintado de verde como os postes ou as cadeiras de ferro nas praças e bebedouros, compra um Pariscope para ver os festivais de música gratuitos.

Paris tem charme e endereços.

 O Pariscope é fundamental para quem quer ver belos shows sem pagar um euro sequer ou ir numa das igrejas do Marais e curtir os arcordes do órgão ou das vozes afinadads dos cantos gregorianos de Notre dame , de Saint- Étienne- du -Mont.

Sim, existem pelas proximidades de paris dois lugares que você tem que anotar no caderninho, pois é possível de se ir e fazer e passar momentos inesquecíves Brugges, a cidade e seus canais, suas lojas de chocolates ( fica na bélgica, mas estamos falando de europa, onde tudo é um ali pertinho nada ao estilo mineiro.) Brugges, é recomendação certa, anote aí para informações futuras.

Outro lugar imperdível seria Reims, a cidade com sua catedral onde a curiosidade fica por conta de um anjo sorridente na sua fachada, como se um anjo não pudesse sorrir.

O que torna Paris uma cidade única no mundo, é a receita encontrada em Florença, em Veneza, em Siena, e na magia de Salzburg, a eterna cidade no coração dos alpes austríacos que tem o Üntersberg ao fundo; são todas cidades medievais que mantêem suas fachadas historicamente preservadas, bem como suas identidades e origens. Todas são museus vivos, a céu aberto. Passeando por cada uma de suas ruas, seculares, é como atravessar as histórias do próprio tempo.

Julie Andrews imortalizou Salzburg e o governo lhe conferiu o título de embaixatriz da Áustria. Nada mais justo.

Julie Andrews e as crianças com o capitão von trapp na casa hoje pertencente a Harvard.

Julie Andrews e as crianças nos jardins do palácio Mirabell, Salzburg

Salzburg com a fortaleza hohensalzburg aos fundos, cidade natal de Mozart.

Na própria salzburg você é levado a cantar e andar pelas ruas onde foram filmados as cenas do clássico hollywodiano, ( existe até um jantar cujo menu segue as letras de MY FAVORITE THINGS, uma das canções que falam de partos típicos do lugar ).

Hollywood fez de Audrey Hepburn, a eterna bonequinha de luxo, de Breakfast at tiffany´s em embaixatriz da França e até mesmo de Roma, outra cidade imperdível.

Audrey Hepburn como Holly Golightly canta MOON RIVER, um hino para os amantes e sonhadores de ontem, hoje e sempre, no filme baseado no romance de Truman Capote.

PARIS WHEN IT SIZZLES e na companhia de GREGORY PECK em ROMAN HOLLIDAYS descendo as escadarias da Piazza di spagna.

Viajamos através desses mundos de sonhos na companhia de Fred Astaire e Audrey, em Cinderela em Paris, Sabrina, Candelabro Italiano.

Em 2000 estive na Áustria, e esta continua sendo a casa da família Von Trap, onde Maria chega, o Schloss frohnburg, onde abriga muitos estudantes de música da orquestra sinfônica da cidade.

Como tais lugares merecem um capítulo à parte, nos próximos números estaremos falando de cinema e arte e de todas as espécies de turismo que eles nos tem a oferecer como a cidade de Inssbruck no Tirol.

Com fotos exclusivas do seu autor de Turismo do jornal O REBATE.

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

http://www.jornalorebate.com/65/cancan_02_small.gifhttp://www.jornalorebate.com/65/cancan_02_small.gifhttp://www.jornalorebate.com/65/cancan_02_small.gifhttp://www.jornalorebate.com/65/cancan_02_small.gifhttp://www.jornalorebate.com/65/cancan_02_small.gifhttp://www.jornalorebate.com/65/cancan_02_small.gifhttp://www.jornalorebate.com/65/cancan_02_small.gifhttp://www.jornalorebate.com/65/cancan_02_small.gif

Musique, maestro:

Cliquez d'abord sur la note qui suit:

Antes de deixar Paris e rumar para a Normandia, nos verdejantes dias de junho vale a pena assitir às fontes do Trocadero: Paris é uma festa.

Informações úteis para chegar na Tour Eiffel:

Estação de Metrô: BIR HAKEIM ou TROCADERO
Aberto de 9h30 às 23h - Construída para a exposição Universal de 1889, a Torre mede 317,96m e pesa 10.100 toneladas, tornando-se conhecida em todo o mundo pela bela vista que oferece.
OBS: Neste passeio pode-se conhecer também os Campos de Marte e a Fachada da Ecole Militaire (Onde estudou o Imperador Napoleão I) e o Palais de Chaillot (Abriga o Teatro Nacional, Museu da Marinha e o Museu do Homem e também se tem o panorama perfeito dos Jardins e Fontes do Trocadéro e do Sena).

Foto por LUIZ ZATAR, direitos reservados

Eis uma das mais belas fotos que consegui registrar do alto das escadarias :

Para quem sai de Paris e sobe para a Normandia, vai passar por Giverny, ou optar por visitar o Palácio de Chantilly , o mesmo que foi fechado para nosso jogador Ronaldindo e Cicarelli se casarem. Lá se originou a receita do famoso creme batido. Lá você pode caminhar pelos seus jardins maravilhosos onde, no “moinho” pode sentar numa das mesinhas e provar a receita secular, só que você fica cercado de um bando de patos que ali brigam por comida ( Oh, sim, os patinhos ainda virarão patê, confit de canard ), além disso, a normanda Tarte Tatin, famosa sobremesa tão pedida nos bistrôs tem uma lenda que conto ao final desta coluna.

Prosseguindo vamos parar na cidade de Rouen ,( Uma cidade medieval com portais, torres com relógios desenhados, pequenos restaurantes cheios de charme ) a paisagem da Normandia é cheia de pomares de maçã. A sidra é tão deliciosa e forte que depois de aberta e reposta a rolha, de tanto sacudir no banco de trás do Peugeot que alugamos, abriu sozinha nos dando um banho e molhando todo o carro. Qualquer pâtisserie oferece a sua torta de maçãs normanda, existe o conhaque e o vinho de Pera, o poiré. Portanto, Vive la France!

Lá tem uma ponte que é uma famosa obra da engenharia moderna, a Ponte Pégasus... tudo isto para chegarmos a Honfleur, cidadezinha onde saiu Nicolas Durand de Villegagnon que aportou em terras brasileiras.

A PONTE PEGASUS, UMA GRANDE OBRA DA ENGENHARIA

Honfleur foi um importante porto defensivo no séc XV. O vieux bassin ( antiga doca ) domina o centro histórico com seus prédios de quatro e seis andares, datados do séc. XVII. Somente no séc. XIX Honfleur através de artistas como Cézanne , Renoir , Pisarro , Coubert , Sisley e Eugène Boudin, nascido na cidade em 1824, trouxeram fama e transformaram o local num núcleo de arte. Eles se reuniam na ferme St. Siméon ( hoje um hotel de luxo ) como qualquer outro hotel daquela cidade extremamente cara, deviam pendurar enormes cifrões em cada porta, mas agora a linguagem deles é o Euro (convido-os a passar uma noite no Le Cheval Blanc, um dos hotéis de charme.) Já que em Honfleur é para a nata de uma sociedade que ganha dinheiro ás custas da memória dos pintores do passado, nem sempre tão ricos ou tão pobres, hoje em dois grandes armazens construídos em 1670 para estocar sal, os novos pintores exibem suas obras (Greniers à Sel ) Aconselho qualquer brasileiro classe média a comprar um postal ( todos a 1 ou 2 euros ) ou um pôster do local e colocar na sala, in memorian a falta de recursos dos nossos parcos cruzeiros que sangram em nossas contas bancárias e que a cada ano parecem minguar – não sei seja viram a quantidade de brasileiros ex-classe média, ex-frequentadores de restaurantes, ex- patriados de seus sonhos e dos salários que são arrancados para cobrir o cheque especial, os impostos sobre o direito de respirar ou para comprar uma prótese para o dedo do LULA; quem disse que não há retorno desses impostos extorsivos que existem até no quilo de arroz que se compra, no IPTU que se paga? O governo não usa o dinheiro mais na saúde e nas escolas públicas, nas estradas, mas ao menos usam para pagar 4.000 reais para cada preso, usam nosso dinheiro para pagar a quentinha dos bicheiros e desembargadores envolvidos com a máfia dos bingos, assim, só colocando um cd da Doris Day cantando April in Paris ou surtar de vez como Jack Nicholsen em O ILUMINADO...

Como bons súditos do Lula, resolvemos procurar uma chambre em algum lugar vizinho, e adentramos uma região de bosques, chamada St. Gatien du Bois . Éramos três, eu, Flávio e Sílvia Chiozzo.

Passamos a noite numa pousada que, do lado de fora parecia completamente abandonada, só dava para escutar o vento a varrera as folhas motas pelo chão, levantando tufos de eras que rolavam direto para um poço... Sim, caros amigos, ainda havia um poço enorme, daquele que nos contos de terror sabemos que alguém vai ser jogado lá dentro. Para completar o quadro, a casa, toda pintada de rosa, uma mansão que não sei designar um estilo, mas cuja entrada me lembrou aqueles frios quadriculados ( frios que a gente compra em delicatesse ou padarias) Pois a entrada da casa era toda quadricula, pintada de branco e roxo: a própria casa da bruxa dos calvados. E não havia nenhum carro de outros hóspedes por perto, parecia que éramos os únicos para o banquete daquela noite.

Quem queria ser o primeiro a bater na porta da família Monstro? Eu estava distraído tirando fotos do jardim, afinal, podia até mesmo encontrar um cadáver por ali, mas assim que Sílvia ou Flávio resolveram bater na porta escutaram passos vindo do interior... Eu me virei e vi um enorme braço preto saindo. Era uma senhora afro-francesa, digamos, com o porte de uma rainha.

Uma dama renascentista com uma cabeleira incrível disse que ainda haviam quartos e poderíamos passar a noite. Madame X perguntou se não queríamos entrar para beber alguma coisa, talvez um chá... Sílvia meio pálida pediu uma água, Flávio aconchegou-se na mesa de jantar, e pediu a Madame X que trouxesse logo um bule de água quente para a gente fazer um chá. Madame X ,como boa anfitriã não grunhiu e dirigiu-se para a porta, -Apenas água quente?- escutei-a perguntar.

Estávamos doidos para bisbilhotar aquela casa de filme saído de um dos episódios do Além da Imaginação. Nenhum de nós estávamos certos se iríamos sair correndo dali ou se era preferível ficar de uma vez.

Agora a noite se avizinhava e podíamos dar adeus a Honfleur, havíamos caído na cova do lobo, o jeito era tomar chá e relaxar mesmo que fosse naquela casa mal assombrada. Imaginei a Madame X chegando com a água quente num samovar, esperando que apenas nos servíssemos de saquinhos de chá, quando Sílvia e Flávio haviam aberto as sacolas e bagagens de mão, colocaram na mesa toda a comida que haviam comprado há dois dias, inclusive croissant , sacos de Madeleine e camembert , queijinhos de diversos sabor, com as chícaras viradas para cima esperando que Madame X voltasse com a água para o chá e se deparasse com sua mesa do café da manhã transformada em um pic-nic de turistas brasileiros. Só faltava mesmo uma torta Normanda.

Foi assim que impactada com aquele cenário festivo e miserável que Madame X chegou com a tal água quente e nos perguntou se voltaríamos para a cidade para jantar.

Aproveitamos aquele espaço de tempo para percorrer a casa estranhíssima da mulher igual a João e Maria, só que um dos três sempre parava diante de um objeto e falava: Olha só o biombo, veio da África!

Outro parava próximo ao lustre e examinava uma estátua de mármore, uma mesa dourada talvez à cata de algum guerreiro da Namíbia. Haviam relógios seculares, peças de museu.

Meus olhos recaíram para uma lareira com uma girafa ao lado ( se fosse empalhada eu teria virado as costas e ido embora ), quadros e tapetes que deviam valer fortunas e, em ambos os lados da escada, a escultura gigantesca de dois guerreiros africanos, um segurando uma lança afiada. Sílvia disse que depois de ver os guerreiros com lanças não iria conseguir dormir.

O nome do lugar era Saint.Gatien du Bois e a Madame X disse ser casada com um francês resolveu falar que havia vindo do Quênia, e que sempre voltava lá e era tratada como uma rainha. Depois do chá nos mostrou os quartos, Sílvia ficaria na torre ( he he ) e nós no quarto imperial que parecia os aposentos de Maria Antonieta.

O quarto de Sílvia Chiozzo ainda tinha uma clarabóia no teto onde ela poderia ver até as estrelas. Ela falou que estava vendo a lua quando teve medo de ver uma cara aparecer por ali.

Cada quarto tinha cores e jogos de cama diferentes.Fora o requinte a precos módicos, cercado de obras de arte, vi que das janelas do meu quarto davam para o tal poço e o terreno coberto por folhas, sem os carros ainda nas garagens como se há muito tempo ninguém tivesse pisado por lá. Havia um outro dado curioso: cada quarto tinha um armário na sua entrada e vimos que tal armário não se abria, porque na verdade podia ser uma porta falsa, ou feita para alguém abrir. Alguém no meio da noite poderia nos fazer uma visita.

Algumas tantas horas depois, escutamos barulhos vindo das escadas e batidas na porta. Era Sílvia Chiozzo completamente apavorada.

Ela nos contou que já estava na cama contando estrelas através da clarabóia, muito à vontade, já quase sem roupa quando viu que no teto havia uma luz vermelha bem na sua direção e pensou que aquilo só podia ser uma câmera, desceu até nosso quarto e ficamos conversando e olhando um mapa gigantesco estudando o difícil trajeto que tínhamos a fazer, para ir de Saint-Michel, a parada depois das cidades onde se deu o dia D, até chegáramos a Arromanches e do monte Saint-Michel partimos para Saint Malot , a cidade corsária ( que uma vez foi governada por piratas! ). Depois atravessaríamos Le Mans , Tours , ( onde bem próximo de Poitiers existe um parque temático dedicado ao Cinema chamado Futuroscope .

Como na EPCOT ou na Disney, Futuroscope apresenta vários pavilhões homenageando a sétima arte, com atrações as mais inovadoras. Imperdível.

Em Futuroscope você viaja nas asas de borboletas, se deixa encantar pela magia do cinema e dos fantásticos simuladores. É melhor que a Disneylândia de Paris. De lá se chega a Limoges , cidade conhecida por sua produção de porcelanas, pratos... e como chegaríamos a Sarlat la Caneda , que possui a maior concentração de fachadas medievais, renascentistas e do séc. XVII e tem um dos melhores mercados do país.

Há um grande mercado em sua igreja, com portões de ferro, à esquerda na foto, onde vendem de tudo, até bombons de receita da idade média que nada tem de parecido com os chocolates cremosos dos nossos dias aos deliciosos bolinhos fritos. E as nozes, castanhas, amêndoas, as trufas e os patês, o fois gras...

 As criações de Patos no Perigord. Ao longe, castelos nas rochas.

Fica no coração do Perigórd, Seus produtos típicos são o fois gras e as nozes. Outras especialidades locais são as trufas negras e os diversos tipos de cogumelos selvagens.O prato mais conhecido da região é o Cassoulet, que eu recomendo a todos.

É nessa região deliciosa que atravessando suas estradas de carro vemos os girassóis pelas estradas e as abadias ao longe. Passamos pelas cavernas de Lascaux, em Montignac . Você compra ingressos para descer até uma caverna onde alces e bisões, cavalos, teriam sido pintados por homens da pré-história. Um guia iria nos conduzir e a sensação que você tem é que está sendo enganado, quando Sílvia olha para mim e fala:

- Zatar, olha para o chão. Você já viu caverna forrada por borracha preta, a mesma que usamos nos banheiros para não escorregar?

A verdadeira caverna está fechada desde 1963, devido ao perigo da deterioração das pinturas. Até o ar pode danificar aquelas imagens gravadas pelos homens da pré-história.

A caverna original de Lascaux, foi encontrada por dois meninos e seu cão de nome Robot.

Depois de Lauscaux partiríamos para Rocamadour , uma cidade que com suas torres e muralhas medievais parece brotar da base de um rochedo. Rocamadour é um centro de perigrinação e todos tem que deixar o carro num estacionamento e serem levados de trenzinho para dentro da cidade.

Voltando atrás, na pousada misteriosa, hoje revejo as fotos tão cômicas e as brincadeiras que aprontamos. Todos voltaram para dormir em seus quartos e ninguém apareceu para matar ninguém.

O resto da noite correu tranqüila e no dia seguinte dissemos adeus a Madame X e aos seus guerreiros africanos partindo para Deauville-Trouville , cidades mais conhecidas pelo seu Cassino. Se você acompanhar as placas na estrada você verá que irá passar por Alberville e Houlgate, cidades com construções de aparência inglesa, sempre com muitos barcos e pequenos iates.

Partimos até Cabourg , continuando pela conhecida D 515 rumo a CAEN, quem desejar, passeie pela Cote Fleurie tomando a D 514, caminho que os levará até o maior cemitério na Cote de Nacre e a cidadezinha ( lindíssima ) de Cherbourg , onde filmaram OS GUARDACHUVAS DE CHERBOURG ( o ruim do filme é que todos cantam, não falam, do início ao fim e isso leva duas horas. Se te amarrarem na cadeira e taparem sua boca com um pano, você ainda agüenta assistir até o final, ainda podem espetar agulhas para te manterem acordado ). Voltemos a cidade de CAEN cujo marco principal é a Abbaye-aux-Hommes e a igreja St.-Pierre eregida no lado sul do castelo na margem do rio Orne.

A imponente Abbaye-aux-Hommes em CAEN.

Foi em meados do séc. XI que Caen serviu de residência para Guilherme o conquistador. Hoje, podemos constatar que dois terços de Caen foi destruída durante a Segunda Guerra Mundial.

Finalmente atingimos Bessin , um lugar cheio de bandeiras e uma enorme cruz que Charles De Gaulle inaugurou em homenagem aos mortos.

Arromanches e Omaha Beach , praias da Normandia onde se deram o desembarque dos aliados a 6 de junho de 1944 ainda deposita a todos que por ali percorrem a presença da morte muito presente. ( ocorreram em várias etapas e não foi somente um, ou numa praia em especial, foram vários e durante dias... mas 6 de junho marca o fim da ocupação nazista na França, e da ocupação sangrenta daquelas cidades que viram famílias serem metralhadas, outros tanto serem encurralados no prédio da biblioteca ou mortos em paredões... O prédio da tal biblioteca, todo perfurado de bala, hoje é um point de encontro de jovens punks com cabeleiras azuis e vermelhas, uniformes de couro preto e correntes no pescoço, piercing na língua, nas sobrancelhas, e, bem, o que podemos esperar? Leslie caron cantando Hi-Lili, Hi-Lo? O fantasma de Marlene Dietrich a cantar: Where have all the flowers gone?

Os exércitos aliados tiveram que subir por escarpas e aqueles que não morreram antes de chegar em terra, teriam que lutar contra os nazistas que já haviam dominado cidades inteiras da região. Milhares de corpos ficaram amontoados na areia e até hoje são encontrados crânios cravados de bala no fundo do mar.

Esta é a visão que temos de Arromanches.

Bayeux foi a primeira cidade a ser libertada pelos aliados em 1944. E serve de caminho para o Mont-Saint-Michel, aquele que é todo murado e que à noite a maré sobe e o transforma em uma ilha.

Outro aviso: existem excursões e apenas um dia que saem constantemente de Paris, por ônibus. É totalmente impossível ver um lugar como Saint-Michel e tão longe de Paris em apenas, digamos, 1 hora e meia.

Voltemos ao campo de batalha: Os locais te deixam perplexo e fascinado, pois ali uma parte da história do mundo foi escrita e a visão dos tanques de guerra ingleses evocam acontecimentos que são revividos no Cinema 360 graus. onde temos a chance de voltar no tempo e vermos a vida cotidiana dos moradores da região até a invasão nazista. Cenas que se mesclam ao desembarque dos aliados, aos bombardeios, a movimentação dos exércitos até aos dias atuais. Misturado a isto vemos rostos de crianças que assistiram a morte de seus pais; generais dando ordens para seus soldados feridos. O que impressiona é que nos faz ver que aquelas pessoas e todos aqueles acontecimentos poderia ter se dado conosco.

Tanto no cinema quanto ao vivo naquela região se encontram as marcas das explosões que abriram crateras no solo, obra das bombas lançadas pelos aviões aliados sobre as casamatas e abrigos subterrâneas da Gestapo . A sensação é que você está dentro do filme “À procura do soldado Ryan” de Steven Spielberg.

Há também o grande Museu do Desembarque, contando as armas usadas, uniformes, estratégias, etc.

Nossos aliados naquela época não tão remota foram as tropas americanas, britânicas e canadenses; as americanas tinham o nome de Utah e Omaha. ( Daí termos uma praia por lá conhecida como Omaha Beach ) Os britânicos chegaram em Arromanches com as tropas Gold e Sword, e apenas uma tropa canadense, a Juno, aportou pelas imediações. No final daquele dia D, os 135 mil homens que desembarcaram nas praias, 10 mil morreram ao findar do dia 6 de junho de 1944.

Havíamos passado o dia todo comendo bobagens por todas as cidades que passamos, Havíamos nos entupido de coca-cola, sacos de batatas fritas em formas de balõezinhos ( deveriam terem feito em forma de granadas), lembro que ao sairmos do museu do dia D, Sílvia, com fome e cansada falou: - Acho que vou pagar um lanche para vocês e dirigiu-se a uma mulher que vendia crepes na rua.

Tinha até um crepe cor da pele que uma mulher na praia jogava para o ar e pegava com o outro braço. E era peluda. Ela jogava a massa na chapa e com uma espátula, arremessava para o espaço e o crepe caía exatamente como uma toalha no seu braço. Depois ela continuava a preparar um novo enquanto fumava um gitane. Quando Sílvia viu aquele crepe grudado no braço da mulher ela me perguntou: - Zatar, você vai comer isso? Essa mulher não usa luvas, está toda suada. Olha só onde está o crepe, no braço dela, e ainda por cima é toda peluda!

Passamos de carro por campos de trigo, vimos enseadas, nomes de generais nas ruas e mais tanques e igrejas em ruínas. Em Avranches víamos pela praia os vestígios do porto que haviam criado para desembarcar os tanques de guerra...

- Não tem nenhum cd para colocar nesse carro?-Silvia perguntou.

Havia. Peguem esse link, abram, façam o download e viagem conosco:

 

DORIS DAY lyrics

 

Em algum ponto do Loire, entramos em Chinon para ver a Maison Rabelais, do escritor e padre da idade média, sua fazenda oculta seu esconderijo: uma enorme caverna com diversas passagens secretas onde o padre ia escrever e guardar seus vinhos. Autor de Gargãntua e Pantagruel, que exploravam lendas populares, farsas, romances, bem como obras clássicas.

Foi o caminho que encontramos para a mal sucedida visita ao castelo de Chenonceau . Estávamos os três curtindo a visita quando peço a Sílvia para tirar minha foto na sacada principal do castelo. Por mais de quinze minutos turistas passavam sem piedade, mesmo sabendo que eu esperava tirar uma foto. Quando houve uma folga, ela tentou tirar, mas uma infeliz jogou-se na minha frente, eu também não consegui evitar a fúria cega e tentei barrá-la com a mão fazendo-a evitar que passasse, afinal isso não era nenhuma ofensa, mas minha mão foi parar direto em seus peitos. Ou melhor, em um de seus peitos e ela achou que eu estivesse bastante interessado ou que fosse uma provocação.

Notaram a minha cara de raiva? Sílvia clicou 2 fotos, esta e uma antes que havia conseguido tirar. Mas o acidente de percurso já havia sido feito. E ela não falava francês nem inglês.

A mulher ficou em choque ou êxtase, e o marido dela que vinha logo atrás começou a falar numa língua que podia ser grego, árabe, mas que nenhum de nós conseguiu decifrar... A minha sorte é que ele era baixinho, talvez 1,40... Uma vez que não era minha intenção eu não conseguia me sentir culpado nem um pouquinho, e apesar dos hábitos estrangeiros serem outros, cada cultura com seu código de ética diferente – lembram quando contei sobre os bombons da loja em Paris que peguei as cinco caixas com as mãos? Devia pegar como? Mas apesar de Paris ser uma cidade com 60 milhões e turistas que circulam por lá provenientes de todas as partes do mundo, ainda assim a balconista me olhou feio e eu só remediei jogando as caixas de lado no balcão e mostrando a carteira com dinheiro. Lá também não pega bem, especialmente para mulheres acariciarem crianças de outra família, os franceses olham feio como se fosse assédio sexual. Felizmente eu jamais iria acariciar criancinha remelenta nenhuma, mas é uma dica importante para vocês. Só que não sejam tão cuidadosos com a moral e a ética do lugar, porque lá fora, na Espanha, vão enfrentar pessoas grosseiras, garçons que só faltarão arrebentar o balcão ao te servirem uma coca-cola, por isso, apenas esteja certo do que está fazendo e olhe aonde está pisando, porque existe muita bosta de cachorro nas ruas e disto e coisas mais importantes ninguém nunca cuida. Fico safado da vida quando alguém quer estragar o meu dia, não deixo. Mesmo que me mandem um balde d´ água fria, eu transformo em sopa. Mas como não estava sozinho e Sílvia disse que o homenzinho vinha nos perseguindo onde quer que fossemos, resolvemos entrar no quarto negro da rainha maníaca- depressiva que mandou pintar o quarto todo de preto e ainda enfeitou com algumas caveiras pintadas, perto de sua cama. Ficarmos escondidos no meio do grupo de turistas até a fera desaparecer.

Mais um mico preto para mim. Por isso, quando fizerem uma viagem, não se espantem, não esquentem, é quase certo que você ainda passará por micos assim ou piores... acredite, micos acontecem quando você menos espera.

A PLACE DU TERTRE TENDO AO FUNDO A SACRE-COUER.

Para quem deseja UM ROTEIRO BÁSICO EM PARIS clicquem em ANTERIORES na página inicial do jornal e escolham através da chamada de capa das últimas edições mais artigos sobre a França e Paris, com mais fotos, informações e detalhes:

Números Anteriores de turismo com luiz zatar SOMENTE SONBRE A FRANÇA E PARIS

Edição 64 - 20 a 27 de abril de 2007 – E O VENTO LEVOU MEUS EUROS: UMA VIAGEM PELA FRANÇA E POR HOLLYWOOD.-LUIZ ZATAR

 

Edição 63 - 13 a 20 de abril de 2007 – PARIS LA JOIE DE VIVRE: A ALEGRIA DE VIVER!-LUIZ ZATAR

 

Edição 62 - 6 a 13 de abril de 2007 – ETERNAMENTE PARIS-LUIZ ZATAR

 

Edição 61 - 30 de março a 6 de abril de 2007 – BADALOS E AGITOS NA PRINCIPAL CIDADE CULTURAL DO MUNDO-PARIS É UMA FESTA! ( ROTEIRO PARA OS APAIXONADOS EM PARIS ) LUIZ ZATAR

 

 

 

APRIL IN PARIS

CURIOSIDADES:

A LENDA DA TARTE ( TORTA ) TATIN:

Era uma vez duas irmãs, Caroline e Stephanie, que em 1888 herdaram de seu pai Jean TATIN o Hotel Restaurant Tatin, localizado em Sologne na cidade de Lamotte-Beuvron, em frente à estação ferroviária.

A região de Sologne é famosa por suas áreas de caça, Os caçadores são, em geral, gourmets exigentes e se reuniam no Hotel Tatin para apreciar as delícias culinárias das Demoiselles Tatin.

Conta a história que um dia Stephanie (ou será Caroline?) paquerava com um cliente muito galante, de repente, se lembrou que faltava fazer as sobremesas. Corre então para a cozinha e encontrando umas maçãs peladas joga-as num molde com açúcar e manteiga e coloca-as no forno, antes de voltar na sala para atender os clientes.

Logo o odor de caramelo perfumava o restaurante. Stephanie (ou será Caroline?) volta à cozinha e, improvisando, coloca em cima das maçãs uma fina capa de pâte brisée (massa podre) e volta a pôr o molde no forno.

maxims.jpg No momento de servir, consternação e dúvidas! Como apresentar de forma agradável essa criação que está cheirando maravilhosamente bem? Aí vem a idéia genial ! Coloca um prato em cima do molde, vira a preparação e serve-a quente... Sucesso absoluto!

Esta é a origem da Tarte des Demoiselles Tatin.

O sucesso se espalhou por toda França. Curnonsky, o famoso gastrônomo, a declara uma "maravilha"! O dono do Maxim´s de Paris decide mandar um cozinheiro-espião para Lamotte-Beuvron, disfarçado de jardineiro para roubar o segredo. O espião consegue a receita e assim a famosa Tarte des Demoiselles Tatin ainda hoje continua no menu do Maxim's.

 

http://www.jornalorebate.com/64/pontalex3.jpg

Espero que toda vez que for a Paris, seja como uma eterna primeira vez. Espero encontrar a cidade da forma que conheci, o hotel e a chambre do Jardin le Brea que fiquei, mas alguma coisa me diz que isso não é possível. Saindo do hotel, havia uma pracinha com uma escultura do Rodin, logo ali, um cinema no final da rua, uma mercearia que vendia queijos e arroz doce, frutas, cerejas, pequenos sonhos em potes, embrulhados em papéis de jornal. Agora tenho de dizer adeus aos sonhos. Adeus a Paris cortada pelo Sena com suas pontes mágicas que nos levavam a lugares que não encontraremos mais. Si Paris nous était chanté...

Vou dar adeus a ponte Alexandre III com seus gigantescos postes de luzes e anjos barrocos, sorridentes, com aquele olhar de pedra, a segurarem guirlandas; a ponte simbolizando uma amizade entre a França e a Rússia, homenageando o Czar Alexandre III, a primeira pedra colocada em 1896...

http://www.jornalorebate.com/64/Champ-ElyseesdoobeliscoaoArco.jpg
Champ-Elysées, vista desde o Obelisco de luxor, da Praça da Concordia até o seu extremo, no Arco do Triunfo

Ficará no meu coração o dia em que desci com Sílvia e Flávio a rue Mouffetard, cheia de feiras livres com cerejas, morangos, casas de queijos e vinhos, e acabamos comprando pão com azeitonas, fui numa confeitaria e comprei uma caixa cheia de doces, mil folhas, bombons, para sentarmos sob as árvores do pátio da igreja St. Medard, e lanchamos num banco verde do jardim.

Não deixem de visitar a rue des rosiers, o bairro judeu... O bois de bologne...

Um dia me deu na cabeça visitar Carcassonne, a estranha cidade medieval, murada, onde chegamos a ir e Flávio jurou ver uma procissão a passar com velas e artoches acesos por entre as ameias dos castelos com sua ponte levadiça, suas ruas com lojas vendendo pequenas cigarras, símbolo também da cidade de St. Paul de Vence, cigarras que cantariam até morrer. St. Paul de Vence, a cidadezinha única que fica no início da Riviera francesa. Onde cada lojinha tem cheiro de lavanda e se escuta música medieval. Você encontra miniaturas de caixinhas de músicas com canções que ficaram na história... Sarlat la Cañeda, uma cidade medieval onde um dos prédios é chamado de a lanterna dos mortos; sua igreja virou um grande mercado e você come bolinhos fritos como na idade média, onde vê criações de gansos na Borgonha, patos que logo irão para a mesa com o nome de canard. Recheados são uma delícia, assim fizeram a fama de La tour D´argent. Mas a Borgonha é a terra das trufas, do Cassoulet, por falar em trufas, andávamos os três, Sílvia, Flávio e eu pensando tanto em chocolates que nem nos demos conta que paramos numa loja á beira da estrada onde se vendiam TRUFFES, e todos os três estávamos pensado somente naqueles chocolates trufados, esquecendo do real significado. Lá a trufa não era chocolate e ficamos bastante desapontados apesar do mico que passamos, haviam milhares de potinhos super pequenos e eram vendido a gramas, a peso de ouro. Na Gastronomia, a Trufa (em francês truffe e em italiano tartufo) é um fungo subterrâneo, da família das entuberáceas, que produz corpos esporíferos tuberosos, comestíveis pelo sabor e pelo aroma agradáveis. Há várias espécies, todas européias e do gênero Tuber. Geralmente, se usam animais para caçarem as trufas (cachorros, porcos), pois é um alimento selvagem.

De St. Paul de Vence subimos facilmente para um Canyon chamado Garganta dos Lobos, onde vimos castelos construídos à beira de enormes e profundos rochedos. A área é conhecida como Gorges du Lupi e Gorges du Verdon, onde tem a encantadora cidade de Gourdon e podemos escolher descer direto para Cannes ou voltar a Nice. A cote d´azur experimenta quase 300 dias de sol por ano e fazem festas das laranjas em Menton: O início da Riviera francesa pois quem chega, vem da Itália, já passou por San Remo com seu cassino, já viu Montecarlo com os castelo do Príncipe Rainier. Só dá para suspirar um pouco por Grace Kelly ter partido daquela maneira, morrendo em um acidente com seu carro, deixando um passado de antidepressivos e a procura pelo tempo perdido longe do cinema e da estrela que deixara de ser por uma realeza que ela se arrependia de ter aceito...

Logo após de Menton vem Roquebrune, Antibes, Cap. de San Martin com suas marinas e seus iates. Dizem que os mais abastados moradores do lugar possuem até pista de pouso própria e é raro aquele que não tenha um heliporto.

Mais para baixo vamos encontrar Saint Tropez, que nos trouxe Brigite Bardot, que por tanto tempo quis se mudar para o Brasil. De Saint Tropez chegamos a Toulon e a Cassis, que é belíssima, mas fica numa descida. Assistir a um por do Sol em Cassis e ver o céu ficar todo laranja e vermelho é impagável, em todos os cantos há homenagens aos que resistiram a invasão nazista e lutaram na Guerra. De Cassis estamos a minutos de Marseille, a cidade mais antiga da França, onde foi composto o hino francês. A primeira coisa que vi foram os fortes que resguardam a cidade, quase á noitinha e já iluminados com cores azuis e violáceas. Paramos para tomar a boul a famosa sopa de frutos do mar, no local que a criou. É em Marseille que temos um porto gigantesco, cheio de barcos e de onde saem passageiros para as ilhas mais próximas e para visitar o castelo de If, imortalizado por Alexandre Dumas. Há um ônibus de turismo que nos leva a todas as partes da cidade e, assim que saímos de Marseille nos vemos no coração da Provence! Fizemos amigos franceses desde a primeira vez que estivemos em Los Angeles, Hollywood, e o casal morava na Provence. Pois foi lá que parei numa cidadezinha onde um vulto de negro, feito uma estátua, parecia assombrar a porta de um prédio. A figura de negro retratava Nostradamus, o pai das profecias e foi, assim, sem planejar que olhei para o alto do prédio e encontrei a inscrição: aqui viveu e morreu Nostradamus. Hoje sua casa é um museu com vários andares que conta sua história em cenas que ilustram grandes momentos de sua vida.

A esta altura estamos entre Les Baux de Provence, onde vemos castelos cravados nas rochas e construído de forma que se confundiam com as cores das pedreiras para evitar a invasão dos inimigos. Les Baux de Provence guarda monumentos do tempo dos celtas, e fica entre St. Remy e Arles, onde viveu Van Gogh e você experimenta ver ao natural o local de suas pinturas, onde contemplamos o objeto pintado e sua pintura. Minha maior experiência foi encontrar o Bar La Nuit na Praça do fórum, um dos locais que se mantêm desde a época de Van Gogh como está no quadro, com a noite e suas estrelas... fiz questão de entrar no café onde Van Gogh deve ter entrado tantas vezes. A sensação era como de entrar dentro de um quadro, pois conhecemos mais o quadro do que o que vemos na realidade. Ali também está a ponte levadiça para os barcos passarem que ele pintou, os campos com os trigais...Um lugar mágico, onde cruzou Nostradamus e Van Gogh, entre girassóis margeando as estradas. Saindo de St. Remy estamos em Avignon, no Palácio que abrigou os Papas. Pois nem sempre o vaticano foi o centro do papado, Avignon guarda o Palácio dos Papas e a famosa ponte de Avignon daquela musiquinha francesa.

Hoje a arte está integrada aos meios de consumo, tornou-se objeto nas prateleiras dos supermercados, como diria Andy Warhol, em sua mostra no Centre Pompidou, onde seus quadros mostram a reprodução em série de Elizabeth Taylors e Marilyns entre latas de sopas Campbell´s.

Em algum ponto, descobrimos onde produzem o chateaunuf du pape, o lugar abriga castelos que hoje servem de hotéis. Dali é fácil descer por Perpignan para chegarmos a Barcelona, na Espanha, e quem quiser pode fazer uma visitinha a velha cidade de Andorra. Somos levados até uma praia chamada Canet la plage, que é o caminho para descermos para Perpignan e Barcelona. Um pouco antes entramos numa outra casa que vendia vinhos, paramos o carro, estava tudo fechado para a hora do almoço. Na verdade parecia tudo abandonado. De repente, quando adentro a propriedade me deparo com aqueles castelos totalmente abandonado, uma verdadeira mansão com eras devorando a casa e subindo pelas paredes, pelas janelas, indo até as torres. Na frente um jardim onde uma vez crianças poderiam ter andado, percorri cada centímetro daquele chateau assombrado, com aldrabas nas portas, leões rugindo...

A imagem “http://www.jornalorebate.com/64/FontedeMedicis.jpg” contém erros e não pode ser exibida.

É quase natal e eles acenderam as luzes das árvores que ladeiam o Champ-Elysées... é tudo tão maravilhoso, penso. Nem se lembrarão de mim quando eu me for. As barcas desenhadas continuarão por ali, o Quartier Latin, a Fontana de Médicis do Jardin de Luxembourg, os pássaros a construir ninhos sobre as estátuas douradas das rainhas e dos reis... as feuilles mortes se amontoando pelas calçadas como se meu coração visse tudo como num eterno outono, não haverá mais Versalhes e os jardins de Le Nôtre para um pobre plebeu, e o francês cruzando as ruas sem pressa, naquele capotão engraçado de espião, consegue manter aquele ar de que o tempo não passará, que não há pressa para se viver, que em algum dia o sol voltará a brilhar como num quadro de Monet, ou expresso nos realismo mágico de René Magritte, fumando seu pipe ( cachimbo ). O ritual de venerar os mortos da segunda guerra e levarem flores ao túmulo do soldado desconhecido sob o Arco do Triunfo. A Sorbonne, as livrarias de Saint-Michel, o Pantheon, os antiquários da rive gauche, os bouquinistes vendendo affiches de cartazes antigos, desenhos de Mucha, de Lautrec, livros raros, desenhos da Notre dame... a mágica Ile de St.Louis. Agora tudo frio demais, 8 graus pela manhã cinzenta e azul, as pessoas demoram a acordar, lojas demoram a abrir... Percorro Montparnasse, com seus teatros, outros hotéis em que fiquei ( um bom lugar para se ficar. Uma vez em Montparnasse você está perto de tudo.

Ainda sinto o gosto do crepe com sabor de amêndoas, a ebulição que já não há quando vento ou chove obrigando os artistas da Place du Tertre a se protegerem do frio... nem sempre neva mas Paris no inverno é aconchegante, mas uma outra Paris, uma outra cidade, totalmente diferente daquela ensolarada e verdejante nos meses de junho e julho quando faz muito calor, quando os jovens vão se juntar nas escadarias da Sacre-Couer ( O Sagrado coração ) A rue du bac também é local de perigrinação, onde vemos a capelinha em que a menina Labouré teria visto a aparição da Virgem Maria pedindo que esta cunhasse a medalha milagrosa, pois Paris sofreria por tempos terríveis. Posso ver ainda o trenzinho de vidro subindo e descendo a colina de Montmartre; o monte onde uvas e moinhos se ocultam da paisagem, onde uma casa ainda imortaliza as obras de Salvador Dali e o museu de arte naif.

http://www.jornalorebate.com/64/SACRECOUER.bmp

Pequenos restaurantes abrem portas onde outrora foram casas e ateliers de artistas, como o da rue Poubolt, as mesinhas tão pequenas, o olhar sereno do casal de ingleses que vieram passar o ano novo em Paris, ele, um senhor de mais de cinqüenta tentando me dizer que a esposa nunca saíra da Inglaterra e aquela era a primeira vez que estava vendo Paris. A primeira vez que se vê Paris é eterna... ficaram proseando conosco sobre os melhores lugares da Inglaterra, York, Bath, segundo a esposa, qualquer lugar acima de Manchester onde a paisagem se abre em campos verdejantes e todas as aldeias estãoi voltadas para festivais de música que acontecem em agosto no Distrito dos Lagos ( Lake District ), região para quem sobe para a escócia, pega Carslile, Cardiff, Lancaster seguindo até Glasgow e Edimburg, nas terras onde foram filmados Highlander, aquilo sim, um passeio inesquecível, que nunca tive a chance de fazer.

Sei de antemão que acordarei um dia em casa e o sonho terá terminado, não haverá nenhum carro parado na porta do estacionamento do hotel, não haverão mais passeios, não verei mais você.

O gostinho de tomar café com croissants fresquinhos, numa adega de tijolinhos brancos, a dona do hotel me perguntando se quero um ovo frito pela manhã... Os tetos das casas cobertos por chaminés, as janelas cobertas por flores e sons que vem de uma eventual vitrola perdida... se você um dia estiver em Paris, vá ver primeiro a Torre Eifell saltando no Trocaderó, suba as escadas do museu que se abre para a vista mais bonita da cidade, os canhões a esguincharem água sobre uma fonte e a visão da Torre Eiffel, como se estivesse sendo inaugurada nos dias atuais, ao longo, a Place de Marte, ao final, a Ecole Militaire. Todas as noites os canhões dão um show de luzes coloridas, colorindo as águas e todas as manhãs ao sol, elas formam brilhantes arco-íris que ninguém consegue pegar. Todas as noites a torre Eiffel ilumina-se com um show de luzes a recepcionar os olhos de qualquer visitante, e passa a piscar com intermináveis flashes de luzes feéricas, em meio a holofotes a girarem pelos céus. Mais uma vez, Paris está em chamas... Audrey Hepburn estará sob o Piler Nord da Torre Eiffel ou andando em um daqueles carrosséis, tão típicos dos franceses. Leslie Caron estará dançando sobre as fontes da Place de la Concórdia e poderemos ouvir as dançarinas do Cancan imortalizadas por Toulose Lautrec, um freqüentador assíduo do Moulin Rouge, aberto a 5 de outubro de 1889, cujo filme de BAZ LURHMAN nos mostrou que havia um elefante na porta, que Zidler era o nome do dono da casa noturna... tudo o que vimos no filme, de certa forma foi real, uma homenagem fantástica ao cinema de arte e aos musicais de Hollywood, exaltando o encontro surrealista do amor com uma mistura de Noviça Rebelde, Cancan, Tango ( o belíssimo tango que não encontrei nas casas de música em Buenos Aires, foi um tango feito para o filme, o tango de Roxanne), na voz poderosa de Nicole kidman, a cortesã mais linda de Paris. O filme, um delírio artístico, nos trás de volta a uma feérica Paris do séc. XIX, com o frenesi dos tempos atuais, fazendo um renascimento dos Beatles, de canções que ficaram famosas na interpretação de Marilyn Monroe: diamonds are the girls best friend... vemos até a fada sininho cantar The hills are alive with the sound of music... Hitler invadiu Paris mas não destruiu nenhum monumento, até os americanos se curvaram ao encanto desta ilha mágica.

Os cafés Le Deuxs Magots, o nome dedicado à presença de dois dos reis magos no seu interior, a Brasserie Lipp, a velha igreja de Saint Germain , os boulevares mais famosos se cruzando, repletos de árvores de onde brotam flores cor de rosa. Ainda me lembro do tempo que ainda se usavam os francos, das notas em que o pequeno Príncipe vinha desenhado. Quando se entra em Nice, a avenida tem o nome do personagem de Saint-Exupery... Feche os olhos e esqueça Paris, esqueça as promessas de amor, os olhares e beijos trocados, esqueça Grasse, a cidade que produz os mais deliciosos perfumes da França, através da prensagem de toneladas de pétalas de rosas e de outras flores, receitas guardadas a sete chaves. Feche os olhos e sinta-se dentro do seu carro atravessando os campos de lavanda, girassóis, as nuvens desenhadas, ligue o rádio e escute

Oh! je voudrais tant que tu te souviennes
Des jours heureux où nous étions amis
En ce temps-là la vie était plus belle,
Et le soleil plus brûlant qu'aujourd'hui
Les feuilles mortes se ramassent à la pelle
Tu vois, je n'ai pas oublié...
Les feuilles mortes se ramassent à la pelle,
Les souvenirs et les regrets aussi
Et le vent du nord les emporte
Dans la nuit froide de l'oubli.
Tu vois, je n'ai pas oublié
La chanson que tu me chantais. (Les feuilles Mortes)

A imagem “http://www.jornalorebate.com/64/lesfeuillesmortes.jpg” contém erros e não pode ser exibida.

Deixe-se adormecer no colo de Carla Bruni, nas étoiles de la Chanson admirando as fazendas que margeiam as estradas, os jardins de Le Nôtre , as tavernas, a loja de perfumes Sephora vendendo lançamentos Dolce & Gabanna, Chanel... a loja começa desde os souvenires de 1 euro até os perfumes de 1.000 a 5.000 euros. Visite o Marche aux puces, o mergado das pulgas, o bazar do hotel de ville, que é uma loja gigantesca bem na frente da Prefeitura de Paris. Lojinhas mágicas para degustação de vinhos, prove o vinho Sancerre, que parece ter sido inventado pelo mago Merlin... a Paris de Josephine Baker, de Maurice Chevalier, Yves Montand parece ficar cada vez mais esquecida, Madonna hoje lota qualquer show em Paris; a cité da Musica e da industria, feita para crianças e adultos apresenta mostras de arrepiar, como a música na época da Guerra, ou seja, executada dentro dos campos de Concentração. Você sai da mostra vendo os horrores que o mundo passou e o papel espiritualizador da música, como a resgatar a esperança partida. Quando saímos da mostra não tínhamos quase dinheiro para comprar os cds tão caros, os dvds da loja, e preferimos almoçar, bastava cruzar a rua e chegar a um restaurante. Observamos que uma senhora idosa fizera o mesmo, enquanto gastávamos nossos parcos euros num macarrão com pedaços de calabresa e um ovo por cima ( o que fazer, era o prato do dia ) a velhinha pediu um café e tirou seu sanduíche da bolsa, passou a comer o sanduíche e pediu uma garrafa d´água. Estava sem dinheiro? Ela começou a retirar uns vinte cds da bolsa e uns livros, só para pôr mais água na boca da gente.

http://www.jornalorebate.com/64/zatarmontstmiche.jpg

Na saída de Paris a placa indicando: Giverny Maison C. Monet... a casa onde Monet construiu seu ateli~e ao ar livre, criou rios, jardins... vamos entrar? Perguntei. Sílvia já tinha visto e respondeu: ah, é apenas mato! -Impressionante!

Subimos primeiro para a Normandia, para Rouen, Caen, Honfleur, Saint-Malot e visitamos o monte de Saint-michel com sua abadia. Depois retomamos o caminho pelo loire, passando por mais de cem castelos – na verdade vimos uns dez, o resto estava apenas no mapa, existem realmente cem castelos no vale do loire e apenas alguns vistáveis, outros servem de hotéis, como o Brissac. Ussé é o castelo da Bela Adormecida que já narrei, o Azay-le Rideau, Chenonceau com sua fonte dos desejos na frente ( a primeira vez que fui, numa excursão by bus, eu fiquei na lojinha para comprar uma camisa do lugar e o guia passou disparado com a excursão inteiras, vi fecharem a porta do castelo na minha cara. Uma vez lá dentro, não sabia qual era meu grupo, havia um grupo que só falava grego, italiano, francês e um em espanhol, fiquei procurando pelas caras dos guias.

Uma dica: Não peguem essas excursões rapidinhas com a Cityrama, é apenas uma correria sem fim e no final você não viu nem ouviu nada, prefira sempre o serviço pick up ( que pega você numa van em seu hotel e depois de cumprida a missão, com classe, eles fazem o drop off, ou te deixam em casa, no hotel ). Já estou bastante escaldado para saber que guia nenhum espera que você entenda o que eles mostram o querem dizer, da mesma forma como somem quando você menos espera, e se você souber mais que eles, você vai se irritar, porque numa excursão by bus que peguei em Los Angeles, da primeira vez, eles paravam na calçada da fama e levavam o grupo até o Teatro chinês, mostravam aquelas centenas de autógrafos no chão do teatro e não permitiam que você cruzasse a rua para ir acompanhar as estrelas com seus nomes nas inscrições, ou seja, acabei perdendo o ônibus ao sair de uma outra loja com uma outra blusa e um postal na mão, e voltei para o hotel onde nosso carro estava no estacionamento – mas andar em Los Angeles, é loucura, são 14 subúrbios interligados numa só cidade, você pode passar seis horas tentando chegar ao fim de uma única rua ou avenida até chegar ao seu destino e se ver novamente livre do carro. Flávio estava de cara trombuda por ter perdido o tour de ônibus, mas resolvemos esquecer e tenatr fazer o tour por carro. Deu para chegar até o teatro chinês por nossa conta e fiquei horas intermináveis lendo as assinaturas dos artistas impressas em cimento; conhecemos bem a Walk of Fame e as casas dos artistas, chegamos até a casa de Disney, que estava sendo demolida, e restava a caixa do correio toda desenhada... sim, Walt Disney, quantas cartas não te escrevi ao passar dos anos... O lugar era tão bom, onde o ônibus tinha me largado entre o teatro chinês com a calçada da fama que ali ergueram um enorme shopping center a céu aberto, com elefantes bíblicos sobre pilastras gigantescas de onde se avista o cartaz de Hollywood. Usaram os cenários de um épico que se passa na Babilônia, ao lado do Kodak Ttheatre, o teatro onde hoje é sede permanente da festa do Oscar e ao fundo fica o suntuoso hotel Hollywood Highlands. Ficamos lá anos mais tarde para passar a véspera do ano novo, esperando ao menos ver a Cameron Diaz, a Drew Barrymore, Kate Winslet ou quiçá Julie Andrews, mas qual o quê, não se vê nenhuma cabeça estrelada, a sensação é que Hollywood hoje é uma cidade só de executivos e de fachadas, como a lanchonete onde os carros rabo de peixe iam com os casais para assistirem cinema ao ar livre, o Mel´s drive, que continua aberto com os autógrafos dos astros do rock: Chuck Berry, Bill Halley, Jim Morrison que gravavam suas músicas na concorrida Tower Records... executivos cuidando de estúdios velhos como a Paramount A Warner, a Fox, a Universal ( a única que abriu seu próprio parque ) é mais fácil uma ida ao cemitério de Beverly Hills e encontrar a dama de preto chorando no túmulo de Rodolfo Valentino, que procurar assistir a um show de Barbra Streisand. Os grandes artistas estão sempre em Las Vegas, como Barry Manillow e aconselho a você procurar por Al Capone na Ilha de alcatraz em San Francisco se acredita que vai se deparar com Shirley Maclaine ou o fantasma da Gloria Swanson, Bette Davis, Joan crawford... Hollywood era quase sinônimo dos grandes estúdios da MGM, responsável pelo star-system, numa época que não havia concorrência coma Tv, em que a mídia era toda focalizada em grandes astros e estrelas que ditavam e vendiam o modo de ser e de viver do americano, tais como Judy Garland, Rita Rayworth, Deborah Ker, Fred Astaire, Gene Kelly, Debbie Reynolds, até Doris Day. Eram astros que ditavam a moda, o consumo, e geravam filmes como Candelabro Italiano, Tarde Demais para Esquecer, Cinderela em Paris, Bonequinha de luxo, Crepúsculo dos Deuses...

Hoje filma-se em qualquer lugar e corre-se o risco do astro do filme ser uma criatura gerada por computador. Existe ainda glamour, mas o cinema de autoria, assinado por grandes diretores está tendo cada vez menor espaço... Malibu é um ótimo local para descobrir que os artistas vivem num mundo à parte, separados por paredões e rochas, entre condomínios bilionários, como Julia Roberts que nunca terá de se preocupar em voltar a ser uma pretty woman na Rodeo Drive...

http://www.jornalorebate.com/64/explorandoafranca.jpg

Próximo a Paris está Melun, Fontainebleu, Epernay, onde o champanhe foi inventado por monges, dizem, por um descuido...Em marne-la-vallé nos leva onde fica a Disneylândia Paris ( e também ao parque Asterix, aberto somente no verão ) muitos acreditam que Disney só em Orlando, ou a inimitável Disneylândia de Anaheim em Orange Country. Fontainebleu é a residência preferida de Napoleão e depois chegamos a cidade de Troyes. Andamos pela feirinha, toda cidade que se preza faz sua feira de Natal, enche de bolas as árvores, luzes e cores, vende comidas as mais estranhas. O pior foi termos estacionado o carro esquecido de onde o deixamos, parecia impossível de se achar o local novamente, rodamos pela cidade com suas construções de madeira e prédios medievais girando feito loucos pelas ruas, sem sequer encontrarmos um referencial que nos desse uma pista. Troyes não foi diferente, estávamos a caminho de Strasbourg e Colmar, a Veneza francesa. Antigamente seus diversos canais eram usados para facilitar o comércio de vinho. Estávamos na região da Alsácia, onde em breve entraríamos na Alemanha. Uma cidadezinha, de nome de gnomo conhecida por Riquewhir, com apenas uma rua que corta a cidade de um extremo ao outro parecia uma verdadeira árvore de Natal; suas ruas eram todas repletas de lojas para vender desde cristais a lâmpadas, bolas, enfeites, docinhos regionais, bolinhos saídos do forno. Era uma festa para os olhos, e o relógio da cidade se enchia de cores. De lá, nossa intenção era entrar pela Alemanha através da Floresta Negra, aquela que deu nome a certos bolos de chocolate... na verdade, a floresta não tem nada de negra, ao menos não vi nenhuma bruxa, talvez estivessem na hora do almoço, tirando um cochilo ou estivessem à espreita, nos rondando...

O euro tornou a Europa mais cara, tornou os países mais fechados e criou um mercado que realmente funciona, porque não parecem existir mais fronteiras, numa mesma estrada quando acontece um engarrafamento ( como foi o caso quando estávamos tentando entrar em Florença, isto é um capítulo à parte) você se depara com caminhões de todas as nacionalidades, belgas, ingleses, alemães, suíços, e todo aquele povo sai dos carros e vai conversar em suas línguas nativas, ou um arranha um pouco do francês, alguns optam pelo inglês... Aguardem pelo próximo artigo, nesta mesma Bat-coluna, neste mesmo Bat-Jornal online! E tenha uma Bat- semana com muitos bat-rebates!

 

fla_clip_image002_0000.jpg
BAR LA NUIT, de VAN GOGH.
O local perto da Praça do fórum é o mesmo.

Comentários: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

( JOIE DE VIVRE )

LUIZ ZATAR no interior da saint-Chapelle, PARIS

Uma leitora me pergunta: Ai Luiz, Paris é linda não é? Não tem um defeito. Na minha opinião é o lugar mais bonito. Eu viajo com umas reportagens dessas. Muito linda mesmo. Parabéns pela matéria.
Me responda uma coisa: qual a sensação de ver o quadro da Monalisa de perto? Deve ser indescritível. Meu sonho, todas aquelas obras de Da Vince no Louvre...
O que vc sentiu quando esteve diante da mona Lisa, Luiz?

RESPONDO AQUI, INICIALMENTE, COMO SE CHEGA ATUALMENTE COM FACILIDADE A TAL OBRA: Existe um elevador que tem o ícone da Mona Lisa no lugar do número do andar. Você aperta o botão e sairá exatamente na sala reservada para o quadro mais famoso do mundo... É verdade, tem muita gente que não sabe se acredita no que vê, que chora... mas todos se entreolham depois de algum tempo, é como se ali estivesse retido um pedacinho do tempo, da história do mundo. Alguns dizem que o quadro é pequeno, muito menor do que supunham, tolice. Essa mesma apreensão, quase reverência é dada a capela Cistina, que eles colocam guardinhas para dizer o tempo todo que não se podem tirar fotos ( os flashes ) danificam as obras e o trabalho de restauração. Por mim, acho que a Capela Sistina já foi tantas vezes restauradas que já nem é mais a mesma... Mas pé parte da história da humanidade, uma obra encomendada pelo papa ao jovem Da Vince, e ele está lá no filme e na EPCOT ( Parque da Disney) pintando o quadro deitado... se forem até a capela Sistina eu aconselho a levarem binóculos porque todos ficam olhando para o teto á procura das imagens mais famosas, ícones da humanidade, mas você vê tudo distante, somente o Juízo Final está pintado numa parede á sua frente onde você pode apreciá-lo melhor.

A maior sensação que qualquer museu pode me dar foi de me colocar frente a frente com Toulose Lautrec, Monet, Renoir,Degas, Serraut, ( os grandes impressionistas, os artistas mais contemporâneos, o qual aprendemos a ver seus quadros em revistas desde crianças.)

Estar diante de um Van Gogh, o quadro dos girassóis por exemplo, ou do Bar LA NUIT, que tive prazer em entrar ( imagine, entrar dentro de uma pintura ) é como estar diante de um fato da história, parece que passaram-se anos, mas não, não são meros quadros, são relíquias que contam os movimentos históricos e sociais do mundo, registros de uma época... meu pai passou grande parte do tempo colecionando Os mestres da pintura, e eu viajava naquelas pinturas desde a Idade Média, mas sempre voltava aos grandes mestres ( quando morreram viraram mestres e os quadros passaram a ter mais valor, incrível, né? ) E aberto diante a mim estavam todos aqueles pintores e suas obras, a experiência no Museu D´orsay para mim foi única, está acima da sensação que você pode ter ao entrar no Louvre, cuja entrada hoje é feita no interior de uma pirâmide de cristal, e você vai descobrir que não terá tempo o suficiente para visitar sequer uma única das 4 alas que ele se subdivide...

O Louvre tem muitas coisas obras de pintores italianos, mas Da Vince reina na Itália, em cidades como Roma, no museu do Vaticano, nas obras arquitetôtinas, em Florença com o seu David; na Basílica de São Pedro em Roma, logo na entrada, com sua Pietá... Ver tais obras é sentir a presença de Deus viva entre os seres humanos, capazes de tanta beleza e de tanta barbárie...

ENTRADA DO LOUVRE

O CHAMP-ELYSÉES COM SUAS LUZES FEÉRICAS E SUA NOITE MÁGICA

. Essa belezinha erguida por Napoleão na Place Vendome, onde atrás tem o Ritz , o hotel que hospedou a Princesa de Wales, Lady Di, morta num acidente misterioso num dos túneis ( qualquer um que passa vê a marca do acidente na parede do túnel ) foi feito de vários canhões derretidos, canhões que foram usados na Batalha de Austerlitz por Napoleão. A história do ser humano é de uma barbárie só, domínio e escravismo. Resumindo: Poder.

. A igreja Madeleine é famosa por só ter colunas e não janelas, foi mandada ser construída assim, por Napoleão, ao contrário da igreja de Saint- Sulpice e a fonte dos 4 cardeais, onde o Marquês de Sade foi batizado.

No natal de 2004, as luzes da s galeries Lafayette nunca estiveram tão brilhantes.

. Não contente com as compras no Printemps, La Samaritaine e Galeries Lafayette, Silvia Chiozzo encomendou um carro novinho, conversível, só que britânico.

Próximo a Madeleine vamos encontrar o Olympia de Paris, onde la Dietrich e Piaf fizeram história e até nossa Bibi Ferreira encantou os parisienses...

. Atrás da Notre Dame tem uma passagem para a ilha de Saint-Louis, e é lá que vamos encontrar a casa de sorvetes mais famosa, a Maison Berthillon, com mais de 50 sabores diferentes. Prove o sorbet de champagne. Não falha.

. A Opera Garnier é um marco, à sua esquerda tem o Café de La Paix e atrás as galerias Lafayete e o Printemps, no coração do centro d e paris, pertinho do museu de Cera Grévin, diante do metrô mais antigo e central, se mistura com a própria história, hoje, impossível ver uma ópera ali... somente apresentações de balet. Seu interior é faustoso, tem no teto uma enorme pintura de Chagall , um lugar imperdível para ser visitado.

Em direção a Madeleine, estamos próximos do Maxim´s ... do Fauchon , oh, La avie em rose...

. Aqui estamos os três viajantes, desesperados de fome, tendo que passar a pão com patê ou com um raro presunto e queijo, aliás, se acontecer de passar a hora do almoço e voc~e ficar sem comer, tente pedir o croque-monsieur que é um simples pão de forma com bastante queiijo derretido por cima, o que vai dar a idéia de que você está comendo um misto ao contrário, mas é assim por lá, e tem o croque-madam, que ainda leva um ovo...porque o parisiense é muito rígido nos horários das refeições, ou seja , se você não aparecer na hora do almoço você não conseguirá uma comida quente, a cozinha estará fechada e talvez você não encontre um MacDonald´s por perto ou a versa francesa do MacDonald´s que é um coelho sorridente, o Quick´s. Quando estive da primeira vez na Disney Paris, eles ainda costumavam servir vinho ao invés de coca-cola, agora a coisa está mudando, a globalização está levando para sempre os traços da Paris onde o fast food não tinha vez, e , se por um lado vence o prático hambúrguer, por outro, morre a poesia. Lá também é a terra dos grandes salões de thea, ou chá, sempre uma boa opção para você saborear os quiches e tortas. Mas voltando ao assunto sério do almoço, a que horas exatamente eles fecham??? A hora do almoço para eles é sagrada. Três horas eles já não servem mais nada, fecham para o jantar. Além dos crepes, o Parisiense é famoso por sua sopa de cebola que vem gratinada com uma grossa cobertura de queijo e parece bufar feito um vulcão, minha mãe se espantou mas achou deliciosa e chegou a voltar no AU PIED....

. Por que será que os franceses cobram mais caro por uma Coca Cola do que por uma garrafa de vinho? Estamos todos habituados a matar a sede com coca cola, lá, as garrafas são menores e você paga como se estivesse tomando ouro. Mas soube caçar restaurantes brasieleiros aonde servem até guaraná e oferecem desde feijoada a um elegante churrasco, com samba ao vivo, isso é a Paris dos latinos.

. O que é mais parisiense, O Lido com suas mulheres de peito de fora, os candelabros que sobem, as fontes que surgem do nada e você é fotografado e acaba numa caixa de fósforos, dessas que colecionávamos, ou o velho e bom MOULIN ROUGE ? Nicole kidman não pode estar errada... Aliás, por todos os cantos encontramos placas com marcos históricos da cidade a recontar a sua história fantastique!

. Indispensável um cruzeiro pelo Sena, seja com gala ou sem gala, mas resgatando aquele glamour que faz de paris uma cidade encantada, cheia de arrondissements e lugares misteriosos, cheios de poesia, você pode andar por aquelas pracinhas ao som de acordeão, entrar em alguns restaurantes em Montparnasse onde uma cover de Edith Piaf irá interepretá-la em seus dias de glória, enquanto você prova o trágico cuscuz marroquino.

Não me perguntem o porquê do trágico. O cheiro parecia bom, mas era um caldo grosso, esquisito, dentro só havia uma cenoura boiando que Silvia Chiozzo morrendo de rir a içou...

Na minha lasanha veio também um lindo e comprido fio de cabelo bem grosso, maior do que o rabo de cavalo da francesa que a serviu e, numa outra ocasião, num almoço de Natal, assiste uma cena inusitada, Flávio de repente saiu pulando pela mesa batendo com o cabo da faca em sua salada... ninguém olhou. É bem verdade que a salada saiu andando e ele saiu acompanhou a salada em movimento enxotando o alface pela mesa. Olhei ao meu redor, famílias inteiras almoçando, casais namorando, criancinhas vestidas como Homem-Aranha, seus super-heróis. Olhei para Flávio e perguntei o que tinha acontecido. Ele sussurrou: Tinha uma barata na minha salada, estava se escondendo sob as folhas.

Você acha que ele se queixou com a cozinha? Passamos para o segundo prato... As estradas parisienses são cheias de restaurantes e paradas para encher o tanque e eu aproveitava para ir na seção das saladas com batatas, salsichas, molhos da Alsácia. Às vezes o frio era tanto que o sanduíche que a gente levava pro carro para comer parecia duro feito um picolé.

. Chocolatiers -Paris, a cidade dos chocolatiers, das casinhas que escondem receitas de chocolates produzidos desde 1700 e qualquer coisa a 1800, encontrei a DeBauve & Gallais: 30 rue des Saint-Peres, Paris 7 and 33 Rue Vivienne, Paris 2. Não perca este endereço.

.Numa casa em Melun , há menos de 30 ou 40 quilõmetros de Paris, duas vezes por semana, são feitos jantares á luz de velas e tome velas, é como no passado onde os candelabros eram todos cheios de velas acesas ao grand estilo BARRY LYNDON de Stanley Kubrick. Você é levado de carrugaem até um certo ponto onde desce nos jardins cheios de artoches e iluminados por velas até adentrar a deslumbrante mansão, que quando passei, a caminho de Strasbourg, estava fechada, mas tirei fotos imperdíveis, o dono daquelas terras era o mesmo jardineiro real, ou seja, já havia naquela época a tal da corrupção... Até há pouco tempo, títulos de nobrezas eram leiloados, mas quem adquiria um título de nobre, tinha que arcar com as despesas de convidar uma vez por semana toda a nobreza e pagar pelo caviar e escargot, assim, o cara ia a bacarrrota.

A casa de qualquer chocólatra , a Disneylândia dos docinhos encantados, onde você não pode tocar nas caixas de doces, é recomendável...

... Você se encanta ao entrar numa dessas casas, cada bombom coberto com um confeito diferente, pessoas ao fundo bebendo chocolate quente. Me deu vontade de levar cinco caixas na hora e em paris, o cliente não sai pegando as caixas, assim, sem mais nem menos, há todo um ritual e eu que estava sem tempo descobri pelos olhares de horror da balconista que eu deveria estar assaltando a loja.

A minha resposta foi colkcoar as caixas no balcão diante a mulherzinha horrível que me olhava com ares diabólicos e mostrar para ela minha carteira cheia de dinheiro.l feito isso, ela não ficou mais me vigiando, isso depois de ter me tirado o meu prazer. Nunca mais consegui voltar aquela loja, somente numa noite da virada do ano em que os metrôs fecharam por greve e não havia táxis ( exceto se vc desse uma gorjeta de 200 euros, para atravessar a cidade. ) Resultado, acabei passando em frente a tal loja ... cruzei o rio sena, atravessei o Louvre a pé e só fui chegar ao hotel em Montparnasse ás cinco horas da manhã... a cueca eu joguei fora. A calça também. Naquela noite em que me senti um imbecil total com a bunda ardendo e usando creme nívea, assistia às últimas notícias da tsunami que devastara toda a Indonésia. Nos idos de 2004 para 2005.

. As fontes da Place de la Concorde , todas pintadas a ouro, a beleza ímpar dos seus cafés resguardam Paris – para as novas gerações – como um hino ao amor! Mas lembre-se, fazer amor sem tomar banho deve ser normal porque existem nos magazines e isto eu comprei, um desodorante com o poder de durar 7 dias. Não é de se admirar que ao fazer visitas nos supermercados haja tanto queijo verde, azul, com cabelo crescendo, mas você não estaria em Paris se não fizesse uma visita ao Bom marche com suas máquinas automáticas de pesar, você clica na fruta e lá sai impresso o preço da fruta desenhada. São mais de 5 quilômetros de mercado. E o que seria da França se não fossem aquelas lindas tendas vermelhas, toldos coloridos, as luzes dos lampiões acesos, as vitrines do Fauchon a maior casa de especiarias e iguarias para a festa dos gourmets e cozinheiros.

Uma vez, no Louvre, me enamorei por um quiche de alho poro que deu pena de ser comido. As tortinhas de framboesas, o que fazer? Je ne se pas... Procuro pelas vozes de Mireille Mathieu, Charles Aznavour, Françoise Hardy... e como num sonho parece que escuto:

tous les garsons et les filles de mon age
se promanent dans la rue deux par deux
tous les garsons et les filles de mon age
savent bien ce que c'est d'atre heureux

tous les garsons et les filles de mon age
font ensemble des projets d'avenir
tous les garsons et les filles de mon age
savent tras bien ce qu'aimer veut dir

. Ao fundo, a avenida toda verde que se perde de vista é o Champs Elysées.

Prometo voltar com aventuras na caverna de lascaux, uma passagem atribulado pelo castelo de Chenoceau e quem sabe um pulo a Riviera francesa? EuroDisney, vale a pena?

Me aguardem!

Breve percorreremos os caminhos da França, o vale do Loire, a Borgonha, a Normandia... cidades como ROUEN, CAEN, SAINT-MALOT...

. Aqui estou eu com Sílvia Chiozzo, no alto do Musée D´orsay . Cumprimente os pássaros e olhe o espetáculo do Louvre do outro lado do Sena, o Louvre foi feito para ser visto em um mês... mas as pessoas insistem em visitá-lo em um só dia...

. A Saint Chapelle é uma igreja medieval que fica atrás do Palais de justice , que vc sempre pode visitar. Diferente de qualquer outra igreja ela parece estar no ar, cercada por seus enormes vitrais. No chão, a coroa e a flor de lís.

. A Casa do Corcunda :Tenho uma prima, a Zilcy , que chamava a Notre Dame de “ a casa do corcunda” , pois era lá que o hunkback se escondia, por entre as gárgulas, amando de longe a cigana esmeralda. Lembro de imagens vistas quando criança de Charles Laughton fazendo o papel do corcunda... A Catedral de Notre-Dame de Paris é uma das mais antigas catedrais francesas em estilo gótico. Iniciada sua construção no ano de 1163. inicialmente foi uma igreja sem bancos como vemos nos nossos dias, era usada para rituais, danças e até para a coroação de Napoleão que se auto coroou Imperador da França.

Essa foto é vencedora de prêmios e me foi presenteada pelo artista TARANTO , casado

Com Ramona, amiga que estudou na Sorbonne e filha da musicista e pianista Ana Maria Brandão, que me escreve de Montparnasse, direto da cidade luz!

. Meus amigos: Sílvia e Flavio me obrigaram a subir o Arco do Triunfo , que a gente acha tão charmoso visto da Place Charles de Gaulle. Voce primeiro tem que atravesssar um subterrâneo para chegar no arco, deonde se avista as 12 avenidas maiores de Paris.

. Me convenceram de que havia um elevador, mas este estava desligado e subimos mais de 9 andares de um prédio comum, mas a vista é fascinante, vc consegue avistar a Paris moderna, onde começaram a construir prédios imensos feito uma NewYork, e lá fizeram um arco moderno e chamara o grande arco de La Defénse..

. Em La Defénse você nem imagina que está em paris, aquela cidade de Victor Hugo, da Place Des Vosges. O Arco que fizeram é tão gigantesco que, dizem, dá para colocar uma outra Notre dame sob ele e ainda sobra.

. A Place dês Vosges é um trechinho de Paris onde o tempo parou. Vc mergulha num cenário das primeiras casas burguesas de paris, e visita no número 6 a casa Museu, de Vitor Hugo.

. Talvez deseje fazer como Tom Cruise ao pedir Nicole Kidmaan em casamento, fechar a Torre Eifell em segredo e lá no último andar contratar um séqüito de violinistas chanteuses e um jantar de rei, faça melhor, em paris, seja um parisiense, não perca um passeio de barco ao sena, com jantar, de gala, ou sem gala, mas com glamour. Porque Paris é a cidade do glamour, Paris é uma festa!

. Um aviso: Não confie muito no que vê, a Gioconda passou um ano nos subterrâneos de um laboratório nos EUA sofrendo vários testes, ( não faço a mínima idéia que testes foram estes ) mas muitas das obras, não se admire, podem ser apenas sósias das verdadeiras.

. LE FERMETE MARBEUF 1900 , Voces não tiveram o privilégio de ver o salão belle epoque que pertenceu ao hotel que um dia existiu numa das esquinas mais concorridas próxima ao champs Elysées.

A propriedade foi permanceceu fechada por 80 anos ou mais. Quando abriram, lá estava o salão de jantar de um hotel que poucos se lembravam, com quadros de Mucha , o lugar tem uma atmosfera especial, faz você voltar no tempo, diante a beleza e riqueza dos detalhes. Restaurante com mais estrelas do que a via-láctea o Le Fermete Marbeuf fica oculto só pelas grandes casas, como Valentino, Prada, Gucci, e claro, o Plaza Athenée.

. Em hipótese alguma esqueçam de vsitar o LE PROCOPE, perto da Comedie française. É o restaurante dos restaurantes, aliás, o 1 restaurante de toda Paris, por onde todo tipo de rei e rainha, barões e duques, condes e figuras de qualquer época, com ou sem notoriedade, artistas de cinema, festas fechadas e regadas a champagne.

. O Le Procope é um marco na história dos próprios restaurantes. No primeiro andar guarda uma biblioteca, partituras de música e instrumentos de músicos famosos. De Scott Fitzgerald ao dono da Ford, de Santos Dumont ao Sultão de Brunei... talvez com exceção do dalai lama, todos os famosos, os curiosos, já passaram por lá, antes que RESAURANT deixasse de ser uma sopa servida nas ruas pobres de Paris para restaurar as forças ( daí o nome Restaurante ).

. Não fazia idéia de quem estava fazendo sucesso agora lá em paris, contratado por Chanel ( o perfume ) era nada mais nada menos que Rodrigo Santotoro . Alguma coisa muito estranha anda acontecendo naquele país.

. Versalhes . Andar pelos jardins de Versalhes de carruagem está tão caro quanto andar de gôndola pelos canais de veneza, a 100 euros por hora. Estávamos voltando da Normandia, uma viagem pelas cidadezinhas que sofreram o desembarque dos aliados, passamos por Deauville e Trouville , pelas praias de Aromanches , onde ainda existem as casa-matas, as construções onde os nazistas esperavam os aliados ( embora Hitler nunca tivesse acreditado que tal possibilidade poderia existir, alguns de seus generais se apressaram e mandaram construir às vésperas do desembarque enormes fortalezas subterrâneas onde eles pudessem eliminar os inimigos. Bem, a história nos mostra que a França foi salva e que o Mundo ocidental também. Estávamos a poucos metros do estacionamento quando olho para trás do Peaugeot e vejo colada no vidro traseiro, uma calcinha cor de rosa que Silvia Chiozzo tinha deixado secar ao sol de julho. No mínimo é algo hilariante, chegar em Versalhes com calcinhas no varal, dentro do carro... bom, ela é descendente de italianos assim como eu...

Havia uma calcinha no meio do caminho... no meio do caminho havia uma calcinha.

Posso começar a elocubrar uma poesia... Ao menos passamos a viagem toda cantando, alegres, porque Silvia é uma das cantoras que também compõe, e desde meus onze anos ela me deu aulas de violão, e o que eu mais gostava era de fazê-la cantar suas baladas dos tempos dos Beatles e da Jovem Guarda.

Entre as calcinhas de Silvinha que quaravam ao sol de Versalhes, da Normandia, Monte Saint-Michel, ( ah, se Maria Antonieta visse tal desfrute), cantamos todo o repertório de músicas da mpb, da Adriana Calcanhoto ( que adoro ) ao beijinho doce da sua tia Adelaide Chiozzo , estrela da Atlântida e voz de ouro da Rádio Nacional. Adelaide é um ícone nacional ainda vivo, que deu um show diante aos nossos olhos, quando estávamos almoçando, subiu no palco, pegou no microfone e disparou... Mas isso são outras lembranças. Engraçadíssima, com aquele domínio teatral tirou Flavio para dançar tango no meio das ruas de Buenos Aires , imaginem só o quadro, a estrela da Atlântida ainda exuberante fazendo parar turistas e nativos do lugar em meio aos passos de LA CUMPARSITA e outras milongas...

Como estava dizendo, Silvia e Flávio conseguiram fazer com que eu subisse até o topo do Arco do Triunfo, um dos mais belos Monumentos parisienses, encomendado pelo próprio Napoleão, um dos únicos que não teve o prazer de vê-lo em vida.

A TUTTI QUANTI BONA PASCOA! E até a continuação de PARIS É UMA FESTA!

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Roteiro para apaixonados em Paris.

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Minha prima Andréia e seu marido Renato estavam de viagem marcada para a cidade luz. Pensavam em tirar alguns dias em Paris e resolvi escrever-lhe um email dando-lhe umas dicas que julgava indispensáveis a todos aqueles que vão a cidade mais bela do mundo e com tão pouco tempo para aproveitar, no final os dois foram em todos os lugares que citei e Renato dizia que não saía do Hotel sem o papel do meu email, jogou o guia de lado e foi seguindo todos os meus passos. Em cada lugar que iam se sentiam familiarizados:

Prima Andréia, vamos ver se lhe será útil alguns pontos que julgo imperdíveis, contando com o pouco tempo em que ficarão, mas que lhe trarão imenso prazer:

Louvre : Vocês entram pela Pirâmide de cristal, onde compram os ingressos para todas as alas, que são 4 ao todo. Recebem um informe onde mostra as principais obras, os pintores italianos e a Mona Liza; concentrem-se nesses dois e já terá feito valer a pena a visita. Note que ao tomar o elevador há um botão no painel onde se vê o retrato da Mona Liza, o elevador para exatamente onde o quadro está, reinando absoluto em uma sala única. Vão com calma e não esqueçam que todas as terças os museus parisienses fecham, ou será nas segundas?

Museu D´Orsay : Este é encantador, e vc e Renato irão acabar gostando mais que o Louvre porque fica no que antes foi uma antiga GARE ( estação ) de trem. Lá vc vai bater um papo com os quadros de Van Gogh, Toulose Lautrec, Gauguin, Degas, Monet ( vc pode visitar o atelier de Monet em Giverny onde este criou lagos artificiais, pontes, para servir de temática para suas telas, Giverny fica logo na saída de Paris, para quem está indo para a Normandia ). No sul da França, a cidade natal de Toulose Lautrec, Albi, guarda relíquias destge gênio. O museu apresenta todos aqueles quadros que vimos dez mil vezes enquanto crescíamos e agora, olhando de perto, eles estão ali presentes, como que saídos de um sonho: é um choque cultural, um prazer aos olhos e vc não fica querendo acreditar que aquelas obras fantásticas possam estar juntas num mesmo lugar, são esculturas, histórias de mobiliários e design, um museu único para um momento único em toda sua vida.

A Torre Eiffel : vá de dia, de manhã ou tarde, vale a pena enfrentar a fila que for, o que vc verá lá do alto é Paris e segundo Flávio, Paris está em chamas. Hemingway escreveu :PARIS É UMA FESTA...Compre o ingresso que dá direito a subir até o último andar, vcpode ficar lá por horas. No inverno, à noite vc verá pouca coisa e também não é aconselhável passear as margens do Rio Sena, Paris é uma cidade no inverno e outra, totalmente diferente no verão quando o verde resplandece nos jardins de Luxemburgo, e todos os parques ficam cheios de encantos e pessoas tirando fotos. Aí sim, vale a pena ir até a Place des Vosges , endereço de Victor Hugo , que escreveu em 1831 O Corcunda de Notre Dame. Antes dos festejos do 14 de julho, pode andar pelos Quais do SENA de barco, as vedetes da Pont neuf, os bateau-mouche... Existem programas que incluem jantar a bordo ou eles pegam vc no hotel e te levam para o LA COUPOLE, fazem um passeio com um barco todo de vidro, cadeiras vermelhas e fones de ouvido com músicas como Um Americano em Paris, Cinderela em Paris , enquanto a noite cai e os monumentos são iluminados como estrelas resplandescentes. A última parada é feita aos pés da torre Eiffel, já acesa com suas miríades de lâmpadas e holofotes cortando os céus de Paris feito um sonho cinematográfico, inserindo vc no filme MOULIN ROUGE com Nicole Kidman. Aliás, verá até a Cote d`azur posters gigantescos de Nicole Kidman vendendo o Channel 5, no lugar que pertencia a Marilyn Monroe. Mas convenhamos, Nicole kidman tem talento e suas mãos já estão gravadas na calçada da fama de Cannes junto a Julie Andrews, no Palácio máximo das artes.Se vc for para paris conhecer o Cancan, nada como o Moulin Rouge que deixou a nós três, Silvia chiozzo, Flávio e eu inteiramente bêbados com o champanhe barato. Saímos do Moulin rouge e fomos curar a ressaca no Quick´s, a versão francesa para o macDonald´s americano, só com muita batata frita, muito sorvete, molho, chocolate... O Lido era um destino do show do teatro revista francês em estilo Las Vegas, em pleno Champs ellysés. O reveillon no Lido é vendido a 500 euros por cabeça até podendo chegar a 1.000 euros. Fechado. O Maxim´s é outra instituição aristocrática, em plena confluência com o Hotel de Crillon , cuja noite pode custar até 3.000 dólares, hoke, uma pechincha. E pensar que a passos dali, Marie Antoinette perdeu a cabeça na guilhotina junto a mais de 300 nobres durante a revolução que conclamava pela liberdade, igualité, franternité... paris é uma teia de restaurantes lendários, como o Le procope, rue de l´ancienne comedie, que foi o primeiro restaurante da cidade, antes um café onde Napoleão, Robespierre,m Voltaire, todos os artistas da comedia francesa ( ali pertinho fica o teatro ) passaram.

Voltemos a um itinerário rápido: Peça ao motorista de táxi que vc quer conhecer la Mouff , a famosa rue Mouffetard, a mais parisiense das ruas, pitorescas, que desce por uma colina, ladeada de casas antigas, onde se vendem vinho, queijos de cabra, pães de todos os tipos, vinhos por preço de uma taça num restaurante! É um grande mercado com frutas da estação, morangos, cerejas, quiches de dar água na boca, pequeninos restaurantes típicos à luz de vela e casas que vendem roupas, antiquários, malas, chocolates e paixão. Esta rua veio da época dos romanos, e vai terminar numa pracinha encantada onde os amores perdidos se reconciliam aos pés da eglise de St. Medard. Procure pelas lojas do Fauchon , que ficam atrás da Madeleine. Tudo lá é bárbaro, é o paraíso dos gourmets, e pelas encantadoras feiras livres onde você pode comprar tâmaras em cachos, doces como nunca, na rue de Buci.

Impossível não provar o Cassoulet , a feijoada branca deles, que leva carnard, o nosso pato, linguiças de porco totalmente sem gordura, feijão, um feijão mais branco... E peça para vir acompanhado de french fries, nossas batatas fritas. Mas se quiser apreciar o melhor do vinhos não deixe de provar o milagroso Sancerre , se preferir, branco suave, só pedir Sancerre Blanc...

O CHAMPS ELYSEES fascina, e vc nunca perde tempo, tem as lojas hoje do mundo todo, da GUCCI até da DISNEY, mas não é hora de se perder na FNAC, com exceção de uma loja de perfumes que é uma delícia, a SEPHORA , basta caminhar que vc achará sem preocupações.

Eu subi no ARCO DO TRIUNFO, às vezes else liberam o elevador, é muito alto e mostra todas as guerras que Napoleão participou. Do alto, vc avistará a PARIS NOVA, chamada de la defénse , a única área que se permitiu a construção de prédios. Conheça o novo Arco do Triunfo em estilo moderno. Ainda não é o momento de grandes vôos.

NOTRE DAME :as pessoas ficam loucas para conhecer e ao lado da igreja existem ruas cheias de SOUVENIRS, VC não encontrará mais barato,´aproveite, são camisas lindas, postais, tudo que vc puder imaginar. Mas aproveite e vá atrás da Notre dame onde dá para ver uma pracinha e a outra ilhazinha no meio do Sena.

A Sainte-Chapelle fica dentro do PALAIS de Justice, e é linda, vc sai da Notre Dame e vai numa reta em frente, sem sair da ilê-de France. Ou basta perguntar, porque os mais jovens já falam inglês.

São inúmeros os restaurantes, mas um dos mais incríveis é o La fermete Marbeuf, que pertenceu a um grande hotel que foi demolido. Oitenta anos se passaram e uma pequena parte deste hotel permaneceu esquecida pelos herdeiros. Quando resolveram abrir, descobriram extasiados que tratava-se da sala de refeições do velho hotel, que já não tinha mais registros algum. Esse lugar, inicialmente mágico, guarda relíquias como obras do austríaco MUCHA , o artista que melhor exemplificou a belle epoque de Paris. Entre seus murais, os arcos de cobre retorcidos se espalham em formas orgânicasd transformam-se em troncos de árvores que sobem acotovelando-se entre ramos e folhagens até atingir o teto todo de vidro verde ( imaginem ) mantido intacto pelo tempo em que permaneceu fechado), quando tiver saudade da comida Americana, vá ao HIPPOPOTAMUS, que é uma rede bem sofisticada mas que serve grandes hamburgueres com todos OS tipos de molhos, e aquele fondue de chocolate com frutas que é bem francês.

Não deixe de conhecer o LE TRAIN BLEU ( O Trem Azul ) eles vendem até relógios, porcelanas com a marca do trenzinho que uma vez existiu e partia da plataforma com os ricos viajantes que saiam de \paris para suas casas beira-mar. Os relógios vêm numa corrente azul de couro azul, fica no segundo andar de uma estação de trens que leva os turistas para a CÔTE D´AZUR , ou seja, ele foi construído dentro da Gare de Lyon - ao entrar, verá uma pequena escada com palmeiras. O décor tem o toque de um trem acarpetado de vermelho e balaustradas douradas, bancos de veludo vermelhos e lustres de cristal do tamanho do playground e um prédio. Para os franceses é o lê train é mais que um restaurante, é uma instituição, um museu com pinturas e afrescos de todas suas cidades costeiras: CANNES, NICE, ANTIBES, ST. TROPEZ. Não procure resistir aos doces... não vai adiantar muito. Fuja das tábuas de queijos, eles podem ter mais de sessenta tipos de queijos que você jamais sonhou encontrar.

Outro restaurante construído na antiga fazenda de um barão é AU PIED DE COCHON . Traduzindo: Ao pé do porco , fica no Les Halles, Rue Cocquiliére número... ah, qualquer motorista de táxi sabe levar, e tem uma atmosfera deliciosa, aberto 24 horas, tem como prato conhecido a famosa sopa de cebola gratinada com queijo e pães e o foi-Gras que vem atravessando séculos. Minha mãe se encantou com os detalhes das maçanetas das portas, onde todas tem um pezinho de porco dourado para abrir; até os pés das mesas e das cadeiras que sentamos eram estilizadas com formas de pés de porcos. Observei uns jovens que pediram um pé de porco com batatas fritas para comerem, de assustar... nessa casa onde o porco é festejado e devorado, prepare-se para visitar a Closerie des Llilás, o restaurante famoso onde Hemingway habitou seu segundo andar e escreveu um de seus romances. Talvez inspirado pela fome, foi lá que eu descobri que não sei falar mesmo francês, olhei o cardápio, olhei para minha mãe, decidi por nós dois ium prato BIFE TARTAR ( eu pedi isso acreditando que Tartar tivesse algo com o molho tártaro ), sei lá o que era aquilo. A mulher que nos atendeu só faltou cantar e a ajudante foi mexer os pauzinhos e acabaram enchendo uma carne crua com pimentas e condimentos, azeites etc, e veio para a mesa assim, que nem para o Mr. Beans, aquele personagem tão maluco quanto o Mr. Magoo. Eu havia pedido bife cru, um montinho de carne crua acompoanhado de batatas fritas e molho de maionese. Miha mãe sussurrrou para mim: Vamos pagar e vamos dar o fora? Comer em outro lugar? Quase apanhei da francesa que quis me ensinar o que queria dizer crude!!! RAW! Dizia ela, RAW! Ou cru, em português claro e sonante. Não sou canibal... nos arrancamos e fomos para o restaurante da galeria Lafayette, onde voc~e pode escolher massas, carnes, peixes, e ixi, sim, quiches!!! Paris é um quiche só! .Rue Cocquiliére número... ah, qualquer motorista de táxi sabe levar.

A ÓPERA GARNIER é um bom lugar para se andar pelo centro de Paris. Tem que entrar na fila para comprar ingresso para visitação e vai ver como era suntuosa aquela ambientação. Aliás, é a casa do Fantasma da ópera... Atrás dela ficam as famosas Galerias Lafayette e o Printemps , se bem que o melhor é a própria visita ao interior da Ópera, hoje usada apenas para apresentações e balet, enquanto as grandes óperas a 300 euros por cabeça e 3 horas de duração ( vc pode encontar um lugar bem no teto por 50 euros ) ocorrem na grande Ópera Bastille , exatamente, segundo o nome diz, onde em frente tem um marco que assinala onde a grande prisão francesa existira.

O Museu de Artes contemporâneas, mais conhecido como BEAUBORG vale para ver como é e o burburinho dos grandes espaços abertos e lojas- novamente no LES HALLES, e vc pode subir pelas escadas rolantes externas, são 4 a cinco andares, mas perder tempo lá eu iria para a SACRE-COUER.

SACRE COUER em MONTMARTRE- MONTMARTRE é fica numa colina, aliás, a única colina em Paris, que possui até um vinhedo e no alto tem essa igreja que lhe proporciona uma das mais belas vistas de todos os marcos Parisienses, de onde se descortina quase que a cidade inteira...

Ao invés de subir pelas suas escadarias utilize o Funiculaire. Vai ver uma das cenas do filme de Amelie Poulein. Um show, e ladeando a igreja pela direita vc chega a ( única do mundo ) Place du Tertre , ou praça dos pintores, que ficam lá, centenas, pintando e desenhando os turistas ou vendendo suas pinturas... Muito legal, um lugar cheio de bistros, Aliás a palavra bistrô se originou quer dizer Pressa! Era assim que os cossacos gritavam para serem atendidos pelos franceses sempre muito lentos... Ou seja, em qualquer bistro a comida não é de um restaurante completo, é uma comida simples para matar a fome daquela hora. Voltemos a Sacre-couer : Não deixe de entrar na Igreja para ver o espetáculo que é o rosto de Cristo pintado olhando para vc... é algo fascinante!!!!! Cada um tem uma sensação diversa...

Jardins de Luxembourg - não perca, é lindo no verão quando todas as árvores estão verdinhas e combinam com aquelas cadeirinhas verdes que já moram naquele parque há séculos...

Vc pode comprar frutas e arroz doce, pilhas, abridor de latas e garrafas, cartões de telefone nos Alimentaires, pequenas lojas que vendem vinhos, água, pães, e cerejas... Frutas para vc levar para o hotel, porque acaba sendo muito bom, se vc quiser beber um copo d´água que não seja da torneira ( vc pode até tomar água da pia e não morrer, porque ela é altamente reciclada, mas é água de esgoto ) ou comer um queijinho com cheiro de chulé.

Compre em qualquer banca o Pariscope, revista parisiense pequenina, um guia do que está acontecendo por lá... Vai ver como eles estão americanizados... Os filmes... Tudo. Uma curiosidade, não há nenhum filme dublado e os filmes que vai encontrar na Tv são em maioria novelões ingleses.

HOTEL DE VILLE - é a prefeitura de Paris, ao lado dela tem um prédio escrito BAZAR du Hotel de Ville, que é uma Grande Casa de lojas de departamentos. Disseram para mim que era fascinante visitar o mercado de pulgas, mas hoje é tudo tão infestado por imigrantes árabes, que vc sente vontade de andar com a bolso ou carteira na cabeça.

PIGALLE - o único lugar que é coisa de turista, segure a bolsa, vc vai ver que lá tem muito show pornográfico, nomes como SEXODROME, cabines individuais, sabe-se lá mais o que, para todos os gostos, estilo bairro da luz vermelha de Amsterdam. As mulheres ultimamente ficam vestidas com casacos de pele ( apenas ) e ao verem senhores carentes os puxam para dentro à força como na era prehistórica. Tem um Museu do erotismo com 7 andares, tudo na mesma avenida onde existe o cabaret dos Assassinos e o Moulin Rouge. Quando passar por lá, Andréia, segure na mão do Renato e corra!

A parte mais legal de andar de dia ou de tarde é SAINT GERMAN DES PRÈS e MONTPARNASSE. Mas vamos a SAINT GERMAN que é também o nome de uma igreja antiquíssima onde eu ouvi um coral cantar BLOWING IN THE WIND, lindíssimo, aquele hino anti belicista da época do Vietnam e dos hippies que Bobby Dylan compôs- e quem irá compor algo para essa guerra com o Iraque? Lá vc vai ver os principais bistrôs de PARIS, a começar pelo CAFE DE FLORE , onde tem sempre um cafezinho ou vinho, os sanduiches de lá são muito simples. Logo ao lado, coexiste com outro bistrô onde era fequentado pelas celebridades e artistas, o LE DEUX MAGOTS com suas mesinhas do lado de fora, osd graçons com uniformes e aventais. Não se esqueça Andréia que é gostoso ficarmos lá parados horas apenas para observar o tempo passar e ver o comportamento do pessoal de lá, se der, peça um sorbet, uma torta Tatin, um eclér com creme de chocolate ou uma torta de framboesas...

Mas Paris está longe de ser só isso, vc vai andar muito pela CHAMPS ELYSEES, e vá até a PLACE DE LA CONCORDE , no final das TUILERIES ( As Tuileries fica perto de uns arcos que vc entra na PLACE VENDOME ,( onde fica o hotel RITZ ) mas as TUILERIES também te levam até o LOUVRE , assim fique na PLACE DE LA CONCORDE, onde pertinho está a Igreja MADELEINE . Sem uma única janela, só com colunas romanas. Sem dúvida a Place de la Concorde é uma das regiões mais caras, onde tem duas fontes fantásticas, verdes e douradas, é ouro mesmo e os postes tem desenhos com barcas pintadas a ouro. O obelisco no centro da place de la concorde veio mesmo de LUXOR , no EGITO , trazido por Napoleão, o mesmo que se coroou imperador da França dentro da Notre Dame.

Vc pode quer ir visitar OS INVALIDES , que não tem nada a ver com inválidos, é uma igreja de cúpula dourada onde se encontra os restos mortais de Napoleão separado em cinco urnas. E ao lado tem o Museu Rodin ( aquele escultor que criou a estátua do pensador).

... Aliás, em paris, Museu é o que não falta.

Bom, eu sei que tem muito mais e talvez vcs gostem de ir a MONTPARNASSE, é um lugar cheio de restaurantes como LA COUPOLE , LA ROTONDE , cada um mais engraçadinho e bonito que o outro. No natal é costume eles colcoarem na frente do restaurante uma bandeija imensa de batatas fritas douradinhas. Eu sei que posso ter me esquecido de muita coisa mas para o momento acho que se fizerem isso tudo vão adorar!!!!!!

Separe os dias que tem, escreva num papel, hoje eu vou fazer isso e aquilo e relaxar num daqueles restaurantes onde se ficam umas duas horas, ou andar pela Opera ( fica bem no centro de Paris, do agito, quase em frente do metrõ mais antigo e logo á frente vc se depara com uma casa LE GRAND CAFÉ onde os irmãos Lumiére fizeram a primeira projeção de cinema, com a famosa cena do trem parece sair da tela e atropelar os espectadores, como nos mostram no museu do cinema em Turim. seu cinematógrafo ( sala indien ) e MONTPARNASSE para mim é tudo, o bairro das pequenas ruazinhas que por si só evocam suas histórias,ao lado vc entra em saint germain e pode ir até a fonte dos dragões em Saint Michel próximo a Sorbonne , a Eglise St. Ettienne du Mont , com suas torres medievais, seus cânticos gregorianos, e próximo dali o Pantheon onde estão os túmulos dos heróis e presidentes da França, do túmulo de Jean Jacques Rousseau sai o braço dele se revirando na tumba. A encantada praça ( redonda ) de La contrascarpe... destinos te levam as Arenas de Lutéce, um verdadeiro anfiteatro greco-romano, e o Museu da Idade Média. Alguns passos dali vc encontra a mansão museu da casa de Picasso. Falam sobre a mesquita de paris, uma parada para o chá... eu peferi ir conhecer o institut du monde arabe e ficar admirando um bando de tapetes . O Tour d`argent, com seu guardinha na porta e sua loja de patos de todas as espécies. O moinho verde, do quadro de Renoir, que hoje se encontra fechado a visitação. Não deixem de visitar a torre de Montparnasse, de onde havistávamos o nosso hotel numa rua tranqüila com uma pracinha no meio, e os telhados cheios de chaminés, tudo lá é história, gira em torno da arte, da música. E por falar em música, nada como visitar la Cité, a cidade da música , da indústria e das artes em geral . Um complexo cultural para crianças e adultos.

Os cozinheiros dos reis que depois de certa idade não podiam comer carnes pesadas até mesmo por problemas dentários ( imagina como seria ir ao dentista naquela época ) inventaram o patê; os cremes, porque alguns nobres já não tinham dentes para mastigar. Fomos visitar um castelo perto de paris onde o Barão de Chantilly ganhou de presente a tal sobremesa criada a partir do creme de leite, onde lá vc pode saborear como na receita da época em que foi criada. Pode escolher entre comer o creme de Chantilly puro ou com sorvete.

Sei que a experiêcia de cada um é muito individual, vc vai encontrar a sua PARIS, o seu momento mágico, pois nada no mundo se repete... e eu espero que sejam muito felizes, porque isso é PARIS, a alegria de viver, a Joie de vivre!

Boa Viagem aos dois e curtam muito cada momento, E se essa carta roteiro lhe servir de inspiração, caro leitor, incluam uma passadinha pelos castelos do Vale do Loire. Mas como disse, essas são pequenas indicações... que valerão lembranças para sempre em suas vidas!

AU REVOIR! SO LONG FAREWELL!

Outros artigos
publicidade
publicidade
Crochelandia
Visitantes desde fevereiro de 2006:
31952189

Blogs dos Colunistas

-
Ana
Kaye
Rio de Janeiro
-
Andrei
Bastos
Rio de Janeiro - RJ
-
Carolina
Faria
São Paulo - SP
-
Celso
Lungaretti
São Paulo - SP
-
Cristiane
Visentin

Nova Iorque - USA
-
Daniele
Rodrigues

Macaé - RJ
-
Denise
Dalmacchio
Vila Velha - ES
-
Doroty
Dimolitsas
Sena Madureira - AC
-
Eduardo
Ritter

Porto Alegre - RS
.
Elisio
Peixoto

São Caetano do Sul - SP
.
Francisco
Castro

Barueri - SP
.
Jaqueline
Serávia

Rio das Ostras - RJ
.
Jorge
Hori
São Paulo - SP
.
Jorge
Hessen
Brasília - DF
.
José
Milbs
Macaé - RJ
.
Lourdes
Limeira

João Pessoa - PB
.
Luiz Zatar
Tabajara

Niterói - RJ
.
Marcelo
Sguassabia

Campinas - SP
.
Marta
Peres

Minas Gerais
.
Miriam
Zelikowski

São Paulo - SP
.
Monica
Braga

Macaé - RJ
roney
Roney
Moraes

Cachoeiro - ES
roney
Sandra
Almeida

Cacoal - RO
roney
Soninha
Porto

Cruz Alta - RS