Brasileiro trabalha 4 vezes mais que americano para comprar um Big Mac

Confira pesquisa do Cuponation sobre quanto o brasileiro trabalha para pagar pelo lanche

https://jornalorebate.com.br/19-04/1516785829-9557.jpg

 “Amo Muito Tudo Isso” é a propaganda perfeita para quem ama dois hambúrgueres suculentos recheados de amor e calorias. Por ser um dos lanches mais vendidos da história do McDonald’s, o Cuponation, plataforma de descontos online, realizou um levantamento de como é a performance do Big Mac pelo mundo e a relação dos salários do brasileiro e do americano com o preço do produto.

O Statista, portal online de estatísticas, divulgou no começo do ano os preços do lanche pesquisado em mais de cinquenta países. Com mais de 900 restaurantes espalhados e cerca de 3.500 quiosques no Brasil, (e sabendo que o povo brasileiro é o que mais come fora de casa da América Latina), o Brasil ficou na 9º posição do ranking de preços mais caro, pagando quase R$18.

O Cuponation fez um estudo comparando o preço do sanduíche mais conhecido do cardápio com o salário médio da marca (R$2.500 - segundo o IBGE) e mínimo (R$998 - valor atual) do Brasil. A renda média mensal per-capita mostra que um brasileiro precisa trabalhar 1h e 26 minutos para comprar um Big Mac. Para um brasileiro que ganha um salário mínimo comprar esse mesmo produto, o tempo trabalhado quase triplica: 3h e 17 minutos.

Ao comparar o preço do salário mínimo americano (US$1.276) com o preço pago pelo lanche no país (US$5,58), foi constatado que um americano trabalha 46 minutos para comprar um Big Mac. Ou seja, o brasileiro trabalha 4 vezes mais que o americano para obter o sanduiche.

Ainda segundo o Statista, o país que lidera a lista é a Suíça, pagando R$25,72. Em segundo e terceiro lugar estão a Noruega e a Suécia, que pagam respectivamente por volta de R$22,77 e R$22,64. Os países em que o Big Mac é mais barato são a Rússia (que paga em torno de R$6,41) e a Ucrânia (que gasta cerca de R$7,57), levando em consideração o valor do dólar no dia 22 de março deste ano. Veja mais no infográfico interativo.

O fast food conseguiu acumular na receita global por volta de 21,03 bilhões de dólares no ano de 2018, o equivalente a aproximadamente R$81,73 bilhões em reais.

No Brasil, a rede de fast foods teve por volta de 7.7% de  crescimento e movimentou cerca de 60 bilhões de reais apenas em 2015. Atualmente, aproximadamente 2 milhões de brasileiros vão ao restaurante de fast food por dia.  

https://jornalorebate.com.br/19-04/big-mac.jpg

https://www.cuponation.com.br/insights/bigmac-2019

publicidade
publicidade
Crochelandia
Visitantes desde fevereiro de 2006:
31937023

Blogs dos Colunistas

-
Ana
Kaye
Rio de Janeiro
-
Andrei
Bastos
Rio de Janeiro - RJ
-
Carolina
Faria
São Paulo - SP
-
Celso
Lungaretti
São Paulo - SP
-
Cristiane
Visentin

Nova Iorque - USA
-
Daniele
Rodrigues

Macaé - RJ
-
Denise
Dalmacchio
Vila Velha - ES
-
Doroty
Dimolitsas
Sena Madureira - AC
-
Eduardo
Ritter

Porto Alegre - RS
.
Elisio
Peixoto

São Caetano do Sul - SP
.
Francisco
Castro

Barueri - SP
.
Jaqueline
Serávia

Rio das Ostras - RJ
.
Jorge
Hori
São Paulo - SP
.
Jorge
Hessen
Brasília - DF
.
José
Milbs
Macaé - RJ
.
Lourdes
Limeira

João Pessoa - PB
.
Luiz Zatar
Tabajara

Niterói - RJ
.
Marcelo
Sguassabia

Campinas - SP
.
Marta
Peres

Minas Gerais
.
Miriam
Zelikowski

São Paulo - SP
.
Monica
Braga

Macaé - RJ
roney
Roney
Moraes

Cachoeiro - ES
roney
Sandra
Almeida

Cacoal - RO
roney
Soninha
Porto

Cruz Alta - RS