Quando era criança, e isso já faz muito tempo, lembro-me de minha avó, carinhosamente apelidada de Vovó Didi, a beira do fogão, preparando deliciosos quitutes. Eram doces e salgados que só as mãos abençoadas e habilidosas das avós daquela época sabiam fazer. E se tentasse provar alguma daquelas gostosuras ainda por terminar, ela dizia “tira a mão daí menino, porque apressado come cru e passa mal”. Eu achava aquilo engraçado e a inocência da meninice me impedia de ver algo mais além.

Hoje adulto, vivendo numa sociedade onde a velocidade das mudanças é deveras espantosa, penso nas palavras de vovó. A pressa, que antes era uma coisa até certo ponto desagradável e desnecessária, se tornou algo normal, faz parte do cotidiano, e mais notadamente da vida da sociedade urbana. Temos pressa para tudo ou quase tudo: no café da manhã, ao deixar os filhos na escola, no trânsito para ir trabalhar, nas atividades do trabalho, ao almoçar, ao sair do trabalho, no supermercado etc. O ritmo frenético da vida vem modificando hábitos e fazendo de nós um grupo de apressados.

Será que essa pressa toda faz bem? É necessário realmente viver dessa forma? A medicina estuda há algumas décadas uma doença de cunho psicológico, denominada “Síndrome da Pressa”. Assim batizada por Marilda Emmanuel Novaes Lipp, Ph. D. em Psicologia pela Universidade George Washington e diretora fundadora do Centro Psicológico de Controle do Stress da PUC Campinas, essa doença faz com que a vítima não consiga relaxar e fazer as coisas com calma. De acordo com a pesquisadora esse mal atinge cerca de 20% da população da cidade de São Paulo, e outros 75% da população podem desenvolver a doença.

Nesse momento o leitor pode estar se perguntando quando foi a última vez que fez algo de forma relaxada, com calma e tranqüilidade. Será que a qualidade de vida propiciada por toda essa velocidade, é a melhor para os seres humanos? Ao que parece, somos apressados crônicos, não é verdade?

Mas veja bem: sugiro que isso seja respondido sem pressa, de preferência num final de semana bem relaxante, com os pés para o alto, se espreguiçando. Pense nisso, mas com calma, tá bom?

 

 

publicidade
publicidade
Crochelandia
Visitantes desde fevereiro de 2006:
31605448

Blogs dos Colunistas

-
Ana
Kaye
Rio de Janeiro
-
Andrei
Bastos
Rio de Janeiro - RJ
-
Carolina
Faria
São Paulo - SP
-
Celso
Lungaretti
São Paulo - SP
-
Cristiane
Visentin

Nova Iorque - USA
-
Daniele
Rodrigues

Macaé - RJ
-
Denise
Dalmacchio
Vila Velha - ES
-
Doroty
Dimolitsas
Sena Madureira - AC
-
Eduardo
Ritter

Porto Alegre - RS
.
Elisio
Peixoto

São Caetano do Sul - SP
.
Francisco
Castro

Barueri - SP
.
Jaqueline
Serávia

Rio das Ostras - RJ
.
Jorge
Hori
São Paulo - SP
.
Jorge
Hessen
Brasília - DF
.
José
Milbs
Macaé - RJ
.
Lourdes
Limeira

João Pessoa - PB
.
Luiz Zatar
Tabajara

Niterói - RJ
.
Marcelo
Sguassabia

Campinas - SP
.
Marta
Peres

Minas Gerais
.
Miriam
Zelikowski

São Paulo - SP
.
Monica
Braga

Macaé - RJ
roney
Roney
Moraes

Cachoeiro - ES
roney
Sandra
Almeida

Cacoal - RO
roney
Soninha
Porto

Cruz Alta - RS