Vou chamá-lo apenas por H para mantê-lo em anominato, pois sei que você não pode mais ser meu. Sempre tive dúvidas em que posição colocá-lo na minha vida. Você se parece com o Hidrogênio na Tabela Periódica, uma vez que não se encaixa em nenhum dos grupos de amigos que tenho. Por vezes o coloquei no topo do grupo I de amores que quis ter por ser básico, como os metais alcalinos e, realmente, tomei conta que sua natureza electropositiva inseria-se melhor neste grupo de amores que quis ter que em qualquer outro. Outras vezes, o seu comportamento assemelhava-se ao dos alumínios, aceitando um segundo elétron para formar um íon mononegativo e, isso, muito me aborrecia. Talvez por isso nunca o coloquei no grupo de amores que tive e sim nos que quis ter. Mas saiba que você sempre terá um lugar especial no meu coração por ser de uma carga positiva e um elétron.
Você é tão diferente de qualquer outro que justifica colocá-lo num local especial. E saiba que você não é qualquer um, não o associo a qualquer grupo em particular. Você sabe muito bem que me casei com o seu amigo o Helio.
O Helio, não sei dizer o porque, mas ele na minha vida foi identificado espectroscopicamente, ou seja, como um fantasma, essa sua áurea extremamente brilhante amarelada mais parecendo um risco, não identificado em nenhum outro elemento que apareceu na minha vida, ele entre todos sempre se mostrou ser o mais interessante.
Acredito que você não se lembre do Lítio, isso não te contei! Antes de me casar com o Hélio, namorei o Lítio. O senhor Arfwedson estudava algo que não me lembro agora, era mais ou menos como Petalite, mas não conseguia entender. Aí, o Doutor Bunsen conseguiu passar-lhe tudo que aprendeu. Foi onde conheceu o Lítio e me apresentou. Logo em seguida começamos a namorar. Eu gostava mesmo era de seu nome que consegui descobrir que em grego significa "pedra". E olha que por muito tempo eu achei que ele tinha pedra no coração, depois descobri que não, ele era legal e carinhoso.
Agora me deixa contar um pouco de coisas boas, chega de tristezas. O meu amigo Berílio, aquela jóia que mais parece um pedra preciosa, sabe que seu nome em grego é "doce", acaba de ser papai, está querendo colocar o nome de seu filho de Boro, mas não pense que essa alegria agora é por nada, é que foi preciso procurar um laboratório de inseminação. Aí, os médicos Sir Humphrey Davy e Gay-Lussac, fizeram o pequeno "boro" pela redução do trióxido de boro de alumínio com potássio e pela electrólise do ácido bórico umedecido, técnica nova. Através destes métodos, conseguiram um molecote com 50% de pureza d'alma.
Por isso lhe digo, ele vai ser ótima companhia para o meu filho. Como você já sabe, mais parece o carbono, que forma um vasto número de amiguinhos compostos. Estão sempre com ele por ser bom exemplo. Outra coisa posso dizer, em nada se parece com você, pois nada tem de hidrogênio. Se fizéssemos o exame de DNA não encontraria mesmo nadinha de você, por isso não pense besteiras...
Mesmo por que ele adora futebol, chamam-no de Futeboleno, por que será? Acredito que seja por ele ser gordinho e nada bom de bola.
Sabe acabei de tirar uma fruta do freezer que havia congelado há algum tempo. Você não tem idéia de como é bom saber que existe o Nitrogênio, que deixa meus alimentos com a textura e o sabor original, fora as maravilhas que faz no uso nos laboratórios para preservar o sangue, medulas, tecidos etc., claro que devemos dar o mesmo ou até mais valor ao Oxigênio, o ar que respiramos. Quando vou à janela sinto aquele ar puro vindo destas montanhas, e de manhã então, com o Flúor que passo freqüentemente nos dentes. É uma pena hoje em dia o Flúor ser utilizado em gás freon, esses que estão acabando com a camada de ozônio.
Por aqui escurece muito cedo, por isso estou aqui meu amigo, escrevendo sob a luz de Néon, não que isso faça mal, mas sabe estou ficando velha. Os olhos já não são os mesmos, a pressão também. O médico até disse que era para eu ter cuidado com o Sódio, por causa da minha pressão.
Acho também que hoje não estou boa da pressão, porque fiquei chateada agora há pouco. Ao entrar com o carro na garagem bati com a roda num buraco e quebrei o seu aro, que é de Magnésio. Paciência né meu amigo, se pelo menos fosse de Alumínio só teria amassado, a não ser que fosse misturado com Silício, só de Alumínio daria para consertar, mas não, vou ter que comprar uma nova. Mas agora, vou comprar uma de Ferro.
Agora estou eu aqui querendo acender o raio da lareira, pois está esfriando um pouco e não acho onde deixei o Fósforo. A lareira está com um cheiro horroroso, tipo cheiro de Enxofre, muito parecido com ovo podre. Vou usar um pouco de Cloro misturado com desinfetante para ver se sai esse cheiro horrível.
Acredito que todo esse cheiro esteja vindo do tubo que mandei trocar aqui, ele é feito de Argônio, ainda argumentei com o pedreiro que fez isso aqui, o porque dele não utilizar gesso que é misturado com Potássio e assim evitaria o mau cheiro.
Uma coisa fiz questão, que ele usasse bastante Cálcio na mistura que ele fez na pintura com a cal. Fiquei contente de saber que ele usou pouco Escândio, nas paredes da lareira, que não agüenta alta temperatura.
Fiquei foi um pouco com medo desse moço ficar pensando que eu era muito rica, porque tinha algumas jóias aqui feitas de Titânio, muito parecidas com diamante.
Sabe o nome dele? Nem falei heim! Vanádio – feio para burro, mas é forte como o nome. Ele trabalha muito meu amigo, parece até Ferro mesmo e, ainda é caprichoso. Todas as suas ferramentas são cromadas – puro Crômo. Ele não deve emprestar a ninguém, acredito eu. Não deve haver nem um pouco de Manganésio misturado.
Quando vamos a essas lojas de materiais de construção o que vemos são ferramentas na sua maioria de Ferro. Algumas até com pigmentos de Cobalto, ou com Níquel, ou seja, niquelado. Por falar em loja de ferragens, quando puder me escreva dizendo qual o número do fio de Cobre que devo comprar para instalar um chuveiro.
Mandei fazer um banheiro para os visitantes do lado de fora da casa e coloquei um telhado de Zinco, será que você vai gostar quando vir aqui? Coloquei até uns Led's na porta feitos de Gálio. Uns condutores maravilhosos, refletem uma luz linda nos cristais feitos com Germânio.
Tem até na entrada uns sensores feitos com Arsenic, detector de presença, sabe.
Ri muito quando descobri o nome do filho do meu pedreiro, parece até que ele é filho de um químico como você, o nome dele é Selênio. Quase perguntei a ele se era por causa da cor do menino, mas fiquei com vergonha. Já pensou eu perguntando se o menino tinha a cor vermelha escuro, nossa!
Nesse banheiro meu amigo, as louças são muito branquinhas, pois assim que chegaram mandei lavar com um pouco de Bromo. E não é que ficaram lindas! As peças do lavatório são todas limpas com Kripton, para emitir mais luz. Quando descobri isso, fiquei pensando no super homem, lembrei da kriptonita, não ria, foi apenas uma brincadeira tá.
Quero que saiba que estou escrevendo com um pouco de dificuldade devido a uma queimadura em um dos dedos de minha mão. Queimei quando estava abrindo uma pilha alcalina que soltou um pouco de Rubídio no meu dedo provocando uma queimadura. Nada grave que com o tempo não passe, pior foi quando me queimei com os fogos de artifício feitos com Estôncio, que produz uma chama de cor vermelho-carmim. Pensei na época que tinha tido contato com Ítrio, que é radioativo porque demorou tanto a secar a queimadura. Depois descobri que foi por causa do anel que eu usava que tinha uma pedra de Zircônio, e olha que o anel mesmo sendo feito de Nióbio e Molibdênio, liga super resistente, mesmo assim derreteu, meu amigo.
Nessa época tive que fazer vários exames que utilizavam Tecnécio. Nossa fiquei doida. Ainda bem que meu aparelho dentário na época era feito de Rutênio, senão seria todo corroído meu amigo.
A maior novidade do momento que tenho a te contar é a do anel de Ouro branco que ganhei do meu marido. Soube até que usaram Ródio, para deixá-lo mais resistente e, é de Ouro branco mesmo. Sei disso porque o joalheiro aqui de perto disse que colocam Paládio, que é descolorizante do Ouro. Sem contar os vários cordões de prata soldados com Cadmo, que fazem parte da minha coleção de jóias.
Ah! Também ganhei um carrão, com painel eletroluminescente de Índio, o volante é de Estanho, chique heim! Mandei fazer uma garagem externa com varas de Antimônio que quebram com facilidade e não danificam o carro. Não que eu seja barbeira, nem um pouco! Em volta dessa garagem há um cercado de Cobre soldado com Chumbo, tudo com Telúrio, nada mal heim!
Tive que afastar essa garagem da margem do riacho que passa aqui próximo, visto que já está poluído devido à garimpagem de outrora, usaram muito Iodo poluindo o lindo riacho.
Tirei muitas fotos com flash de Xênon para durar bastante e aumentar a luminosidade à noite. Para tanto, tenho que usar somente pilhas alcalinas de Césio, mas tomo todo o cuidado com elas quando as recarrego. Neste lindo lugar tiro muitas fotos nos finais de ano, onde os shows pirotécnicos feitos de Bário são maravilhosos.
Sabia que ainda utilizo os métodos que me ensinou de usar o Lantânio junto com enxofre para deixar os metais mais limpos? Não sei como isso acontece, mas que funciona, funciona. Mas para alguns metais eu uso o Cério, até em vidros grossos, ah! Isso aprendi sozinha viu! Aprendi neste lugar a fazer até vidro, e olha que o dia que você vier aqui eu te ensino a usar areia com Prosedímio, que é um agente abrasivo para polimento.
Sabia que eu tenho um gatinho agora? Nunca fui muito de ter animais, mas esse apareceu por aqui e, fui obrigada a ficar com ele. Ou seja, ele me adotou. Não saía mais daqui. Coloquei-lhe o nome de Neodímio, porque ainda não encontrei nenhuma utilidade para ele. Dorme mais que fica acordado. Outro dia coloquei um refletor de Promécio, em cima dele – como o bicho correu... mas não foi embora.
Ele correu para dentro da fábrica de filtros de vidro do vizinho que utiliza o Samário para absorção de infravermelhos e como catalisador. Foi um sufoco tirá-lo de lá.
E não é que o danado do gato vai e volta! Ele adora ficar em frente à televisão a cores, ah! Se ele soubesse que ela é feita com Európio, correria ainda mais, você não acha?
Imagine então o dia que o peguei deitado em cima de uma granada exclusiva do exército que achamos há muito tempo atrás, se ele soubesse que usam Gadolínco nela para ativar a sua temperatura, ah! Aí sim ele ia para o espaço de vez, coitadinho do bichinho.
Isso aconteceu com um cachorro do vizinho de uma amiga aqui de perto. O cachorrinho se chamava Térbio, após o "boom" da bomba passou a ser chamado de Disprósio. Sei que você está rindo, mas é verdade porque ele ficou fluorescente. Estão pensando em levá-lo para estudo achando que ele é fruto de Hólmio.
Os irmãos Érbio e Túlio, não deixaram claro, pois são muito amigos do animal. Mesmo ele estando neste estado, preferiram deixá-lo ali quietinho dormindo sobre um monte Itérbio, um dopante altamente bom para o animal, que o fez melhorar sensivelmente. Não somente por isso os irmãos também usaram o Lutécio no tratamento.
Uma coisa que me deixa encucada é porque não usaram Háfnio no bichinho. Acredito que melhoraria mais rapidamente, ou então usaria um instrumento cortante qualquer feito com Tântalo, bem resistente ou de Tungstênio para sacrificar o animal. Sei que não utilizaria o Rênio por ser muito caro o custo na fabricação de um objeto apenas para o sacrifício de um animalzinho.
Deixamos de lado o pobre animal, morto ou vivo pouco importa, só sei que já está nos jornais locais. Logo, estará por aí a notícia. Agora vou parar um pouco e colocar um disco novo que comprei, aproveitei para comprar também uma agulha nova para meu toca discos, essa sim feita de Ósmio, muito resistente, igual a minha gaveta do laboratório, feita com coisa boa de Irídio, acredita nisso? Não, acredita! Já sei você pensa que usei Platina, não é? Mas não usei mesmo, foi Irídio mesmo.
Você deve estar pensando que sou doida, mas acredite é verdade. Lembra quando te dei um cordão de Ouro e você pensou que fosse bijuteria? Pois é, você não acredita mesmo em mim, não é? Sou doida sim pelas coisas boas.
A minha empregada está me trazendo um sanduíche com várias folhas aqui da minha horta, que delicia! Isso sim é que é horta, sem nenhum agrotóxico, eu não uso nem um pouco de Mercúrio nas minhas plantinhas. Tem uns vizinhos aqui que cultivam grandes hortas, mas eles usam Tálio como inseticida. Isso é um pecado! Eu não uso nadinha nas minhas, somente coisas naturais como fumo que eu mesma preparo.
Outro dia no meu canteiro encontrei várias bolinhas de Chumbo. Fiquei sabendo que há muito tempo atrás houve uma batalha por aqui. Sabe o que fiz? Exatamente o que você está pensando: guardei tudinho como relíquia. Apesar de que, analisando algumas dessas bolinhas de Chumbo, observei que havia também Bismuto. Por que será que eles soldavam o chumbo? Oh dúvida cruel! Um dia talvez com mais calma eu descubra, apesar de que isso é coisa para historiador e, não para mim.
Prefiro nas minhas horas de folga dedicar-me ao hobby da fotografia, estou cada dia melhor, sabia? Tenho até uma escovinha para limpar os filmes feitos de Astato. Já sei o que vai pensar aí: "esse produto é radioativo". Eu também sei que é, mas sei manipulá-lo muito bem. Não fique você aí pensando que vou ficar com câncer! Nem pense nisso! Já tive uma amiga que teve e como sofreu a menina. Ela fez tratamento de canceroterapia com Rádon, que por sinal foi melhor que Rádio no caso dela. Até foi tentado usar o Frâncio, mas nenhum resultado foi obtido.
Coitadinha, antes de usar o Rádon tentaram até o Actínio e você sabe como isso é radioativo! Mais forte até que o Rádio, cruz credo! Deixa isso para lá...
Estava falando das minhas atividades de dias de folga e acabei abaixando o astral, afinal não estou escrevendo para abaixar o astral de ninguém, muito menos o seu. Quando puder, me escreva e me diga como vão as pinturas que andava fazendo? Sei até que você estava usando um pouco mais de Tório no catalisador. Depois você me explica o porquê? Vou ver se também me dedico a esse hobby. Só não me venha dizer que usa Protacnídio, isso eu não uso mesmo, daqui a um pouco vou estar usando até Urânio. Vão dizer que estou querendo fabricar bomba atômica! Você não tem idéia de como é difícil conseguir isso por aqui.
Certa vez fazendo uma pesquisa, encomendei Neptúnio, nossa! Isso gerou até inquérito na comunidade científica. Acharam que eu estava querendo fazer bomba de destruição maciça, você não tem idéia o bafafá que deu e, veja você, já até usei em pesquisas o Plutônio – que um quilograma dele tem poder equivalente a cerca de 20.000 toneladas de explosivo químico e, no entanto, não fizeram investigação nenhuma. Acho que abusei em pedir Urânio mesmo, já usando isso tudo e ninguém falando nada, imaginaram até que eu era uma terrorista, imagine isso! Eu uma terrorista, não mato nem uma baratinha dentro de casa!
Mas não pense você que aqui no meu laboratório as coisas são feitas tipo "caseiras". Tomo todo cuidado possível, tenho até detector de fumaça, de radiação tudo feito com Amerício, tenho geradores termoelétricos de Cúrio, o mesmo que é usado nos marcapassos, grande invenção heim! Já imaginou o dia que descobrirem alguma utilidade para o Berquélio, tomara que sejamos nós, ficaremos famosos na sociedade científica. O Berquélio é igual ao Califórnio, sem a mínima utilidade a não ser para bombardear o Cúrio e determinar outras reações, como usado para encontrar camadas de água e de óleo em poços de petróleo, já pensou nós no auge da fama?
Faço tantas pesquisas por aqui que um dia vou descobrir algo interessante como o Einstânio, que é sintetizado, um dia quem sabe terei uma equipe igual à de Albert Ghiorso que descobriram o Férmio, essa equipe era tão boa que descobriram também o Mendelévio, que não tem utilidade sozinho. Causou grande revolução no mundo cientifico, e não faz muito tempo, foi em 1955 se não me engano. Logo depois descobriram o Nobélio, nossa que nome heim! Homenagem a Albert Nobel, sem falsa modéstia um dia, meu amigo, um dia terei uma equipe dessa. Ah! Não podemos deixar essa equipe sem o mérito também da descoberta do Lawrêncio.
Pois bem meu amigo, acho que já muito enchi seus prótons e elétrons de novidades e coisas minhas, não deixe de me escrever por favor, sinto muito sua falta aqui junto a nós, sei que juntos teríamos muito sucesso.
Não deixe que o passado nos afaste como ocorreu anteriormente, entendo que sua mulher atual é ciumenta, que os filhos o deixa ocupado por demais, mas também não entendo como pode fazer pesquisas e ter oito filhos. Ou pesquisa, ou faz filho. Será alguma pesquisa que está fazendo com sua mulher e não me contou nada?
Deixo apenas um grande abraço e o mesmo sentimento de sempre.
Da sua "amiga" e "colaboradora".
Tabela Periódica
AMÉM
Marcos Toledo

 

Estava muito ansiosa com a viagem de lua de mel, afinal de contas era a primeira vez que iria conhecer a Itália, terra natal do meu marido e de meus pais.
Estava indo para uma cidade interiorana da Itália, onde se falava um dialeto diferente do italiano - falavam o albanês que também era diferente da Albânia.
Tanto meu marido como meus pais falavam muito esse dialeto dentro de casa, mais que o próprio italiano e o português, fazendo com que eu aprendesse a falar e entender também.
Nossa chegada à Itália foi maravilhosa, afinal de contas estava ao lado do homem que amava, num País encantador. Não sei dizer o quem era melhor, se meu marido que me cobria de dengos , ou se a cidade que me acolhera com tanto carinho...Será porque eu era uma turista?
Não muito tempo depois de nossa chegada à Itália, fomos para a cidade do meu marido, que ficava a uns 600 km da capital italiana.
Ao chegarmos àquele pequeno povoado, fiquei deslumbrada com o lugar. Fomos recebidos inicialmente pelos seus pais. Sua mãe era uma doçura de pessoa, educada e gentil, e seu pai um homem forte e igualmente gentil.
Eles se esforçavam para falar comigo em um italiano misturado com ALBANÊS e português, até que informei para eles que também falava o dialeto local.
Eu era muito jovem, igualmente bonita,  após conhecer todos os familiares de meu marido que não sabia mais o que fazerem para me agradar.
Eu ainda brincava com meu marido que iria conhecer as mulheres que ele havia deixado lá. Ele, muito sério, sempre dizia: - pare com isso mulher, nunca existiu ninguém alem de você!
Sua mãe chamou-me para irmos ao mercadinho local, aproveitando para conhecer algumas amigas e amigos.
Em nosso passeio procurei não falar muito com quem era apresentado, tinha medo de falar algo errado ou seu entendimento fosse diferente do que havia aprendido com meu marido e pais.
Mas algo me chamou atenção:  toda vez que eu era apresentada a alguém, eles me chamavam de americana, algo que não entendia muito, mas como não sabia bem do que se tratava, resolvia me calar e cumprimentar as pessoas assim mesmo.
Até que em uma dessas apresentações, estavam três mulheres- uma senhora e duas jovens- que após minha sogra fazer as apresentações informando que eu era a mulher de seu filho, e brasileira. Continuava calada só sorrindo.
Minha sogra entra no mercadinho local, eu continuo na porta olhando a cidade que por sinal era muito linda.
Quando as duas jovens que acabaram de se apresentar a mim chegam próximo de onde eu estava, mas de costas para mim, e rindo uma para outra comentam em albanês.
Uma dizia: - essa é a americana que roubou meu pretendente.
E a outra dizia: – acho você bem melhor que ela...Olha as roupas dela! Olha o cabelo! Tinha que ser americana mesmo...
Falavam coisas horríveis , virando-se e olhando-me com desdenho. Eu já sabia que americana era sinônimo de coisa ruim para eles.
Depois de algum tempo, minha sogra retorna perguntando se estava tudo bem e se eu queria algo.
Respondi em ALBANÊS, num tom bem alto: Quero sim, minha sogra! Informe a essas duas senhoras que sou americana sim, mas falo ALBANÊS!
E saímos juntas, deixando as duas com a cara no chão.
AMEM
Marcos Toledo

 

Você quer isso para você?

Atuei na medicina por muitos anos, salvei muitas vidas, fiz o juramento de Hipócrates (juramento dos médicos- salvar vidas) e o cumpri fervorosamente, mas sempre disse para meus familiares que nunca me deixasse sofrer em cima de uma cama, pois eu sabia o que era sofrer num leito hospitalar.

Hoje me encontro aqui deitado em um, um morto vivo, mas com esperanças de que a cura chegue para mim. Já havia autorizado aos médicos e familiares que me deixassem morrer.

Acontece que agora não consigo falar para ninguém, que desisti dessa idéia (estou em coma).

Minha família sabendo desse meu desejo já autorizado, anteriormente, está pedindo aos médicos para que me deixem morrer em paz, sem que eles interfiram nesse processo da minha morte (ortotanásia),  não é desligar os aparelhos, (eutanásia) mas sim, não tentar prolongar mais minha vida, deixando-me morrer em paz.

Mas eu não quero morrer, quero viver, só não consigo dizer.

Não façam isso por favor, ouçam-me, quero viver, por favor, não, não, não  ...

AMÉM

Marcos Toledo

http://www.jornalorebate.com/79/marcostex.jpg

É por essas e outras que não brinco com as coisas do além. Pensei em escrever algo sobre essa passagem, mas acredito que você, leitor, não vai acreditar mesmo, então ficarei só no faz-de-conta, assim você vai ler e pensar que tudo não deixa de ser isso mesmo: um "faz-de-conta".

Mas alerto, que isso aconteceu mesmo! Leitor, você não acha melhor parar por aqui e não ler, você não acredita mesmo no além...

Foi mais ou menos assim:

Certa vez, ao anoitecer, vinha com meu carro de São Paulo, onde tinha acabado de fazer uma palestra. De carro sim! Morro de medo de avião. Não ria leitor é verdade isso - ah! Para você talvez, seja a única verdade até aqui.

Vinha na estrada com a velocidade controlada (esqueci de dizer isso: detesto também pagar multas), quando vi uma luz forte vindo à frente do meu carro, bem ao norte. Inicialmente, imaginei ser o pôr-do- sol, mas olhei para o relógio do carro e vi que já eram 21:00h. Ri e imaginei estar vendo a aurora boreal, quanto mais eu andava, a luz ficava mais forte, abaixei o pára-sol do carro, olhei no retrovisor e não havia viva alma na estrada.

A claridade aumentava a cada quilômetro que andava. Comecei a ficar com medo daquilo e resolvi reduzir a velocidade o mais que pude. Mas, ao contrário do que imaginava, a luz continuava a vir em minha direção.

Caro leitor, acho melhor você, que não acreditar nisso, parar por aqui, pois o relato é forte e inexplicável, feche o livro, vá fazer um lanche, ligue sua televisão, seu computador e não leia mais isto, acho melhor- se é que não crê nisso.

Ainda está ai? Depois, não diga que não avisei e vai me chamar de louco ou outra coisa qualquer...

A essa altura, o medo já tomava conta de todo o meu corpo, senti algo que há muito não sentia: "arrepios". Parei o carro no acostamento, com esperança de vir algum outro carro ou caminhão, qualquer coisa servia, até uma charrete, mas nada, estava realmente só, ou não, existia aquela luz vindo em minha direção.

Conforme a luz vinha na minha direção, tudo ia desaparecendo, o medo já tomava conta de todo o meu corpo, inclusive me encontrava todo borrado, isso mesmo, todo borrado, como a luz já estava próxima ao carro e vendo que tudo sumia ao ser tocada por ela, resolvi sair do carro. Minhas pernas não queriam me obedecer, mas consegui sair do carro assim mesmo.

Ao ir para trás do carro, percebo que, conforme a luz tocava no carro, ele ia desaparecendo como se derretesse, abaixei-me atrás do carro, pois era a única coisa que conseguia fazer, minhas pernas não se mexiam.

Aos poucos a luz ia me envolvendo, quando vi já estava dentro dela, comecei a ouvir vozes e vultos.

Não conseguia distinguir as vozes, nem conseguia ver os rostos de quem falava, as vozes se misturavam e entravam como ecos dentro dos meus ouvidos.

Senti alguém tocar meu ombro, era uma mão suave que me deixou um pouco tranqüilo, estava borrado, mas tranqüilo, de repente a voz pergunta se estava tudo bem comigo. Respondi que sim, e quem era eles e o que queriam comigo. Obtive como resposta um "fique tranqüilo".

Como sempre fui muito católico, resolvi rezar baixinho todas as orações que conhecia e esperar os acontecimentos.

Caro leitor, você ainda está lendo? Eu não disse que você não acreditaria? Pois bem, você resolveu ir até o fim para saber no que vai dar essa história, então, tá. Vamos lá!

Como num passe de mágica, me vi vestido com um jaleco todo branco, mas a luz continuava intensa impossibilitando que eu visse os rostos daquelas pessoas que falam coisas sem sentidos para mim.

Senti uma mão pegar a minha, achei que devia acompanhá-la a algum lugar, mas meu medo era grande, medo do desconhecido, apertei aquela mão o mais forte que pude, talvez na esperança de não ir a lugar algum com aquela pessoa, que não conseguia ver, mas uma outra mão talvez dessa mesma pessoa veio e se colocou sobre a minha mão que apertava e fez um afago, tranqüilizando-me. Foi quando resolvi relaxar, afinal de contas já estava borrado mesmo, o jeito agora era relaxar.

De repente, aquelas mãos que eu apertava e a que me afagavam, soltaram-se da minha, foi quando os ouvi falarem alto uns com os outros, forçava a vista para poder vê-los - era inútil - a luz era muito forte. Quando senti alguma coisa gelada encostar-se a mim e soltar um enorme choque que me fez gritar de dor, mas parecia que eles não se importavam com isso e continuavam a dar aqueles choques em mim.

Após isso, senti muita tontura, mas estava começando a acostumar-me com aquela luz e, já estava podendo ver quem era os donos daquelas vozes e para minha surpresa...

As vozes eram de para-médicos, pois eu estava dentro de uma ambulância de socorro das estradas, eu acabara de bater com o carro e estava desacordado, o que fez com eles tentassem me reanimar.

Bom, caro leitor, eu avisei que era para ter parado antes, agora você já sabe o que se passou.

AMÉM

Marcos Toledo

publicidade
publicidade
Crochelandia
publicidade
publicidade
Visitantes desde fevereiro de 2006:
30008328

Blogs dos Colunistas

-
Ana
Kaye
Rio de Janeiro
-
Andrei
Bastos
Rio de Janeiro - RJ
-
Carolina
Faria
São Paulo - SP
-
Celso
Lungaretti
São Paulo - SP
-
Cristiane
Visentin

Nova Iorque - USA
-
Daniele
Rodrigues

Macaé - RJ
-
Denise
Dalmacchio
Vila Velha - ES
-
Doroty
Dimolitsas
Sena Madureira - AC
-
Eduardo
Ritter

Porto Alegre - RS
.
Elisio
Peixoto

São Caetano do Sul - SP
.
Francisco
Castro

Barueri - SP
.
Jaqueline
Serávia

Rio das Ostras - RJ
.
Jorge
Hori
São Paulo - SP
.
Jorge
Hessen
Brasília - DF
.
José
Milbs
Macaé - RJ
.
Lourdes
Limeira

João Pessoa - PB
.
Luiz Zatar
Tabajara

Niterói - RJ
.
Marcelo
Sguassabia

Campinas - SP
.
Marta
Peres

Minas Gerais
.
Miriam
Zelikowski

São Paulo - SP
.
Monica
Braga

Macaé - RJ
roney
Roney
Moraes

Cachoeiro - ES
roney
Sandra
Almeida

Cacoal - RO
roney
Soninha
Porto

Cruz Alta - RS