Três Desafios

Na constante busca pelo aperfeiçoamento moral e, portanto, espiritual as pessoas se deparam com três grandes desafios que devem ser superados em todas suas formas, de modo que, vencendo suas paixões e submetendo sua vontade, o bem se sobreponha ao mal, quais sejam: a ignorância, o fanatismo e a superstição.

https://jornalorebate.com.br/19-10/fanatismo.jpg

Isso porque, a ignorância, mãe de todos os vícios, impõe ao homem uma condição primitiva, onde prevalecem as paixões levianas em detrimento da tolerância, do amor fraterno e o respeito a si mesmo.  Nessa condição o homem não faz qualquer esforço para superar seus defeitos e fraquezas, em vencer e dominar seus vícios, permanecendo em estado de imperfeição.

O fanatismo, que é o estado psicológico de fervor excessivo, irracional e persistente por qualquer coisa ou tema que, leva o homem a prática de atos e ações por vezes condenáveis, porque se esquece de buscar respostas racionais para sua crença e do maior mandamento divino que é o amor ao próximo.

A superstição, fruto da ignorância, impõe o medo ou a confiança exacerbada que será superada com o conhecimento da verdade e com a prática da lei do amor que é a verdadeira essência divina.

Para a superação desses três grandes desafios aquele que busca a verdade deve atuar com sinceridade de intenções e propósitos verdadeiros, sobretudo os mais íntimos, já que é impossível alguém se enganar; com coragem, para poder reconhecer suas falhas e realizar sua reforma interior; e, com perseverança, modificando conceitos equivocados e se adequando à verdade por mais difícil que seja esse aprimoramento.

Jesus, em proposta admirável, afirmou: “E conheceis a verdade e a verdade vos libertará” (João 8:32). 

Essa postura gerará um sentimento de união, fazendo nascer a fé raciocinada, de modo que também nascerá um ideal comum na busca da construção de um mundo perfeito. 

Essa união será para o bem e para a virtude e o homem passará a atuar como verdadeiro construtor social.

É possível dizer que somente amará o próximo àquele que se conhecer e se amar, porque quem se ama e ama o próximo, ama a Deus de todo coração.

Portanto, é preciso que toda pessoa busque a superação desses três grandes desafios, vivenciando e colocando em prática o princípio do “amar ao próximo como a si mesmo” tão bem exemplificado por Jesus, para que o nosso mundo seja mais justo e perfeito.

Felizes são aqueles que, corrigindo seus defeitos e buscando a verdade por meio do aperfeiçoamento intelectual e espiritual, levantam templos à virtude.  Felizes são aqueles que amam, pois que não conhecem a angústia da alma e nem a do corpo.


Paulo Eduardo de Barros Fonseca é vice-presidente do Conselho Curador da Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho, mantenedora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.                         

publicidade
publicidade
Crochelandia
Visitantes desde fevereiro de 2006:
33771569

Blogs dos Colunistas

-
Ana
Kaye
Rio de Janeiro
-
Andrei
Bastos
Rio de Janeiro - RJ
-
Carolina
Faria
São Paulo - SP
-
Celso
Lungaretti
São Paulo - SP
-
Cristiane
Visentin

Nova Iorque - USA
-
Daniele
Rodrigues

Macaé - RJ
-
Denise
Dalmacchio
Vila Velha - ES
-
Doroty
Dimolitsas
Sena Madureira - AC
-
Eduardo
Ritter

Porto Alegre - RS
.
Elisio
Peixoto

São Caetano do Sul - SP
.
Francisco
Castro

Barueri - SP
.
Jaqueline
Serávia

Rio das Ostras - RJ
.
Jorge
Hori
São Paulo - SP
.
Jorge
Hessen
Brasília - DF
.
José
Milbs
Macaé - RJ
.
Lourdes
Limeira

João Pessoa - PB
.
Luiz Zatar
Tabajara

Niterói - RJ
.
Marcelo
Sguassabia

Campinas - SP
.
Marta
Peres

Minas Gerais
.
Miriam
Zelikowski

São Paulo - SP
.
Monica
Braga

Macaé - RJ
roney
Roney
Moraes

Cachoeiro - ES
roney
Sandra
Almeida

Cacoal - RO
roney
Soninha
Porto

Cruz Alta - RS