Em Comemoração ao Sesquicentenário do ‘Miss Brasil’

A- A A+
publicidade
http://www.jornalorebate.com.br/468/0yolanda.jpg
Yolanda Pereira, gaucha que foi Miss Pelotas, Miss Rio Grande do Sul, Miss Brasil e Miss Universo, ano 1930. A 1 brasileira a conquistar a facanha do feito maximo de beleza universal

Neste ano 2015, está completando 150 anos das Misses de nossa nação! Tudo começou oficialmente em 1954. Mas foi no ano da graça de 1865 que foi inaugurado o início da trajetória de garotas que se tornavam famosas nacionalmente por suas incansáveis belezas. Na verdade, foram 9 senhoritas consagradas em 1º lugar como ‘Miss Brasil’ no período em que ele ainda não era oficial. O Concurso tem um rico histórico, bastantes mulheres que ficaram famosas e queridas no país, antes foram escolhidas como as rainhas da beleza brasileira. O Brasil é uma das superpotências no mundo ‘BEAUTY’, muitas brasileiras fazem sucesso aqui e no exterior, por causa de suas lindezas físicas e simpatia.

http://www.jornalorebate.com.br/468/1jussara.jpg
Jussara Souza Marques de Amorim, unica Miss Goias na historia de todos os tempos, que foi eleita Miss Brasil, e e a ultima Miss da epoca pre historica. Jussara foi Miss a 1949

O antigo testamento

Os registros e relatos históricos falam/apontam que uma francesa radicada no Brasil, de nome Aymée, foi a 1ª Miss Brasil de todos os tempos. Foi na verdade, aclamada em 1865 como a mais bonita. Nascida em 1845, na França, em Montjole, chegou ao Brasil no Rio de Janeiro-RJ, em 10/06/1864, aos 19 anos de idade. A francesa Aymée era uma atriz e artista de opereta e canto, tornando-se figura célebre na Cidade Maravilhosa. Fontes apontam que críticos e intelectuais da época foram os responsáveis por consagrar Aymée como a mais bela do antigo distrito federal brasileiro. Missólogos consideram-a como a nossa pioneira ‘Imperatriz da Beleza’, mesmo sendo nascida em outro país. O conhecido e falecido escritor Machado de Assis (1839-1908) escreveu sobre a gloriosa e fabulosa Aymée para o Jornal DIÁRIO DO RIO: [É um demoninho loiro, uma figura esbelta, graciosa, meio angelical, uns olhos vivos, um nariz como de safo, uma boca amorosamente fresca, que parece ter sido formada por duas canções de Ovídio, enfim a graça parisiense “toute pure” !].

http://www.jornalorebate.com.br/468/2ieda.jpg
Repetindo o feito de sua conterranea Yolanda Pereira, a gaucha Ieda Maria Vargas torna-se a Miss Universo ano 1963. Com essa vitoria, sao 2 'misses universo gauchas'

Anos depois, em 1900, houve um concurso de beleza em que a escolhida foi Violeta Lima Castro, eleita por votação popular. Foi o Jornal RUA DO OUVIDOR que promoveu a ocasião do Miss Brasil 1900. Nascida em 1879 em Paris, França, foi registrada no consulado brasileiro. Filha do professor da Faculdade de Medicina, Dr. João da Costa Lima e Castro. Violeta falava muito bem os idiomas português/francês/espanhol/italiano/inglês. Tornou-se uma das mais famosas cantoras líricas do seu tempo, também atuava como pintora e teve bastante destaque social e cultural durante sua vida. Faleceu em maio de 1965, aos 86 anos de idade, em sua casa, no Rio de Janeiro-RJ, no bairro da Urca.

No ano da graça de 1912, a Gazeta de Notícias, através do cronista Figueiredo Pimentel, promoveu em março outra disputa por sufrágio, que elegeu a senhorita Noêmia Nabuco de Castro, com 5860 votos, em eleição apurada à 3 de abril daquele ano. Em 2º lugar ficou a jovem Aluilde Prisco Barbosa (5810 votos). Até agora, essas 3 consagrações de MISS BRASIL teve caráter regionalista, somente moças da Cidade Maravilhosa participaram e ganharam pelo sistema de votação popular (1900 e 1912), e em 1865, foi uma aclamação.

http://www.jornalorebate.com.br/468/3eveline.jpg
Eveline Schroeter, Miss Macae 1980, Miss Estado do Rio de Janeiro 1980, Miss Brasil 1980 e representante brasileira no Miss Universo 1980. E uma Miss Brasil que teve bastante destaque

Passa-se 10 anos e 1922 chega. A paulista de Campinas (que estava residindo em Santos-SP) Maria José Leone, apelidada ‘Zezé Leone’, era eleita – representando o Estado de São Paulo (Miss do Município de Santos) – Miss Brasil do referido ano, num concurso realizado em homenagem às comemorações do centenário da independência do Brasil. O 2º lugar coube à Hilda de Castro e Lima, Miss Bahia – antes, foi Miss Salvador. Zezé fez muito sucesso, considerada diva/musa brasileira da década de 1920, época chamada de ‘anos loucos’. A Miss Brasil 1922 era tão bela, que durante seu reinado de 7 anos, toda vez que alguém no Brasil fazia referência de beleza para alguma criatura do sexo feminino, a exaltação era assim ‘QUE MULHER! UMA VERDADEIRA ZEZÉ LEONE’. A Miss 1922 foi talvez a Miss Brasil mais premiada de todos os tempos. Antes de ser miss, foi apontada pela Revista ‘Flamma’ como a moça mais linda do município de Santos-SP. Fez propagandas do Biotônico Fontoura, foi congratulada como nome de rua, rótulo de perfume, tem receita culinária – doce intitulado com seu nome – criada na época, que é uma espécie de gelatina com calda e cobertura (possuindo ingredientes de cremes amarelos e rosados), letra de um maxixe em sua homenagem, foi nome de Locomotiva a vapor, teve seu busto esculpido em praça pública, filme dedicado a ela, ‘Sua Magestade, a Mais Bella: Senhorita Zézé Leone, a Rainha da Belleza Brasileira’, e diversas outras congratulações. Faleceu nos anos 60 em sua residência e seu nome foi registrado no imaginário coletivo brasileiro, como verdadeiro mito da década de 20.

http://www.jornalorebate.com.br/468/4martha.jpg
Capa da Revista Manchete, data de 3 de Julho de 1954, com a Miss do referido ano, a baiana Martha Rocha, a 1 Miss Brasil da era oficial, que foi a TOP 2 no Miss Universo

Depois, em 1929, Olga Bergamini de Sá (da Cidade do Rio de Janeiro, mas oriunda de família do estado das Minas Gerais) é eleita a Miss Brasil. Didi Caillet, Miss Paraná, é a 2ª colocada. Pela 1ª vez, o Brasil participa do Concurso Miss Universo (certame criado em 1926 nos Estados Unidos), nos States, mas Olga não concordou com o regulamento do evento, discordou da forma como estava sendo o andamento do espetáculo e por isso acabou não vencendo e sendo desclassificada, o que revoltou o povo brasileiro, já que era uma das cotadas, fez sucesso como Miss Brasil, foi 1ª representante brasileira a concorrer à Miss Universo. Recebeu todo o apoio dos conterrâneos, por ter sido pioneira miss do país a competir no Miss Universo e por conseqüência, ter tido a oportunidade de conquistar a façanha, mesmo ela não tendo vindo.

No ano seguinte, em 1930, a gaúcha de Pelotas, Yolanda Pereira, foi consagrada Miss Pelotas, Miss Rio Grande do Sul, Miss Brasil e Miss Universo, sendo a 1ª Miss Universo do nosso país. Yolanda fez considerável sucesso na década de 30, musa/diva brasileira dos anos 30, sua vitória como Miss Universo deixou os brasileiros muito felizes, ela ficou famosíssima no Brasil, referencial de beleza na década de 30.

http://www.jornalorebate.com.br/468/5aymee.jpg
Aymee, francesa radicada no Brasil, considerada a 1 Miss Brasil de todos os tempos. Isso, no ano 1865, ao ser aclamada a mais bonita. Musa e Diva que marcou o seculo retrasado

Em 1932, a jovem morena (representante do distrito federal, Rio de Janeiro) Yeda Telles Menezes, filha da célebre cantora Julieta Telles de Menezes (já falecida, assim como a filha Miss, Yeda), é escolhida Miss Brasil. Registros declaram que ela participou do Miss Universo 1932, sem se classificar. O Concurso Miss Brasil 1932 não aconteceu no Brasil, foi em Paris-França, foi o único na história que foi realizado no exterior, pois não dava tempo de realizar o concurso no país para que a vencedora participasse do Miss Universo 1932. Por isso, jornalistas brasileiros que estavam em Paris, se reuniram no Restaurant de Place de la Madeleine para escolher, dentre 11 moças brasileiras que residissem em Paris, ou que estivessem à passeio por lá, uma vitoriosa. No caso, ganhou Yeda, uma moça bonita de cor parda, simpática, culta e elegante, que obteve êxito na Europa, mesmo não sendo eleita a Miss Universo 32.

1939 chega. A menina Vânia Pinto (nasceu em Campinas-SP) é escolhida Miss Brasil, representando o distrito federal (Cidade do Rio de Janeiro). Fontes apontam que tinha 15 anos, tendo sido a 1ª modelo profissional brasileira. Em 1939 não aconteceu o Miss Universo. Referências declaram que iria acontecer o Concurso nos Estados Unidos, mas que o mesmo foi cancelado, talvez por causa do começo da 2ª Guerra Mundial.

http://www.jornalorebate.com.br/468/7marthavas.jpg
A populacao da Bahia sente-se vingada pela derrota de Martha Rocha, em 1954, com a facanha de Martha Vasconcellos, Miss Bahia, Brasil e Universo 1968, em foto na Revista Fatos e Fotos

Passados 10 anos, 1949 é o ano, Miss Brasil é Miss Goiás, Jussara Marques, última Miss Brasil da era não oficial do evento. Gostava de jogar tênis, deu entrevistas à imprensa depois de eleita Rainha da Beleza Brasileira, ganhou presentes, pedidos de casamento, convites para atuar no cinema brasileiro, mas não quis seguir carreira de atriz. Fontes apontam que os organizadores do concurso não a premiaram como merecia, e que por isso, ela quase entrou com processo na justiça. Em 1949, não ocorreu o Miss Universo. Informações da época falam que o Miss Universo 1949 iría acontecer em Paris, França, mas que o mesmo foi cancelado, devido à protestos religiosos de pessoas (como o Papa por exemplo) que eram contra a realização dos desfiles de maiô, os julgando como conduta da indecência da nudez. Por isso não ocorreu a disputa.

Todas essas 9 senhoritas que foram ‘Miss Brasil’, do período pré histórico (antigo testamento), já faleceram. Fontes falam que as referidas não desfilaram para o público de maiô. As dos anos 1865, 1900 e 1912 foram consagradas numa época em que ainda nem existia o tal traje de banho feminino; as seguintes só o usaram nos bastidores do concurso para serem tiradas as medidas de seus corpos, segundo registros históricos. Somente a Miss Brasil 1929, Olga, é que posou para fotos com o traje de banho, isso na concentração do Miss Universo 1929 nos EUA, imagens essas que saíram na imprensa brasileira, arregalando os olhos de brasileiros conservadores e liberais, mesmo a especificada trajando um maiô negro enorme, comportadíssimo. Abaixo, a lista das misses da era ‘não oficial’, e seus estados:

http://www.jornalorebate.com.br/468/8melissa.jpg
A atual Miss Brasil, Melissa Holanda Gurgel, eleita pelo estado do Ceara, sendo a 3 competidora cearense a ganhar o concurso nacional. Foi semifinalista no Miss Universo 2014

1865: Aymée (Cidade do Rio de Janeiro, antigo distrito federal);

1900: Violeta Lima Castro (Cidade do Rio de Janeiro, antigo distrito federal);

1912: Noêmia Nabuco de Castro (Cidade do Rio de Janeiro, antigo distrito federal);

1922: Maria José “Zezé” Leone (Estado de São Paulo);

1929: Olga Bergamini de Sá (Cidade do Rio de Janeiro, antigo distrito federal), a 1ª brasileira que participou do Miss Universo, naquele ano, sem se classificar;

1930: Yolanda Pereira (Rio Grande do Sul), foi eleita Miss Universo 1930;

1932: Yeda Telles Menezes (Cidade do Rio de Janeiro, antigo distrito federal), registros apontam que ela participou do Miss Universo 1932, mas não conseguiu classificação, porém fez muito sucesso na Europa;

1939: Vânia Pinto (Cidade do Rio de Janeiro, antigo distrito federal), em seu ano ía ter a concorrência do Miss Universo, mas o mesmo foi cancelado, portanto ela não tinha como participar;

1949: Jussara Souza Marques de Amorim (Goiás), não participou do concurso de Miss Universo, já que em 1949 foi cancelada a tal disputa que iria ocorrer.

O novo testamento

http://www.jornalorebate.com.br/468/6logo.jpgEm 1954, o concurso Miss Brasil torna-se oficial, todo ano o país escolhe a sua menina para concorrer à Miss Universo, com exceção de 1990, em que não houve concurso de Miss Brasil para que a vencedora concorresse à Miss Universo. Somente nesse ano que o Brasil não foi representado no Miss Universo, a partir de 1954. Dizem que isso aconteceu, porque o SBT (a emissora que transmitiu o evento a partir de 1981) desistiu de realizar o concurso em 1990, já que em 1989 teve índices de audiência muito baixos. A 1ª Miss Brasil oficial é a Miss Bahia 1954, Martha Rocha, que ficou em 2º lugar no Miss Universo 1954. Diz a lenda que ela tinha 2 polegadas a mais nos quadris, a impedindo de ser 1ª colocada, então ficou em 2º lugar, mesmo com a soma das notas dos jurados concluída, tendo sido a brasileira, a mais votada. Em 1957, 1958, 1972 e 2007, as misses Brasil ficaram também em 2º lugar no Miss Universo. Em 2011, a Miss Brasil ficou em 3º lugar no desfile universal. Em 1979 e 1981, as misses do país no certame universal, ficaram em 4º lugar. Em 1959, 1962, 1971, 2012 e 2013, as brasileiras ficaram, cada uma, como 5ª colocada, na competição de beleza do universo. Nos anos 1955, 1956, 1960, 1964, 1965, 1967, 1969, 1970, 1973, 1975, 1982, 1985, 1986, 1993, 1998, 2003, 2006 e 2014, as brasileiras foram semifinalistas no Miss Universo. Nos anos 1961, 1966, 1974, 1976, 1977, 1978, 1980, 1983, 1984, 1987, 1988, 1989, 1991, 1992, 1994, 1995, 1996, 1997, 1999, 2000, 2001, 2002, 2004, 2005, 2008, 2009 e 2010, as moças escolhidas para defender as cores brasileiras no Miss Universo, não obtiveram classificação na competição, ficando de fora das semifinais. Em 2015, ano atual, ainda não teve escolha de Miss Brasil, mas tomara que a eleita vença o Miss Universo 2015, quebrando um jejum de 47 anos. A atual Miss Brasil, ano 2014, representante do Ceará, Melissa Holanda Gurgel, foi semifinalista no Miss Universo 2014, está tendo êxito como Miss. As meninas eleitas como Miss Universo foram (sem contar a gaúcha de Pelotas, Yolanda de 1930, quando os concursos de Misses ainda não eram oficiais) nos anos 60, em 1963, a gaúcha de Porto Alegre, Ieda Maria Brutto Vargas, e em 1968, a baiana de Salvador, Martha Maria Cordeiro Vasconcellos, ambas famosas por terem conquistado esse feito. Na história do Miss Brasil, a felizarda considerada “ETERNA MISS BRASIL” é Martha Rocha (1954), a mesma é considerada talvez, como a mais bela brasileira de todos os tempos. Infelizmente, nos dias atuais, não tem o destaque que merece. Adalgisa Colombo (1958), além de conhecida, é tida como a “MISS BRASIL INESQUECÍVEL”. Vera Fischer (1969) é, sem dúvidas, a mais célebre de todas, tornou-se atriz depois do reinado, até a atualidade é considerada muito bonita e também atuou como pintora e é escritora, de vez em quando lança livros. Outras misses que venceram o Miss Brasil, também ficaram bastante famosas, como Emília Barreto Correia Lima (1955), Terezinha Morango (1957), Gina MacPherson (1960), Ângela Vasconcelos (1964), Ana Cristina Ridzi (1966), Carmen Sílvia de Barros Ramasco (1967), Eliane Fialho Thompson (1970), Rejane Vieira Costa (1972), Ingrid Budag (1975), Cássia Janys Moraes Silveira (1977), Marta Jussara da Costa (1979), Eveline Schroeter (1980), Adriana Alves de Oliveira (1981), Celice Pinto Marques da Silva (1982), Márcia Gabrielle (1985), Deise Nunes (1986), Jacqueline Ribeiro Meirelles (1987), Flávia Cavalcante Rebello (1989), Leila Cristine Schuster (1993), Renata Aparecida Bessa Soares (1995), Nayla Fernanda Affonso Micherif (1997), Renata Bonfiglio Fan (1999), Juliana Dornelles Borges (2001), Joseane Oliveira (2002), Gislaine Rodrigues Ferreira (2003), Natália Guimarães (2007), Débora Moura Lyra (2010) e Priscila Machado (2011). O nosso município de Macaé tem a honra de ter tido uma Miss Brasil, que teve êxito (em 1980, Eveline Schroeter). Muitos resultados do Concurso foram aprovados pelos brasileiros, porém, uma quantidade considerável são considerados injustos. A memória da disputa guarda histórias incríveis, mas o espaço aqui não é suficiente para contar todos os fatos. As ganhadoras do Miss Brasil (que defenderam as cores brasileiras no Miss Universo) que já faleceram foram: Marisa Fully Coelho (em novembro/1998), Adalgisa Colombo (em janeiro/2013), Kátia Celestina Moretto (em abril/2013), Rejane Vieira Costa (em dezembro/2013) e Ana Cristina Ridzi (em janeiro/2015). A fase áurea do Miss Brasil foi nos anos 50 e 60. Na década de 70 até o ano de 1980, ia aos poucos diminuindo o auge – e a extinta Rede ‘Tupi’ de Televisão era o canal que televisionava o certame, entre 1955 à 1980 (em 1954, a competição não foi transmitida). Entre 1981 à 1989, a Rede ‘SBT’ assume o concurso, o apresentador Sílvio Santos consegue resgatar o certame, de um jeito diferenciado ao comandá-lo, os resultados de forma geral, normalmente agradavam os brasileiros, até 1987. Em 1988 a Miss Bahia Vanessa Blumenfeld Magalhães Victal era unanimidade no Miss Brasil, ficou em 2º lugar (perdeu para a Miss Santa Catarina, Isabel Cristina Beduschi), a população nacional (com exceção dos catarinenses) não aceitou essa derrota, que foi considerada talvez, a razão do ‘fim’ do glamour do Miss Brasil, tanto que no ano seguinte, a audiência do espetáculo foi com picos bem baixos, e como em 1990 não houve o concurso, a Miss Brasil 1989 Flávia, reinou por 2 anos. A partir de 1991, as concorrências normalmente não eram televisionadas em emissoras para o Brasil todo. Em 2002 foi a ‘Rede TV’ que fez voltar a ter o Miss Brasil sendo transmitido para todo o país. Em 2003, a Rede Bandeirantes passa a transmitir o evento anualmente.

Curiosidades: Em 1958, 1961, 1967 e 1974, as Misses Brasil renunciaram ao título, depois da participação no Miss Universo. Em 2002, após sua participação no Miss Universo, a Miss Brasil Joseane participou do reality show BBB (Big Brother Brasil), depois foi destronada do título por ter sido descoberto que era casada, o que é contra o regulamento do concurso. A 2ª colocada, a Miss Santa Catarina Taíza Thomsen (concorreu à Miss Mundo) passa a ser a Miss Brasil do referido ano, e transfere o título para sua sucessora em 2003. Tanto Joseane no Miss Universo, quanto Taíza no Miss Mundo, ambas não se classificaram. No ano de 1968, além da vitória da brasileira no Miss Universo, a Miss Guanabara Maria da Glória Carvalho, que ficou em 3º lugar no Miss Brasil, representou e ganhou o Concurso Miss Beleza Internacional 1968, sendo a única brasileira até o momento que venceu esse concurso (criado em 1960). Há boatos de que Maria da Glória tenha falecido na década de 2000, mas isso é uma informação que nunca foi confirmada. Em 1971, outra Miss Guanabara consegue destaque no mundo todo. Lúcia Tavares Petterle, conquista o 2º lugar no Miss Brasil, e defendeu as cores brasileiras no Concurso Miss Mundo (que começou em 1951, mas só a partir de 1958 que o Brasil começou a participar dele) do tal ano, conquistando a façanha. Lúcia é a única miss brasileira que venceu essa concorrência, até os dias atuais. As brasileiras (ambas representantes do Amazonas) Priscilla Meirelles de Almeida (2004) e Larissa Ribeiro Ramos (2009) competiram e ganharam o Concurso Miss Planeta Terra (certame inaugurado em 2001), defendendo o Brasil, sendo as únicas brasileiras que conquistaram essa vitória, são patrimônios para o estado do Amazonas. O concurso Miss Universo oficialmente existe desde 1952, mas só em 1954 que o Brasil passou a enviar concorrente, com exceção do ano 90 – como dito antes. Antes, quando a competição ainda não era oficial, começou em 1926, mas em 1929 é que teve a 1ª representante brasileira (Olga), como já citado antes. No ano de 1930, houve 2 concursos de Miss Universo, um no Brasil, ganhando a brasileira; outro nos Estados Unidos, vencendo a norte americana – certame este o qual o Brasil não enviou candidata (talvez por raiva dos norte americanos, que desclassificaram em 1929, a brasileira Olga). Ou seja, 1930 teve 2 lindas vitórias dentro de casa. Hoje, ambas as congratuladas ‘Miss Universo 1930’ estão falecidas. A outra Miss Universo do referido ano atende pelo nome Dorothy Dell Goff. Os 4 principais concursos de beleza do mundo são o Miss Universo, o Miss Mundo, o Miss Beleza Internacional e o Miss Planeta Terra, e em todos eles, o Brasil teve pelo menos 1 ganhadora. O Rio Grande do Sul é o Estado que mais tem detentoras do título de Miss Brasil. Uma delas, Deise Nunes, em 1986, foi a primeira Miss Brasil negra da história, embora não seja uma afro-descendente de cor escura forte demais. Tinha um lindíssimo rosto, digno para ser a Miss Universo, mas ficou somente no TOP 10 – talvez pelo corpo, já que a referida gaúcha era muito magra, tinha pouco busto, quadril e coxa. Inclusive, 22 anos antes, em 1964, outra negra também sem ser muito retinta, foi Miss Clube do Renascença, Miss Guanabara e Vice Miss Brasil, ganhando a premiação de ‘Miss Brasil Beleza Internacional’, e no Concurso Miss Beleza Internacional, colocou-se em 3º lugar. Seu nome é Vera Lúcia Couto dos Santos, obteve êxito como Miss (até músicas em sua homenagem ela teve), o Clube do Renascença conquistava consideráveis sucessos nos certames da antiga Guanabara, enviando lindas misses de etnia afro-descendente, mas normalmente não eram meninas de cores tão carregadas. Focando na década de 2000, o que fez o concurso voltar a ter um pouco mais de destaque e retorno televisivo, foi a polêmica da Miss Brasil 2001, a Miss Rio Grande do Sul Juliana, que realizou 19 cirurgias plásticas em dezembro/2000 para ser Miss 2001. As pessoas no país paravam para discutir sobre a referida gaúcha, normalmente negativamente sempre argumentando contra a atitude da moça. Com toda essa discussão sobre Juliana, depois, em 2002, a competição retorna à ser nacionalmente televisionada, já que o assunto ‘MISS BRASIL’ voltava a ser analisado e aprofundado na mídia e sociedade. Em 12/12/2011, o jornalista paulista Roberto Sécio lança o Livro “AS MISSES DO BRASIL DE 1922 À 2011”. Muito recentemente, à 09/04/2015, o jornalista baiano Roberto Macêdo publica o Livro “MARTHA VASCONCELLOS”, narrando a história de vida da Miss Universo 1968. Outras misses de destaque, que representaram o Brasil no Miss Universo, como Martha Rocha, Vera Fischer, Ingrid Budag e Jacqueline Ribeiro Meirelles (Ingrid e Jacqueline, bem recentemente), também narraram suas biografias em livros. Agora é só esperar para ver quem será a Miss Brasil 2015, e torcer para que ela ganhe o Miss Universo 2015. Abaixo, a lista das detentoras do título oficial de Miss Brasil (e seus Estados), que participaram do Miss Universo, o maior concurso de beleza do mundo:

1954: Maria Martha Hacker Rocha (Bahia);

1955: Emília Barreto Correia Lima (Ceará);

1956: Maria José Cardoso (Rio Grande do Sul);

1957: Terezinha Gonçalves Morango (Amazonas);

1958: Adalgisa Colombo (Cidade do Rio de Janeiro, antigo distrito federal);

1959: Vera Regina Ribeiro (Cidade do Rio de Janeiro, antigo distrito federal);

1960: Jean “Gina” MacPherson (Cidade do Rio de Janeiro, antiga Guanabara);

1961: Stael Maria da Rocha Abelha (Minas Gerais);

1962: Maria Olívia Rebouças Cavalcanti (Bahia);

1963: Ieda Maria Brutto Vargas (Rio Grande do Sul);

1964: Ângela Tereza Pereira Reis Neto Vasconcelos (Paraná);

1965: Maria Raquel Helena de Andrade (Cidade do Rio de Janeiro, antiga Guanabara);

1966: Ana Cristina Ridzi (Cidade do Rio de Janeiro, antiga Guanabara);

1967: Carmen Sílvia de Barros Ramasco (Estado de São Paulo);

1968: Martha Maria Cordeiro Vasconcellos (Bahia);

1969: Vera Lúcia Fischer (Santa Catarina);

1970: Eliane Fialho Thompson (Cidade do Rio de Janeiro, antiga Guanabara);

1971: Eliane Parreira Guimarães (Minas Gerais);

1972: Rejane Vieira Costa (Rio Grande do Sul);

1973: Sandra Mara Ferreira (Estado de São Paulo);

1974: Sandra Guimarães de Oliveira (Estado de São Paulo);

1975: Ingrid Budag (Santa Catarina);

1976: Kátia Celestina Moretto (Estado de São Paulo);

1977: Cássia Janys Moraes Silveira (Estado de São Paulo);

1978: Suzana Araújo dos Santos (Minas Gerais);

1979: Marta Jussara da Costa (Rio Grande do Norte);

1980: Eveline Schroeter (Estado do Rio de Janeiro);

1981: Adriana Alves de Oliveira (Estado do Rio de Janeiro);

1982: Celice Pinto Marques da Silva (Pará);

1983: Marisa Fully Coelho (Minas Gerais);

1984: Ana Elisa Flores da Cruz (Estado de São Paulo);

1985: Márcia Gabrielle (Mato Grosso);

1986: Deise Nunes (Rio Grande do Sul);

1987: Jacqueline Ribeiro Meirelles (Cidade de Brasília, atual distrito federal);

1988: Isabel Cristina Beduschi (Santa Catarina);

1989: Flávia Cavalcante Rebelo (Ceará);

1990: Não houve concurso. Desde 1954, pela 1ª e única vez, o Brasil não participa do Miss Universo. A Miss Brasil 1989, Flávia, reinou por 2 anos então.

1991: Patrícia Maria Franco de Godói (Estado de São Paulo);

1992: Maria Carolina Portella Otto (Paraná);

1993: Leila Cristine Schuster (Rio Grande do Sul);

1994: Valéria Melo Péris (Estado de São Paulo);

1995: Renata Aparecida Bessa Soares (Minas Gerais);

1996: Maria Joana Parizotto (Paraná);

1997: Nayla Fernanda Affonso Micherif (Minas Gerais);

1998: Michela Dauzacker Marchi (Mato Grosso do Sul);

1999: Renata Bonfiglio Fan (Rio Grande do Sul);

2000: Josiane Oderdengen Kruliskoski (Mato Grosso);

2001: Juliana Dornelles Borges (Rio Grande do Sul);

2002: Joseane Procasco Guntzel de Oliveira (Rio Grande do Sul);

2003: Gislaine Rodrigues Ferreira (Tocantins);

2004: Fabiane Niclotti (Rio Grande do Sul);

2005: Carina Schlichting Beduschi (Santa Catarina);

2006: Rafaela Koehler Zanella (Rio Grande do Sul);

2007: Natália Aparecida Guimarães (Minas Gerais);

2008: Natálya Anderle (Rio Grande do Sul);

2009: Larissa Costa Silva de Oliveira (Rio Grande do Norte);

2010: Débora Moura Lyra (Minas Gerais);

2011: Priscila Machado (Rio Grande do Sul);

2012: Gabriela Markus (Rio Grande do Sul);

2013: Jakelyne de Oliveira Silva (Mato Grosso);

2014: Melissa Holanda Gurgel (Ceará);

2015: Há definir. Ainda não ocorreu o Concurso Miss Brasil 2015.

Raphael Guedes Marinho

publicidade
publicidade
publicidade
Crochelandia
publicidade
Visitantes desde fevereiro de 2006:
30452167

Blogs dos Colunistas

-
Ana
Kaye
Rio de Janeiro
-
Andrei
Bastos
Rio de Janeiro - RJ
-
Carolina
Faria
São Paulo - SP
-
Celso
Lungaretti
São Paulo - SP
-
Cristiane
Visentin

Nova Iorque - USA
-
Daniele
Rodrigues

Macaé - RJ
-
Denise
Dalmacchio
Vila Velha - ES
-
Doroty
Dimolitsas
Sena Madureira - AC
-
Eduardo
Ritter

Porto Alegre - RS
.
Elisio
Peixoto

São Caetano do Sul - SP
.
Francisco
Castro

Barueri - SP
.
Jaqueline
Serávia

Rio das Ostras - RJ
.
Jorge
Hori
São Paulo - SP
.
Jorge
Hessen
Brasília - DF
.
José
Milbs
Macaé - RJ
.
Lourdes
Limeira

João Pessoa - PB
.
Luiz Zatar
Tabajara

Niterói - RJ
.
Marcelo
Sguassabia

Campinas - SP
.
Marta
Peres

Minas Gerais
.
Miriam
Zelikowski

São Paulo - SP
.
Monica
Braga

Macaé - RJ
roney
Roney
Moraes

Cachoeiro - ES
roney
Sandra
Almeida

Cacoal - RO
roney
Soninha
Porto

Cruz Alta - RS