Superando Barreiras

No ano de 2016 o Brasil sediou as Olimpíadas e as Paralimpíadas.

Juntamente com a família participei da cerimônia de abertura dos Jogos Paralímpicos e assisti algumas competições nas quais, inclusive, atletas brasileiros ganharam medalha de ouro. Foram momentos de muito aprendizado e emoção. O que para algumas pessoas é uma dificuldade intransponível para outros é motivação e superação!

https://jornalorebate.com.br/19-03/watchmerunsm1.jpg

De lá para cá, minha filha Ana Paula, que é portadora de uma síndrome neurológica – ataxia indefinida – caracterizada pela falta de coordenação motora, especialmente quanto ao seu equilíbrio, decorrente de algum bloqueio cerebelar, se encantou pelo esporte e, em meio as suas tantas atividades do dia-a-dia – estudo, trabalho, tratamentos médicos, cuidar do seu blog, carnaval etc -, procurava conhecer modalidades esportivas paralímpicas porque queria ser atleta.

Sonho realizado!

Há quatro meses ela conheceu e passou a treinar uma modalidade nova chamada Petra, também conhecida como Race Running, na qual os atletas correm com os seus próprios pés apoiando-se a um andador, uma espécie de bicicleta sem pedais, consistente numa armação com três rodas anexadas a um suporte para o corpo. O atleta tem o apoio de um assento, um suporte para o tronco e o guidão, que é utilizado para direcionar seus movimentos.

Embora iniciante no esporte, no último final de semana ela enfrentou seu primeiro desafio como atleta, participando da sua primeira competição, demonstrando      mais uma vez que aceita sua condição física – que limita seus movimentos – e os desafios que se propôs a enfrentar nesta encarnação.

 O resultado? Isso é de pouca importância face à forma corajosa como ela enfrenta a vida, superando barreiras e dando exemplo a todos que com ela convivem.

Quem a conhece reconhece seu esforço, sua alegria contagiante, a responsabilidade para com os compromissos assumidos e o exemplo de vida, de aceitação e de superação que é para todos ao transformar sua dificuldade física – que para ela não é um sofrimento – em esperanças, em paciência, certamente porque entende os desígnios de Deus.

Ela talvez não saiba, mas competir no esporte escolhido é apenas um pequeno detalhe para quem transforma suas eventuais lágrimas em doces sorrisos!

Paulo Eduardo de Barros Fonseca é vice-presidente do Conselho Curador da Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho, mantenedora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

 

publicidade
publicidade
Crochelandia
Visitantes desde fevereiro de 2006:
32583459

Blogs dos Colunistas

-
Ana
Kaye
Rio de Janeiro
-
Andrei
Bastos
Rio de Janeiro - RJ
-
Carolina
Faria
São Paulo - SP
-
Celso
Lungaretti
São Paulo - SP
-
Cristiane
Visentin

Nova Iorque - USA
-
Daniele
Rodrigues

Macaé - RJ
-
Denise
Dalmacchio
Vila Velha - ES
-
Doroty
Dimolitsas
Sena Madureira - AC
-
Eduardo
Ritter

Porto Alegre - RS
.
Elisio
Peixoto

São Caetano do Sul - SP
.
Francisco
Castro

Barueri - SP
.
Jaqueline
Serávia

Rio das Ostras - RJ
.
Jorge
Hori
São Paulo - SP
.
Jorge
Hessen
Brasília - DF
.
José
Milbs
Macaé - RJ
.
Lourdes
Limeira

João Pessoa - PB
.
Luiz Zatar
Tabajara

Niterói - RJ
.
Marcelo
Sguassabia

Campinas - SP
.
Marta
Peres

Minas Gerais
.
Miriam
Zelikowski

São Paulo - SP
.
Monica
Braga

Macaé - RJ
roney
Roney
Moraes

Cachoeiro - ES
roney
Sandra
Almeida

Cacoal - RO
roney
Soninha
Porto

Cruz Alta - RS