CIDA GARCIA EXPÕE NO MAJESTIC -PORTUGAL

Exposição da artista Plástica brasileira Cida Garcia

Majestic-Porto


Obras da nossa colunista e artista plástica Cida Garcia, estarão a partir de 28 de julho a 09 de Agosto no Majestic do Porto, por onde já passaram muitas personalidades de destaque no mundo europeu, ligados a vida cultural e artística .

Curiosidades
Cida Garcia visita o Porto em 2006

" Na biografia de J.K.Rowling escrita por Sean Smith, refere-se que a escritora passava muito tempo no Café Majestic a trabalhar no primeiro livro "Harry Potter e a Pedra Filosofal"(apesar de a escritora ter saído do porto em 1994 e o livro apenas ter sido publicado em 1997).
Nos últimos anos, entre muitas outras figuras, não deixaram de visitar e assinar o livro de honra os presidentes Mário Soares, Jorge Sampaio, Jacques Chirac e Cavaco Silva.
Uma das cerimónias da despedida de Macau, no final do período de administração portuguesa, teve lugar no Café Majestic com a presença do Embaixador da China em Portugal."

Majestic

Dra. Ana Maria Coutinho e Castro- Procuradora da artista em Portugal no Majestic

O local prima pela exuberante arquitetura idealizada pelo arquiteto João Queirós, inspirada na obra do mestre Marques da Silva, no estilo “arte nova”.

"Art nouveau ([aR.nu'vo], do francês arte nova), chamado Arte Nova em Portugal, foi um estilo estético essencialmente de design e arquitectura que também influenciou o mundo das artes plásticas. Era relacionado com o movimento arts & crafts e que teve grande destaque durante a Belle époque, nas últimas décadas do século XIX e primeiras décadas do século XX. Relaciona-se especialmente com a 2ª Revolução Industrial em curso na Europa com a exploração de novos materiais (como o ferro e o vidro, principais elementos dos edifícios que passaram a ser construídos segundo a nova estética) e os avanços tecnológicos na área gráfica, como a técnica da litografia colorida que teve grande influência nos cartazes. Devido à forte presença do estilo naquele período, este também recebeu o apelido de modern style (do inglês, estilo moderno).
O nome surgiu de uma loja parisiense (capital internacional do movimento), chamada justamente Art nouveau e que vendia mobiliário seguindo o estilo.
Caracteriza-se pelas formas orgânicas, escapismo para a Natureza, valorização do trabalho artesanal, entre outros. O movimento simbolista também influenciou o art nouveau."

ARTE NOVA, ART NOUVEAU, MODERN STYLE, FLOWER ART, FLOREARE

O Majestic

"Recebeu nomes diversos dependendo do país em que se encontrava: Flower art na Inglaterra, "Modern Style", "Liberty" ou stilo "Floreale" na Itália. Os alemães criam sua própria vertente de Art Nouveau chamada Jugendstil.
No Brasil, teve fundamental participação na divulgação e realização da art nouveau o Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo. Um dos maiores nomes desse estilo, no Brasil, é o artísta e designer Eliseu Visconti, pioneiro do design no País.
Em Portugal, edifícios em estilo arte nova são particularmente comuns em Aveiro e Caldas da Rainha. Em Lisboa, a Casa - Museu Dr. Anastácio Gonçalves é um bom exemplo da variante portuguesa do estilo, assim como no Porto o Café Majestic. Em Portugal foi comum, mais que a arquitetura, a decoração de fachadas e interiores com azulejos em estilo arte nova, como se comprova em muitos edifícios da virada dos séculos XIX e XX.( http://pt.wikipedia.org/wiki/Art_nouveau)"

Marques da Silva

Marques da Silva

"José Marques da Silva, (Barcelos, 1869 - Porto, 1947) foi um arquitecto português. Fez o seu curso na Academia Portuense de Belas-Artes, seguindo depois para Paris, onde viveu entre 1889 e 1896, e onde obteve o diploma de arquitecto com altas classificações. Regressou a Portugal e criou rapidamente nome, pelo número e importância dos trabalhos que projectou e construiu, alguns dos quais foram premiados na Exposição Universal de Paris 1900 e na do Rio de Janeiro 1908, com medalhas de prata e de ouro. Em 1907 foi nomeado professor de Arquitectura da Escola de Belas Artes do Porto e em 1913 seu director, aposentando-se, por limite de idade, em 1939. Foi académico de mérito das Academias de Belas-Artes de Lisboa e Porto, sócio correspondente da Academia Nacional de Belas-Artes e oficial da Ordem de Santiago. Foi também professor do antigo Instituto Industrial e Comercial do Porto. A Universidade do Porto neste momento é a detentora do espólio do arquitecto, que se encontra no Instituto José Marques da Silva, sito no Marquês, no seu antigo atelier, ao lado da sua Moradia. Conjuntamente com o espólio do arquitecto, encontra-se o da sua filha, Maria José Marques da Silva e do seu genro, David.( http://pt.wikipedia.org/wiki/Marques_da_Silva)."

Cida Garcia recebe no Porto o Vice Presidente do Projeto Arte Solidária- Dr. Jorge Destro/Brasil.

O Majestic está intimamente ligado a história da cidade do Porto, quer seja pela tradição do café tertúlia, ou pelo teor histórico que acompanha suas atividades durante tantos anos, desde a sua findação em 1916 na esquina das ruas Santa Catarina e Passos Manuel.
O mármore cobre totalmente sua fachada e encimando esta maravilha, pode-se ver um frontão com o nome do famoso Espaço.

Frontão com o nome do Espaço

“... ao aproximarmo-nos do jardim passamos para um decorativismo colmatador das estruturas arquitectónicas, terminando no portal jónico de ligação ao exterior, com grande volutas transparentes e sensuais, tipicamente [[Art Nouveau]], insinuando as esculturas femininas que vislumbramos no exterior. Esse, verdejante e luminoso, serve actualmente para a dinamização de concertos durante o Verão, pelo que se tornou no terceiro centro cultural do Majestic, a rivalizar com o piano de cauda no interior e com as inúmeras exposições de pintura a acontecer no piso inferior, outrora votado ao jogo de bilhar.
Sob a égide dos Barrias, o Café foi encerrado para execução de um projecto de remodelação. Em 1994, depois da substituição do pavimento interior, da reposição do mobiliário original e do desenho de um novo balcão, o Majestic foi reaberto, devolvendo-se-lhe finalmente uma merecida notoriedade.”
Presente
A partir dos anos 60, a transformação do ritmo de vida provocou o declínio destes estabelecimentos e o Majestic não escapou a essa sorte até aos primeiros anos da década de oitenta.
Porém, a sua beleza original e o seu significado na cidade do Porto, valeram-lhe a classificação em 31 de Agosto de 1983 de "imóvel de interesse público" e "património cultural" da cidade, o que possibilitou que se iniciasse um processo de recuperação que, apesar de longo, permitiu a reabertura do café em Julho de 1994 com todo o seu antigo esplendor, convidando a reviver a fascinante Belle Époque.
Na cave foi criada uma galeria de arte destinada a pequenas conferências ou exposições.
Bibliografia
O Majestic, deslumbrante café no centro da cidade (na Rua de Santa Catarina, que deu origem ao pequeno poema de Jorge de Sousa Braga, chamado ‘Nos semáforos de Santa Catarina' – ao menos os teus olhos/permanecem verdes/todo o ano) é mais frequentado por estrangeiros do que por portugueses. Paga-se 9 euros e 75 cêntimos por um “Chá à Majectic” (dá direito a chá, cacau ou leite, torradas com compota, scones e uma tarte), mas sabe-se que é apenas um investimento. A limpeza da alma também se paga. Faz muito bem ficar sentado nas mesas do Majestic a ouvir o piano e ver os empregados a circular nas suas fardas brancas, a lembrar os grumetes de navio."

Luís Graça

Um mouro na Invicta

MAJESTIC

" O café mais famoso do Porto e um dos mais belos do mundo. Conta a história do Porto da “Belle Epoque”, dos escritores e artistas, das tertúlias políticas e do debate de ideias. Obra do arqt. João Queirós, foi inaugurado em 1921. Amadeu de Sousa Cardoso, Teixeira de Pascoais e José Régio foram presenças constantes. Restaurado em 1994, manteve o seu traçado em arte-nova – tectos em gesso pintado de dourado e trabalhado, magníficos espelhos de cristal de Antuérpia nas paredes, chão de mármore indiano. Lustres de grandes dimensões dão uma luz difusa e as mesas têm tampos de mármore
Mais do que um café, o Majestic, ali na R. de Sta. Catarina, conta a história do Porto. O Porto dos anos vinte, das tertúlias políticas e do debate de ideias. O Porto da "Belle Époque", dos escritores e dos artistas. Em 17 de Dezembro de 1921 e pela autoria do arquitecto João Queirós, abriu um luxuoso café com o nome de Elite, situado na Rua de Santa Catarina. Por aí se passeava a burguesia de então, para a qual o café se destinava, sendo daí o seu primeiro nome: Elite - grande, luxuoso, cuidado e aristocrático. De Elite muda-se para Majestic, nome mais apropriado ao espírito dos seus frequentadores, mantendo as referências ao sublime majestático e fazendo apelo a um certo chic parisiense, tão ao gosto da época em que nasceu.
Um dos que estiveram presentes na inauguração foi o aviador Gago Coutinho, que ficou encantado com o esplendor da decoração arte nova.
Frequentaram o café nomes como Teixeira de Pascoaes, José Régio, António Nobre e o filósofo e professor Leonardo Coimbra, natural da Lixa, Ministro da Instrução Pública em 1919 e 1923 e fundador da Faculdade de Letras do Porto.
Mais tarde, tornou-se lugar assíduo para os estudantes e professores da Escola de Belas Artes do Porto."

Passaram-se os anos, alteraram-se os gostos e deu-se o início de uma fase de declínio. A partir dos anos 60 e até aos primeiros anos da década de 80, o café degradou-se quase irremediavelmente. A 31 de Agosto de 1981 é decretado "imóvel de interesse público" e "património cultural". Em 1984 passou para a actual gerência, tendo fechado para restauro em Setembro de 1992. Reabriu em 15 de Julho de 1994, mantendo o seu traçado original em Arte Nova e exibindo o esplendor de outros tempos.
Na cave surge uma galeria de arte. O piano completa a magia deste espaço, e ao som de uma música de fundo viajamos no tempo e regressamos à "Belle Époque". O Majestic tem hoje uma clientela heterogénea, que vai dos habituées, testemunhas dos dias em que só se entrava de fato e gravata, aos turistas, de curiosidade aguçada pelos guias de viagem, passando por todos aqueles que vão adquirindo o costume de viver o café como ponto de encontro privilegiado de lazer e cultura."

publicidade
publicidade
Crochelandia
Visitantes desde fevereiro de 2006:
33771597

Blogs dos Colunistas

-
Ana
Kaye
Rio de Janeiro
-
Andrei
Bastos
Rio de Janeiro - RJ
-
Carolina
Faria
São Paulo - SP
-
Celso
Lungaretti
São Paulo - SP
-
Cristiane
Visentin

Nova Iorque - USA
-
Daniele
Rodrigues

Macaé - RJ
-
Denise
Dalmacchio
Vila Velha - ES
-
Doroty
Dimolitsas
Sena Madureira - AC
-
Eduardo
Ritter

Porto Alegre - RS
.
Elisio
Peixoto

São Caetano do Sul - SP
.
Francisco
Castro

Barueri - SP
.
Jaqueline
Serávia

Rio das Ostras - RJ
.
Jorge
Hori
São Paulo - SP
.
Jorge
Hessen
Brasília - DF
.
José
Milbs
Macaé - RJ
.
Lourdes
Limeira

João Pessoa - PB
.
Luiz Zatar
Tabajara

Niterói - RJ
.
Marcelo
Sguassabia

Campinas - SP
.
Marta
Peres

Minas Gerais
.
Miriam
Zelikowski

São Paulo - SP
.
Monica
Braga

Macaé - RJ
roney
Roney
Moraes

Cachoeiro - ES
roney
Sandra
Almeida

Cacoal - RO
roney
Soninha
Porto

Cruz Alta - RS