DENGUE – Aceitar ou lutar?

A- A A+
publicidade
Fui professor do Curso de Mestrado em Gastrenterologia da Universidade Católica aqui do Rio de Janeiro e dou aula sobre dengue, por esse motivo, vislumbrando a magnitude da epidemia que virá no início de setembro, apresento algumas sugestões práticas e possíveis par contornar esse problema de tão grande importância.
(1) Só combater água parada é totalmente insuficiente, pois a totalidade desse foco é quase inatingível pelo cidadão. Há água parada até nas folhas, nos telhados, nos muros altos etc. Para confirmar o que digo, no Rio, esta foi a única medida proposta pelas autoridades e o avanço da dengue só parou porque o tempo esfriou.
(2) Importantíssimo é isolar o paciente com dengue. Uso obrigatório de cortinados. Constatamos que em todas as famílias havia mais de um caso, pois o mosquito está presente e passa de uma pessoa para outra, obviamente.
(3) A aspersão de inseticidas (fumacê) é essencial. Todos os maiores condomínios do Rio de Janeiro adotaram esse procedimento e a incidência de dengue foi desprezível. Nos países mais ricos a aspersão se faz com helicópteros para se conseguir atingir lugares menos expostos. Como não tem sido usado esse recurso, as pessoas devem borrifar inseticidas comerciais em suas casas, duas vezes por dia.
(4) Para baratear essa prática, sugeri que se adaptasse a aparelhagem borrifadora nos tetos dos caminhões de lixo. Com isso teríamos muita economia, pois as despesas de combustível e pessoal já estão incluídas nas devidas receitas, além de atingirmos todos os recantos da cidade.
(5) Como a hidratação é a base do tratamento, deve haver uma grande campanha informativa no sentido de se consumir muita água ou líquidos. Paciente bem hidratado sofre muito menos. Soro caseiro é muito bem vindo.  Nesse aspecto lamentamos profundamente idéia que tiveram alguns indivíduos de pedirem as crianças para, nesse calor absurdo, usarem calças compridas para evitar a picada. Calor e calça comprida só aumentam a desidratação.
(6) Uso de repelentes é obrigatório, principalmente em crianças, especialmente nas pernas.
(7) Solicitar às pessoas que tiveram dengue que redobrem seus cuidados, pois uma reinfecção poderá ser fatal


Geraldo Siffert Junior - Médico - Rio de Janeiro
Rua Santa Luzia 799-1303 - Cinelândia-Rio-RJ
email=Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

publicidade
publicidade
publicidade
Crochelandia
publicidade
publicidade
Visitantes desde fevereiro de 2006:
29961074

Blogs dos Colunistas

-
Ana
Kaye
Rio de Janeiro
-
Andrei
Bastos
Rio de Janeiro - RJ
-
Carolina
Faria
São Paulo - SP
-
Celso
Lungaretti
São Paulo - SP
-
Cristiane
Visentin

Nova Iorque - USA
-
Daniele
Rodrigues

Macaé - RJ
-
Denise
Dalmacchio
Vila Velha - ES
-
Doroty
Dimolitsas
Sena Madureira - AC
-
Eduardo
Ritter

Porto Alegre - RS
.
Elisio
Peixoto

São Caetano do Sul - SP
.
Francisco
Castro

Barueri - SP
.
Jaqueline
Serávia

Rio das Ostras - RJ
.
Jorge
Hori
São Paulo - SP
.
Jorge
Hessen
Brasília - DF
.
José
Milbs
Macaé - RJ
.
Lourdes
Limeira

João Pessoa - PB
.
Luiz Zatar
Tabajara

Niterói - RJ
.
Marcelo
Sguassabia

Campinas - SP
.
Marta
Peres

Minas Gerais
.
Miriam
Zelikowski

São Paulo - SP
.
Monica
Braga

Macaé - RJ
roney
Roney
Moraes

Cachoeiro - ES
roney
Sandra
Almeida

Cacoal - RO
roney
Soninha
Porto

Cruz Alta - RS