Mordaça na mídia brasileira

A- A A+
publicidade

É extremamente vergonhoso o comportamento da mídia brasileira.

 

Tempos atrás O GLOBO e o JORNAL DO BRASIL publicaram na primeira página, no mesmo dia, a mesmíssima fotografia do ex-ministro Palocci com o pé engessado devido a contusão do futebol de fim de semana. Fotografia esta comprada de uma “agência internacional”. Sei que estes dois veículos tem excelentes profissionais em seus departamentos de fotografias (visitei o de O GLOBO com o então Diretor Erno Schineider e o do JB, com o Olavo Rufino). Mancada imperdoável destes jornalões.
Existe aqui no Brasil um terrível e infame esquema de alienação da nossa população imposto pela mídia. Nossa gente é impedida de pensar... De noite, depois do árduo trabalho, em casa, comem - quando tem o que comer - com o prato no colo vendo novelas ocas que não são comentadas no dia seguinte. Sentem vergonha de dizer que vêem novelas, as quais, os temas principais são mau-caratismo e rico casando com pobre ou vice-versa. Quanto aos filmes, todos são de fabricação americana. Alienantes, violentos ou pró USA. Filmes este reprisados diversas vezes e apresentados como inéditos. A TV aberta não nos permite ver filmes cult europeus, orientais, etc...! Temos acesso somente ao lixo americano. Quanto aos “programas”, é muito complicado comentar... Escreverei somente sobre os mais vistos. Aliás, toda a grade de programação é caracterizada pela imbecilidade e alienação. A “Turma do Didi” é pra débil mental ver... Luciano Huck é vendedor de Funk. O tal de Faustão – apresentador extremamente mal educado, pois não deixa ninguém falar – é o maior vendedor brasileiro de música de qualidade duvidosa. Todos os seus convidados já “venderam milhões de discos”. Seu programa não transmite um pingo de cultura. O músico Lulu Santos chamou-o de mal educado, ao vivo, em rede nacional. “Deus me livre de pensar quando estou cantando...”.
Quanto ao “Big Brother” a melhor definição é de autoria do grande ator global José Wilker: “É indigência cultural...!”. Faturam milhões e milhões com meia dúzia de grandes patrocinadores, e mais milhões, com milhões de espectadores que pagam ligações telefônicas para votar em quem vai para o paredão, quem será o líder, quais roupas deverão usar... Somente em um dos “paredões” do “BB 7” foram 55 milhões de ligações telefônicas. Os participantes deste troço mal sabem falar o nosso idioma. Os termos mais usados são: “caraca” ( que significa secreção nasal ressequida) e “tipo assim...”. As mulheres mais bonitas, quando saem do tal programa vão direto posar nuas para revistas masculinas. Todos viram “celebridades instantâneas”...? Meu filho, Pedro Henrique, 12 anos, disse-me o seguinte: “Paaaiiieee! Quero ver o “Big Brother!” e eu: “Esta merda não entra aqui em casa!!!”. E ele: “A tia Vivi e muito culta. É psicóloga. Ela comprou um pacote que dá direito a várias câmaras exclusivas e tem também acesso ao microfone de cada participante”. Terminei o assunto afirmando que “quem não agüenta pensar tem que se alienar”. A emissora do Sílvio Santos “SS”? não presta! Só tira dinheiro do povo com jogatinas e carnês... Canal sem caráter, apoiou todos os desgovernos. Lembram-se de “A Hora do Presidente”? Existem alguns bons programas na TV brasileira que a grande massa não tem acesso. São transmitidos de madrugada.
Quase todos os domingos, quando o meu povão está em casa, a TV aberta transmite futebol. Bahia X Juventude de Passo Fundo, em rede nacional. Eu não agüento...
Quanto às emissoras do “Bispo Macedo”...? Tomam dinheiro da nossa pobre gente, prometendo “cura e salvação”. Curandeirismo é crime!!! Este grupelho está bilionário. São detentores de uma poderosa bancada na Câmara Federal. Deputados estaduais, prefeitos e até mesmo governadores.
Voltando a falar em música, passei minha juventude escutando, obrigatoriamente, músicas em inglês sem entender patavinas deste idioma, na época. No período da ditadura militar brasileira, os americanos proibiram a entrada de músicas universais no meu Brasil. Só dava lixo... Adoro música italiana, francesa, espanhola, e até mesmo africana. Deliro com Jazz & Blues. Quanto aos filmes passados em cinema, 100% eram americanos. Depois, deixaram passar uma lei no congresso que obrigavam os cinemas a incluírem em sua programação 10% de filmes brasileiros...
Os americanos invadiram o Afeganistão com a finalidade de prender Bin Laden e seu grupo, “responsáveis” pelo atentado de 11 de setembro nas torres gêmeas. Mataram dezenas de milhares de civis (terroristas?) e não prenderam o ex-agente da CIA. A CIA. recrutou Ossama como agente, na época em que a Rússia invadiu este pais, para ajudar a expulsa-los do território Afegão. Não prenderam Bin Laden e a mídia brasileira nunca mais tocou neste assunto. Todos nós conhecemos um bêbado inteligente... O daqui da minha área afirma o seguinte: “Foram os próprios americanos que derrubaram as torres gêmeas. Ficaram com o Afeganistão e ainda faturam dois bilhões de dólares por ano com a venda do ‘principal produto de exportação’ deste pais...!(risos...)”.
Quanto ao Iraque, a mídia brasileira é totalmente pró Estados Unidos. Ou melhor, os americanos controlam a imprensa brasileira. Todos os dias entram em nossas casas informações de que “terroristas”, “rebeldes” ou “insurgentes” iraquianos detonaram bombas, matando civis e soldados da “coalizão”. Os iraquianos não são terroristas, rebeldes ou insurgentes. São verdadeiros heróis da resistência. O “Belzebush” invadiu o Iraque sem autorização da ONU, usando como justificativa o “perigo das armas nucleares” nunca encontradas..., quando todos nós sabíamos que o objetivo era o petróleo. Mataram mais de 50 mil civis e ainda expuseram os corpos dos filhos do Sadan em público. Depois, um governo ilegítimo alçado ao poder pelos americanos, resolveu enforcar o líder iraquiano. Quem são os verdadeiros “terrorista”...?
No início deste novo século, contávamos com 217 países no mundo. Diariamente só temos informações de quatro ou cinco países. E todas as emissoras de televisão mostram as mesmíssimas imagens em seus telejornais, imagens estas, da tal “agência internacional”. Penso que acontece o mesmo em todos os países da América Latina. A TV Globo tem um correspondente em Israel para defender os judeus e falar mal dos palestinos. Tem outra na Itália, que na verdade é porta-voz do Vaticano, na Inglaterra, USA, França... Sempre a mesma coisa. Desastres, “atentados”, elogios ao governo Americano e sua “coalizão”, nascimento de um bichinho em extinção... Bichinho...? Que merda de notícia é esta...? Somente no nosso país 95% da população vive abaixo do nível das miséria. Minha gente é que está em extinção. O que dizer do restante da “A Maricas Latrina”...?
Bem menos do 1% da nossa população tem acesso a mídia impressa. O maior jornalão não imprime 1 milhão de exemplares, diariamente. Nossa população beira 200 milhões de famintos e “indigentes culturais”.
Justiça seja feita, temos muitos profissionais honrados na imprensa brasileira que não são censurados. Quantos leitores saboreiam diariamente o Jânio de Freitas na Folha de S. Paulo; Fausto Wolff & Augusto Nunes no JB...? Cem, duzentos mil...? Se profissionais do naipe dos acima citados tivessem espaço no “Jornal Nacional” o nosso Brasil seria outro...!!!
Reproduzo abaixo, declaração do falecido “economista” Mário Henrique Simonsen.
"No dia em que eles descerem os morros do Rio, famintos e desnorteados, como soldados abandonados por seus generais, eles tomarão conta da cidade, da zona sul, e as classes médias e ricas serão prisioneiras de suas próprias avarezas e descuidos com os mais pobres. Será como um exército de centuriões romanos, de olhos arregalados, famélicos, entorpecidos e desesperados, tentando a última conquista antes da morte..."
(Mário Henrique Simonsen, ex-ministro da Fazenda do governo militar do general Ernesto Geisel nos anos 70 do século passado, em entrevista à revista Veja em 1986).
Enfim, solicito aos leitores deste texto que comente-o, enviando subsídios ou que discordem, provando que estou errado.

* Luciano Moojen Chaves é marchand, especializado em Marketing Cultural pela Cândido Mendes de Ipanema e filho do falecido poeta e jornalista Ovídio Chaves, que foi preso e torturado por “crime de Opinião”, quando exercia sua profissão na Rádio Nacional (maior veículo de comunicação do Brasil, na época do golpe militar de 1964).

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
www.naiveartplace.cjb.net

publicidade
publicidade
publicidade
Crochelandia
publicidade
Visitantes desde fevereiro de 2006:
30452230

Blogs dos Colunistas

-
Ana
Kaye
Rio de Janeiro
-
Andrei
Bastos
Rio de Janeiro - RJ
-
Carolina
Faria
São Paulo - SP
-
Celso
Lungaretti
São Paulo - SP
-
Cristiane
Visentin

Nova Iorque - USA
-
Daniele
Rodrigues

Macaé - RJ
-
Denise
Dalmacchio
Vila Velha - ES
-
Doroty
Dimolitsas
Sena Madureira - AC
-
Eduardo
Ritter

Porto Alegre - RS
.
Elisio
Peixoto

São Caetano do Sul - SP
.
Francisco
Castro

Barueri - SP
.
Jaqueline
Serávia

Rio das Ostras - RJ
.
Jorge
Hori
São Paulo - SP
.
Jorge
Hessen
Brasília - DF
.
José
Milbs
Macaé - RJ
.
Lourdes
Limeira

João Pessoa - PB
.
Luiz Zatar
Tabajara

Niterói - RJ
.
Marcelo
Sguassabia

Campinas - SP
.
Marta
Peres

Minas Gerais
.
Miriam
Zelikowski

São Paulo - SP
.
Monica
Braga

Macaé - RJ
roney
Roney
Moraes

Cachoeiro - ES
roney
Sandra
Almeida

Cacoal - RO
roney
Soninha
Porto

Cruz Alta - RS